Guia da Semana
Turismo
Por Redação Guia da Semana

Cabe mais um?

São muitos carros na rua que transitam só com uma pessoa. A carona solidária pode ajudar a atenuar o trânsito e diminuir a emissão de gases poluentes no ar que respiramos.

Foto: Gabriel Oliveira

Tratando-se de São Paulo tudo é superlativo. Entre as grandiosidades, boas ou ruins, o setor público e empresas privadas procuram soluções e incentivos para melhorar a qualidade de vida dos cidadãos. Um dos problemas mais sérios, e que fomenta o caos urbano, é o trânsito caótico da capital.

Segundo o Departamento Estadual de Trânsito (Detran), a frota de veículos em julho deste ano chegou a 4,6 milhões. Um número descomedido e que tende a crescer com a grande quantidade de automóveis saindo das fábricas todo mês. Em março, foi definido o recorde de 48.751 veículos novos emplacados, uma média de 1.572 por dia.

Não seria possível encontrar meios para diminuir o número excessivo que transita diariamente na cidade? Em época de eleições, os candidatos à prefeitura apresentaram projetos, em sua grande maioria, para resolver os engarrafamentos. O meio de transporte público e o pedágio urbano estão entre as principais propostas. A questão central é que há muitos carros trafegando só com o motorista, quando poderia ser levado em consideração que um carro de médio porte comporta até quatro pessoas.

O secretário do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, Xico Graziano, explica que a Carona Solidária seria a solução para a diminuição dos veículos na rua. "Para que ela caia nas graças da população é preciso incentivos e as faixas exclusivas são um deles. Só que são necessários estudos, investimentos e infra-estrutura para isso". Contudo, a assessoria de imprensa da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) informou que não existem faixas exclusivas para motoristas que transitam com passageiros, em São Paulo, e não há uma previsão para implantar tal estrutura.

A Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo (SMA) realizou em 28 de maio, o Mutirão da Carona. O foco principal era conscientizar a população em contribuir com caronas para diminuir a poluição atmosférica e melhorar a qualidade de vida nas cidades. O projeto foi enviado para as regiões metropolitanas de São Paulo, Baixada Santista e Campinas.

A Secretaria Municipal de Transportes (SMT) e a CET informaram que não houve um auxílio na época do Mutirão. Mesmo com a falta de apoio dos encarregados do trânsito na cidade, 19 empresas privadas da capital entraram como parceiras da SMA e criaram uma rede de carona solidária dentro de seus estabelecimentos.

"A idéia partiu da secretaria, mas foram estas empresas que implantaram a rede de incentivo. Em alguns países como o Canadá, há inclusive, empresas que dão pontos aos funcionários de acordo com o meio de transporte que eles utilizam para ir ao trabalho", lembra Xico.

Portais foram criados para facilitar o encontro e o agendamento de caronas. Um dos sites, que foi agregado a partir do projeto da SMA, é o e-Carona. "A gente começou a focar caronas para as empresas e trazer as que já trabalharam com a secretaria", explica Luciana Fernandes, Executiva de Comunicação e Comercial do e-Carona.

O empreendimento utiliza o conceito de comunidades e o usuário pode escolher entre as públicas ou as privadas, que englobam um ciclo social. O usuário se cadastra como caroneiro (quem pega caronas) ou como caronista (quem oferece caronas). Luciana afirma que o cadastro é passado por uma avaliação de segurança. "Após, o usuário estará automaticamente participando da comunidade e-Carona, que é um grupo público no site".

Foto: Getty Images
O estresse no trânsito pode trazer sérios problemas psicológicos


Males do estresse no trânsito

A Carona Solidária é uma atitude ecológica com a qual é possível combater os congestionamentos e, consequentemente, diminuir a emissão de gases poluentes, o que significaria melhorias na qualidade do ar e de vida. Por sua vez, há outras questões como a saúde mental, que devem ser suscitadas. O estresse, a ansiedade, o aumento de tensão, os distúrbios de personalidade e a agressividade são pontos destacados pelo psiquiatra Dr. Alceu Roberto Casseb, Membro Efetivo da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo. Segundo o médico, o estado de enclausuramento durante um longo período de tempo, pode acentuar esses problemas psicológicos.

"A solidão fragiliza o indivíduo e expõe suas debilidades. Evidentemente, uma pessoa sozinha se torna mais susceptível à irritação e a opressão, do que quando está acompanhada", ressalta. Ele continua: "Muitas vezes no trânsito a irritação é de tal magnitude que se dois intolerantes se cruzam, a guerra está declarada. A dita Carona Solidária é uma possibilidade de ajuda interessante e deve ser estimulada".

Colaborou:
Dr. Alceu Roberto Casseb
Fone: (11) 3849-5851
[email protected]

Xico Graziano - secretário do Meio Ambiente

Luciana Fernandes - Executiva de Comunicação do e-Carona

Atualizado em 6 Set 2011.

Mais notícias

Chuva de meteoros será visível na noite desta quarta-feira

Turismo

Brasil estreia contra a Suíça na Copa do Mundo de 2018; jogo será no dia 17 de junho

Turismo

Agora você pode comprar passagens de ônibus no Guia da Semana – e pelo melhor preço!

Turismo

Hotéis Mercure oferecem descontos a seus hóspedes em ingressos de espetáculos dos teatros ‘Bradesco’ e ‘Opus’; saiba mais

Turismo

Disney divulga primeiras imagens do parque do Star Wars

Turismo

5 opções de hospedagens para quem vai curtir o Rock In Rio 2017

Turismo