Guia da Semana
Turismo
Por Redação Guia da Semana

Destinos de todas as cores

Elencamos algumas das melhores opções de turismo LGBT do mundo.

Por incrível que pareça ainda há lugares onde a diversidade, seja ela racial, étnica, sexual ou cultural, não é respeitada. Em contrapartida, há locais propícios para a convivência entre as diferenças independente das formas como elas se manifestam. E são esses que nos interessam por aqui. Nesse sentido, elencamos alguns destinos que dispõem de diversos serviços e atrativos para receberem de braços abertos o público LGBT. Para se ter uma ideia, esses turistas gastam cerca de 25% a mais que os heterossexuais e, justamente por isso, foram o principal alvo das campanhas turísticas durante a recente crise mundial.

Pelo Brasil

Maior cidade sul-americana, São Paulo também ostenta a maior parada do orgulho gay do mundo. Tida como a capital gay brasileira, a metrópole tem diversas atividades voltadas à comunidade LGBT, entre elas, o Festival Mix Brasil de Cinema e o Mr. Gay Brasil. Além disso, a cidade possui leis anti-homofobia e tem, na prefeitura, a Coordenadoria de Assuntos da Diversidade Sexual, que apóia os homossexuais.

Foto: Wikipedia

Av. Paulista, palco da maior parada do mundo

Reduto LGBT, a rua Frei Caneca, na região central do município, recentemente figurou nos noticiários por conta de um projeto de lei que visava transformá-la, oficialmente, na rua gay paulistana. É lá que fica uma das casas homossexuais mais famosas de Sampa, a Loca.  Não faltam opções para quem quer curtir a vida noturna da cidade. Desde os bares e botecos da rua Augusta, como o Athenas Café e o Charm, à clubes como o Glória e o seleto D-Edge.

Entre os diversos hotéis receptivos ao público gay em São Paulo, destacam-se o Le Premier Othon Suítes, Estanplaza Ibirapuera  e o Blue Tree Towers Paulista. O pernoite sai a partir de R$ 130.

Recém-eleito como o melhor destino gay do mundo, o Rio de Janeiro não poderia ficar de fora desta lista. Segunda maior cidade brasileira, a capital fluminense tem um clima cosmopolita e, além das belas praias, oferece uma série de atrativos aos turistas LGBT. Gay-friendly, a cidade maravilhosa tem uma vida noturna que vai muito além do samba e da bossa nova. Entre as casas voltadas ao público homossexual estão a Apple Mixxx Internacional, na Barra, a Boite 1140, em Jacarepaguá, e o Bar Bofetada, em Ipanema.

Quanto aos hotéis, há opções para todos os gostos e bolsos, entre elas destacam-se o badalado Copacabana Palace, em frente à praia que é um dos cartões postais da cidade, o hostel El Misti, que fica em Botafogo, e o Arpoador Inn, em Ipanema. As diárias nos quartos de casal custam a partir de R$ 130.

Outro destino tupiniquim cada vez mais procurado pelo público gay é Florianópolis. Tida como uma das cidades praianas mais belas do país, a capital catarinense sediará a XXVIII Convenção da IGLTA (International Gay and Lesbian Travel Association), o maior encontro de turismo LGBT internacional, em 2012.

A cidade oferece diversas opções de hospedagem gay-friendly, como a Pousada Natur Campeche, o Praia Mole Eco Village e o Inter City. As diárias saem a partir de R$ 139. No que diz respeito à vida noturna, Floripa dispõe de um variado leque de estabelecimentos, entre eles, o Bar Deca, na Praia Mole, o Café das Artes, que fica na badalada Lagoa da Conceição, e o Koxixo´s, no centro.

EUA

Uma das pioneiras na luta pelos direitos dos homossexuais, São Francisco é um destino fundamental quando o assunto é turismo LGBT. Foi lá, mais especificamente no distrito de Castro, que começaram as movimentações que deram origem à parada do orgulho gay, que atualmente acontece no mundo todo. Harvey Milk, uma das lideranças homossexuais locais, foi retratado em uma cinebiografia de Gus Van Sant.

Foto: Wikipedia

São Francisco, berço das paradas gays

Com uma vida noturna agitadíssima, o município californiano conta com casas como o 440 Castro, o Aunt Charlie´s, o Badlands e o Gangway, todas mais do que receptivas ao público gay.

Em São Francisco, a maioria esmagadora dos hotéis é gay-friendly, como tudo na cidade. Entre os estabelecimentos destacam-se o 24 Henry, o Adante Hotel e o Belvedere House Bed & Breakfast. As diárias custam a partir de US$ 85.

Holanda

Referência mundial em assuntos que dizem respeito aos direitos humanos e às liberdades individuais, a Holanda não poderia ficar de fora quando se fala em turismo LGBT. Considerada uma das cidades mais vibrantes da Europa, Amsterdã é a primeira cidade do mundo a construir um monumento dedicado a todos os gays que foram discriminados ou perseguidos por conta de sua opção sexual. A obra foi erigida em 1987, três anos mais tarde o casamento entre pessoas do mesmo sexo passou a ser aceito legalmente no país.

Foto: Wikipedia

Homomonument, em Amsterdã

Há quem diga que só por conta desse histórico a capital holandesa já merece uma visita. Mas o entretenimento também é um dos pontos fortes da cidade. A grande maioria dos bares e clubes locais não cobram entrada, gasta-se apenas com o que se consome. Entre os estabelecimentos voltados ao público gay, destacam-se o Club Exit, o Cuckoo's Nest e o Krokodil.

Para se hospedar há diversas opções, que vão desde os hostels até hotéis como o Black Tulip, um dos mais luxuosos da Europa, o Marriott Amsterdam, e o Triple Five Guesthouse. As taxas das diárias giram em torno de 120 euros.

Austrália

Marcada pela diversidade sexual, que se manifesta nos mais diversos locais públicos, Sydney, a maior cidade australiana, é um dos destinos gays mais badalados e hospitaleiros do mundo. Gay-friendly como São Francisco e bela como o Rio e Floripa, o município conta com mais de dez bairros LGBT e tem uma vida noturna para lá de agitada. A cidade é sede do maior carnaval gay do planeta, o Mardi Gras, que este ano chegou à sua 30ª edição.

Foto: Wikipedia

Mardi Gras, o carnaval gay de Sydney

Dividindo os distritos de Darlinghurst e Surry Hill, a Oxford Street é o centro da cultura gay de Sydney desde os anos 60. Nessa região se encontram estabelecimentos como Gilligans, Mars Lounge e Phoenix Bar, que compõem um cenário ideal para os turistas baladeiros.

Em relação aos hotéis, praticamente todos são receptivos ao público gay, oferecendo cama para dois e todas as regalias às quais os casais têm direito. Entre as opções de hospedagem estão o hotel boutique Kirketon, o The Oxford Hotel e o The Wattle. Os pernoites custam a partir de AU$ 110.

Espanha

Confirmando o espírito de independência e autonomia da Catalunha, Barcelona é um dos destinos espanhóis mais generosos e receptivos aos homossexuais. E tem sido assim desde o repressivo regime do coronel Franco. Estima-se que cerca de 150 mil gays visitam a cidade anualmente.

Foto: Wikipedia

Em Barcelona as atrações vão além das turísticas

Além de atrações turísticas como o Museu Casa Gaudí, a cidade oferece diversos bares, clubes e restaurantes para o público gay. As opções de diversão por lá são incontáveis. Entre elas, o Arena Madre, o Bacon Bear Bar, o DBoy, o G-Café e o Átame - estes últimos com nomes mais do que sugestivos.

No quesito hospedagem, Barcelona também não deixa a desejar. No meio hoteleiro destacam-se o Abac, que também funciona como um restaurante intimista, o Beauty and the Beach Gay Bed & Breakfast, o Casa Camper, o Fashion House e o Barcelona Rooms. A estadia na capital catalã não sai por menos de 78 euros para o casal.




Atualizado em 26 Set 2011.

Mais notícias

Chuva de meteoros será visível na noite desta quarta-feira

Turismo

Brasil estreia contra a Suíça na Copa do Mundo de 2018; jogo será no dia 17 de junho

Turismo

Agora você pode comprar passagens de ônibus no Guia da Semana – e pelo melhor preço!

Turismo

Hotéis Mercure oferecem descontos a seus hóspedes em ingressos de espetáculos dos teatros ‘Bradesco’ e ‘Opus’; saiba mais

Turismo

Disney divulga primeiras imagens do parque do Star Wars

Turismo

5 opções de hospedagens para quem vai curtir o Rock In Rio 2017

Turismo