Guia da Semana
Viagens
Por Redação Guia da Semana

Cara Grande dos bandeirantes

A Serra do Caraça, em Minas Gerais, é uma reserva natural que guarda, além de trilhas na natureza, uma interessante história de ouro e religião.

Foto: Ivan Loyola

Santa Bárbara, município a 105 km de Belo Horizonte, em Minas Gerais, é mais uma entre tantas cidades que fazem parte da Estrada Real do Ciclo do Ouro. Porém, além dos patrimônios históricos referentes à época, guarda em seu território a Serra do Caraça, unidade de conservação federal desde 1994. O nome Caraça vem de "cara grande". Foi dado pelos bandeirantes do século 18, que acharam semelhança entre a formação rochosa vista de cima e o perfil de um rosto de uma pessoa.

O local virou Parque Natural para evitar um avanço maior das mineradoras de ferro, ouro, manganês e bauxita que o cercam. Hoje o parque tem mais de dez opções de trilhas, com diversos níveis de dificuldade. Os principais pontos do são as ruínas da antiga igreja dedicada a Nossa Senhora Mãe dos Homens e a São Francisco das Chagas, construída pelo eremita português Irmão Lourenço em 1774. Hoje é chamado de Santuário do Caraça.

Depois da morte do seu fundador, a igreja foi concedida por D. João VI aos padres da Congregação da Missão, que ali fizeram o Colégio Caraça. Após um incêndio em 1968, que destruiu grande parte do acervo colegial, o local foi restaurado e hoje lá funcionam museu, biblioteca e um centro de convenções. No altar da igreja há uma múmia de São Pio, trazida da Itália, com um cálice de seu sangue.

Para ter a visão da "cara grande" vista pelos bandeirantes, além de imaginação, é preciso bom preparo físico. Do Santuário não é possível ter essa impressão. O melhor caminho é fazer a trilha até o Pico Gigante do Caraça, de quase 2 mil metros de altura. Ele está a 12 km dali e a caminhada é por uma subida íngreme.



O Rio Caraça e seus afluentes proporcionam boas cachoeiras na área do parque. As de mais fácil acesso são a Cascatinha, a 20 minutos a pé do colégio, e a Prainha, a menos de dez minutos. As trilhas sinalizadas levam até algumas quedas d´água com infra-estrutura de quiosques e churrasqueiras. A Piscina Natural, por exemplo, a 2 km do colégio, tem 1,5 metro de profundidade e mais de 20 de comprimento. Uma dica é visitar o Mirante do Cruzeiro, a 500 metros dali. O Tanque Grande, um pouco mais próximo, é um lago artificial para geração de energia elétrica, mas não é permitido nadar.

Pode-se tentar algumas trilhas mais difíceis, com orientação de guias. Para se banhar na Cascatona, queda de 80 metros de altura, é preciso andar 6 km do Santuário, mas a trilha é em desnível e um pouco mais pesada. Mas se o seu desafio é subir ao topo, prepare-se. O Pico do Sol, ponto mais alto do parque, com 2.072 metros, é atingido somente por uma caminhada de 15 km a partir do Santuário. Três metros a menos tem o Pico do Inficionado, mas se consegue chegar lá andando "apenas" 8 km (seis horas de subida).

Santa Bárbara

Na verdade o centro da cidade que abriga o parque fica a 25 km da serra, no caminho para o município de Catas Altas. Este está a 33 km de lá. Santa Bárbara sobrevive, além do turismo da Serra do Caraça, de mineração e produção de mel. O destaque turístico da cidade é a Casa de Afonso Pena, onde viveu o ex-presidente do Brasil. Pena, aliás, foi na adolescência um dos ilustres alunos do Colégio Caraça, antes de exercer seu mandato entre 1906 e 1909, quando faleceu. Outros alunos ilustres do colégio foram Arthur Bernardes, também ex-presidente, e Melo Viana, ex-vice-presidente e governador de Minas.

Onde ficar

A reserva do Caraça está aberta todos os dias das 7h às 17h. Há um centro de visitantes na entrada, portanto o seu percurso deve ser avisado ali e a solicitação de guias para as trilhas longas também. É proibido dormir em barracas ou veículos e também improvisar churrasqueiras. Só podem ser usadas aquelas do próprio parque, localizadas na Piscina Natural e no Banho do Imperador.

Há uma pousada dentro da reserva, nos arredores da igreja, a Pousada Santuário do Caraça. A diária para o casal sai por R$ 137,00 com pensão completa. Outra opção é se hospedar na estrada que leva ao parque, como a Pousada do Sumidouro, que cobra R$ 100,00 o casal com café da manhã.

Como chegar

A partir de Belo Horizonte, pegue a BR-381 na direção de Vitória até o trevo para Barão de Cocais e Santa Bárbara. A partir do trevo, são 20 km até Barão de Cocais. Depois seguir mais 5 km no sentido Santa Bárbara até encontrar um entroncamento à direita que leva ao Caraça, percorrendo, então, mais 20 km.

As fotos não creditadas foram cedidas pela Prefeitura Municipal de Santa Bárbara

Serviço:

Pousada Santuário do Caraça
Santuário do Caraça
Telefone: (31) 3837-2698

Pousada do Sumidouro
Rua do Beco, 172 - Sumidouro (Km 4 da Estrada do Caraça)
Telefones: (31) 3809-4001 e (31) 3832-2229


Atualizado em 6 Set 2011.

Mais notícias

10 destinos gastronômicos para conhecer em 2020

Viagens

8 passeios imperdíveis para fazer em Marselha, na França

Viagens

8 cidades próximas a São Paulo para passar o Natal 2019

Viagens

Conheça a cidade de Leuven, capital da cerveja belga

Viagens

8 passeios imperdíveis em Seattle, nos Estados Unidos

Viagens

10 passeios imperdíveis no bairro de Belém, em Lisboa

Viagens