Guia da Semana
Viagens
Por Redação Guia da Semana

Caia na água

Confira as melhores piscinas públicas (e gratuitas) nas duas principais capitais brasileiras.

Elas não são a prioridade da maioria das prefeituras e também parecem não ser da população brasileira, mas existem. As piscinas públicas podem se tornar uma excelente forma de lazer, principalmente se a sua cidade não está no litoral. São Paulo percebeu isso e hoje tem nada menos do que 64 piscinas em vários lugares da cidade.

A mesma piscina ou complexo aquático da prefeitura pode ter diferentes funções. Podem ser usadas para aulas gratuitas de natação para todas as idades, aulas especiais para ajudar na reabilitação de deficientes, hidroginástica e até mesmo para o início da formação de atletas. Veja a seguir como algumas capitais brasileiras tratam o assunto:

SÃO PAULO

Foto: Divulgação
Piscina do Clube Escola Vila Curuçá, na Zona Leste

Recordista brasileira em número de piscinas públicas, elas estão espalhadas por toda a cidade. O processo de construção ou adaptação desses espaços vem de várias gestões municipais. Algumas sofreram denúncias de mau estado de conservação e abandono, mas outras acabaram de ser reformadas. Atualmente são mais de 50 piscinas paulistanas liberadas, de acordo com a Secretaria de Esportes de São Paulo.

O Parque Esportivo dos Trabalhadores, antigo Ceret, localizado no Tatuapé, tem a maior piscina pública de São Paulo em tamanho, medindo 100 x 50 metros. Entretanto, ela passou para a administração municipal apenas em maio de 2008, sendo antes do governo estadual. Passando por reformas, só deve ser liberada à população em março de 2009.

Hoje, as piscinas públicas de São Paulo estão vinculadas aos clubes e parques públicos. Para frequentá-las, é necessário fazer a carteirinha do clube em questão (são pedidos documento de identidade, comprovante de residência e foto 3x4) e passar pelo exame médico. É tudo gratuito, mas a validade do exame é de seis meses.

Na capital paulista, funciona uma lei que obriga a fixação de placas de indicação de profundidade nas bordas de todas as piscinas nos pontos de menor, média e maior profundidade.

Veja as melhores piscinas públicas de São Paulo em cada região.

RIO DE JANEIRO

Foto: Divulgação
Piscina do Parque da Vizinhança, em Deodoro

Por que a maior cidade litorânea do Brasil precisaria de piscinas? A explicação é simples. Apesar de a praia ser uma opção de lazer indiscutível, ambientes fechados são mais apropriados para atividades como natação e hidroginástica. A maioria delas está localizada dentro das Vilas Olímpicas, projeto da prefeitura para a formação de atletas.

Dentro das vilas, as piscinas são abertas nos fins de semana para lazer. São oito delas vilas em atividade e mais três em construção. Fora delas, o principal complexo aquático é o Parque da Vizinhança Dias Gomes, no bairro de Deodoro. Ele abriga duas piscinas, uma com capacidades para 5 mil (adulto) e 3 mil (infantil), respectivamente.

Mas nenhuma delas é mais popular do que o Piscinão de Ramos. Revestida por uma camada de polietileno, ela possui 26.414 metros quadrados, com capacidade para 30 milhões de litros, alimentada por água do mar.

Confira as melhores opções de piscinas na capital carioca.


Atualizado em 6 Set 2011.

Mais notícias

7 destinos perfeitos para velejar ao redor do mundo

Viagens

10 fontes espetaculares para visitar ao redor do mundo

Viagens

Conheça Rishikesh, cidade na Índia que é a capital do Yoga

Viagens

7 destinos ao redor do mundo para explorar de carro com o seu amor

Viagens

8 fascinantes templos budistas para conhecer ao redor do mundo

Viagens

6 festas populares imperdíveis para curtir na Espanha

Viagens