Guia da Semana
Viagens
Por Juliana Andrade

Conheça o coletivo Matilha Cultural

Localizado em um prédio na região central de São Paulo, o centro cultural tem uma agenda recheada de eventos.

Galera bombando na frente do Matilha Cultural (MadMag)

Nascido à partir de uma produtora de filmes, a Olldog, o coletivo Matilha Cultural é um espaço no coração de São Paulo que possuí uma agenda recheada de atividades culturais. A programação conta com exposições de arte, exibições de filmes, workshops e até uma feira de adoção de animais que rola todos os domingos.

+ Coletivos que atuam em São Paulo
+ Conheça o coletivo SampaPé
+ Conheça o coletivo Fora do Eixo

Desde maio de 2009 ocupando o prédio de três andares na rua Rego Freitas - local antes frequentado por muito pé de valsa na época da tradicional gafieira Som de Cristal – a Matilha surgiu, primeiramente, como uma opção de sala cinema para as pessoas da cidade e produtores de filmes.

“Com essa coisa dos altos valores e o fim dos cinemas de rua, a ideia inicial era ser um cinema acessível tanto para o público como para os realizadores poderem circular produções que não tem muito fomento no cinema comercial”, diz Nina Liesenberg, responsável pela comunicação e articulação de projetos da Matilha.

Mas as coisas tomaram um rumo diferente. De acordo com Nina “a princípio, iniciaram o cinema e viram que daria pra fazer mais do que um cinema”. Consequentemente, o projeto se expandiu e a intenção era “deixar a coisa maior, porque o espaço era muito grande”, completa Lidiane, gerente da Matilha. O processo demorou dois anos.

O conceito da Matilha era uma extensão do que a Olldog já fazia. “A ideia era reverberar as causas que a própria Olldog já trabalhava. Então, desde o inicio a Matilha se propôs a ser um espaço que expandisse essas causas, sempre teve uma ligação forte com a proteção animal, o meio ambiente e a cena de independente cultura em geral”, conta Nina.

Apesar de não ser uma ONG, a Matilha trabalha em conjunto com várias organizações não governamentais como o Greenpeace -- que já ocupou o espaço por alguns meses -- e a Natureza em Forma, parceira na feira de adoção de animais.

Até meados de 2013, a Matilha Cultural organizava projetos meio no boca a boca, mas com a grande procura pelo espaço eles tiveram que ampliar essa curadoria. “Os participantes do Matilha conhecem muitas pessoas da cena artística, então era uma coisa mais reativa. A gente conversava com quem nos procurava e com o crescimento da Matilha e da demanda, abrimos o edital para organizar melhor essa procura”, conta Nina.

Em 2014, você verá o resultado dessa programação aqui no Guia da Semana. Porém, se você animou, crie um trabalho e apresente pra eles na próxima chamada, que deverá ser no segundo semestre do ano. Quem sabe a sua ideia não sai do papel e vira uma atração na Matilha?

Matilha Cultural
R. Rego Freitas, 542, República


Por Juliana Andrade

Atualizado em 18 Fev 2014.

Mais notícias

Parque da Cerveja Campos do Jordão tem mirante com vista 180° da Serra da Mantiqueira, saiba tudo!

Viagens

Projeto de crowdfunding quer ajudar o povo Kuikuro a trazer de volta o Kuarup; saiba tudo!

Viagens

Turismo: 5 destinos brasileiros que serão tendência no 2º semestre de 2021

Viagens

10 lugares da Bahia para conhecer online

Viagens

10 atrações turísticas do Sul do Brasil para ver online

Viagens

10 pontos turísticos do Nordeste brasileiro para ver online

Viagens