Guia da Semana
Turismo
Por Redação Guia da Semana

Disciplina no trânsito

Regras para dirigir sem infringir a lei e respeitar os limites da estrada.


Fotos: sxc.hu


Respeitar o sinal vermelho, usar cinto de segurança, priorizar o pedestre e não dirigir embriagado são algumas das regras que definem uma conduta que favorece à segurança no trânsito.

Apesar de todos conhecerem as normas que minimizam os riscos, os números de acidentes causados por negligência são alarmantes. De acordo com os dados do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), cerca de 25mil pessoas morrem anualmente nas estradas do Brasil.


Para a Polícia Rodoviária Federal, prudência ainda é a melhor prevenção. O Inspetor Alvarez Simões, coordenador de Controle Operacional da PRF, lembra que, das oito principais causas de acidentes declaradas pelos motoristas - pela ordem, falta de atenção, excesso de velocidade, desobediência à sinalização, falha mecânica, não manter distância segura, ultrapassagem indevida, defeito na via e sono - seis têm relação direta com o condutor.

Com base nos locais dos acidentes, estatísticas da Polícia Rodoviária Federal traçam um perfil revelador da violência nas estradas. No ano de 2006, 445.073 motoristas foram multados por excesso de velocidade, 72.538 deles por excederem em mais de 50% a velocidade máxima permitida. Outros 30.097 motoristas foram autuados por transitar pelo acostamento e 84.375 por dirigir ou conduzir passageiros sem cinto de segurança. Ainda em 2006, a PRF autuou 2.623 motoristas por dirigirem embriagados e 17.914 por circularem com veículos sem as mínimas condições de segurança. Mais 41.625 foram autuados por dirigir sem a Carteira Nacional de Habilitação (CNH). "É uma pena, mas o motorista brasileiro ainda vê a estrada boa como uma oportunidade para abusar da velocidade e das ultrapassagens indevidas", ressalta o Inspetor Simões.

Com os danos causados, crescem também os prejuízos que atingem diretamente os cofres públicos. Segundo pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea), cerca de R$ 22 bilhões são gastos por ano em virtude de acidentes de trânsito.

Reeducação para condutores

A PRF alerta que cerca de 22mil carteiras de habilitações são retidas anualmente por má conduta nas estradas. Visando a diminuição desse número e melhoria dos hábitos dos motoristas, o Código de Trânsito Brasileiro, determina algumas situações, nas quais os condutores poderão ser submetidos a curso de reciclagem: em caso de suspensão do direito de dirigir por infração; quando se envolver em acidente grave para o qual haja contribuído, independentemente de processo judicial; quando condenado judicialmente por delito de trânsito; a qualquer tempo, se for constatado que o condutor está colocando em risco a segurança do trânsito.

Por outro lado, as evidências mostram que a juventude concentra um grande percentual de motoristas imprudentes, muitos jovens interpretam a obtenção da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) como um "ritual de passagem" para a vida adulta e que lhe dará o direito de participar ativamente na sociedade. As estatísticas do Denatram apontam que, no ano de 2005, quase metade dos acidentes com vítimas tem entre os condutores de veículos pessoas com menos de 29 anos de idade.

Com base nessa realidade, o Denatran firmou convênio com a Fundação Padre Anchieta, mantenedora da TV Cultura. A aliança resultou no projeto "Trânsito Consciente", que propõe a reflexão acerca da responsabilidade que cabe a cada cidadão para minimizar os riscos e evitar acidentes no trânsito.

O tema da série é "O jovem e o trânsito", trata-se de um programa educativo apresentado pelo músico Gabriel O pensador, que vai ao ar todos os sábados, às 13h pela TV Cultura, e será veiculado até o dia 4 de agosto.

O projeto aborda um assunto por semana, sempre em linguagem direcionada aos jovens. De acordo com Juciara Rodrigues, coordenadora-geral de Qualificação do Fator Humano no Trânsito do Denatran, responsável pelo programa, a idéia é trabalhar a questão do bom exemplo, com base em fatos reais, para orientar adequadamente a juventude no volante.

"Sem dúvida o fator mais preponderante da indisciplina no trânsito é a falta de educação. Se desde os primeiros anos escolares, os alunos tivessem a oportunidade de conhecer, debater, analisar e refletir sobre questões voltadas ao direito de ir e vir (de transitar no espaço público), certamente teriam maior consciência e responsabilidade quando adultos. Ser disciplinado exige a aquisição de valores, posturas e atitudes de cidadania no trânsito", ressalta Jussara.

Como gestora da idéia, ela explica que o próximo passo é distribuir a série completa aos órgãos e entidades do Sistema Nacional de Trânsito e às escolas de ensino médio, a fim de que os programas sejam assistidos e debatidos por um número expressivo de jovens.

Catolicismo repreende condutores

Religião e trânsito: Será que essa receita dá certo? Preocupados com o número de acidentes nas estradas, os membros do Vaticano publicaram, no final de junho, os 10 mandamentos do trânsito. A Coordenação de Controle Operacional da PRF recomendou aos superintendentes regionais que mantenham contato com as dioceses da Igreja Católica e se coloquem à disposição para ações de conscientização. O órgão listou o código moral para a condução de veículos e comentou, usando estatísticas e recomendações. Veja:


1. Não matarás
Cerca de 6 mil pessoas morrem anualmente nos 61 mil quilômetros de rodovias federais. Em 2006, foram registradas 6.116 mortes e 66.061 feridos em 109.268 acidentes. O acidente mais violento nas rodovias é colisão frontal.

2. A estrada deve ser para ti um meio de conexão entre pessoas, não de morte
De acordo com estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), o Brasil perde anualmente R$ 22 bilhões com os acidentes de trânsito em rodovias, sendo R$ 6,5 bilhões apenas em estradas federais. A pesquisa levou em consideração fatores como perda de produtividade, atendimento médico e de urgência, danos à propriedade pública e privada, faixa salarial, entre outros.

3. Cortesia, correção e prudência para te ajudar a superar os imprevistos
Levantamentos da PRF apontam a imprudência como a principal causa da violência nas estradas. A maioria dos acidentes acontece em trechos com pista boa (80,75%), nas retas (69,48%), de dia (59,44%) e com tempo bom (67,05%). A falta de atenção é o item mais alegado pelos condutores envolvidos nos acidentes.

4. Ajudar o próximo, especialmente vítimas de acidentes
A PRF não possui estatísticas sobre omissão de socorro, mas alerta que a melhor maneira de prestar auxílio a vítimas de acidente de trânsito é acionar os órgãos competentes: PRF, pelo telefone 191; bombeiros, pelo 193 e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), pelo 192.

5. Que o automóvel não seja um lugar de expressão de poder e dominação, nem de pecado
Excesso de velocidade e ultrapassagens indevidas são responsáveis pelos acidentes mais graves nas rodovias. São também os campeões de infrações. Em 2006, 445.073 motoristas foram multados por excesso de velocidade, 72.538 deles por excederem em mais de 50% a velocidade máxima permitida.

6. Convencer os jovens sem licença a não dirigir
Para a Polícia Rodoviária, esse mandamento deve se estender a "não jovens", nas situações em que eles não têm condições de dirigir. Em 2006, a PRF autuou 2.623 motoristas por dirigirem sob efeito de álcool e 17.914 por circularem com veículos sem as mínimas condições de segurança. Outros 41.625 foram autuados por dirigir sem a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e mais 61.284 por não estarem com documentos de porte obrigatório.

7. Dar apoio às famílias que tenham parentes vítimas de acidentes
O motorista envolvido em acidente deve se responsabilizar por seus atos. Se ele não foi capaz de evitar a ocorrência do acidente, deve, pelo menos, arcar com os custos desse acidente. Sentir e demonstrar arrependimento pela conduta é a melhor forma de prestar amparo ao vitimado e sua família.

8. Una motoristas culpados e suas vítimas, no momento oportuno, para que possam passar pela libertadora experiência do perdão
Seres humanos erram. Nem todo acidente, entretanto, é fruto apenas da irresponsabilidade e da conduta inconseqüente. Portanto, perdoar e ser perdoado ajudará a conviver melhor com as lembranças desse momento infeliz.

9. Na estrada, protegeis os mais vulneráveis
Do total de 2.989 vítimas fatais registradas em 2007, 1.302 (43% do total) eram pedestres, ciclistas e motociclistas. Em 2006, 30.097 motoristas foram autuados por transitar pelo acostamento e 34.287 por conduzirem passageiros sem cinto de segurança. Por medida de segurança, a PRF restringe o tráfego de caminhões longos em rodovias de pista simples entre 6h e 12h e 18h e 22h nos feriados e finais de semana prolongados como forma proteção aos veículos menores.

10. Sinta-se responsável pelos outros
Das oito principais causas de acidentes, seis têm relação direta com o motorista, conforme levantamentos da Polícia Rodoviária Federal nos locais de acidentes. São elas: falta de atenção, excesso de velocidade, não manter distância segura, desobediência à sinalização, ultrapassagem indevida e sono.




Atualizado em 6 Set 2011.

Mais notícias

Chuva de meteoros será visível na noite desta quarta-feira

Turismo

Brasil estreia contra a Suíça na Copa do Mundo de 2018; jogo será no dia 17 de junho

Turismo

Agora você pode comprar passagens de ônibus no Guia da Semana – e pelo melhor preço!

Turismo

Hotéis Mercure oferecem descontos a seus hóspedes em ingressos de espetáculos dos teatros ‘Bradesco’ e ‘Opus’; saiba mais

Turismo

Disney divulga primeiras imagens do parque do Star Wars

Turismo

5 opções de hospedagens para quem vai curtir o Rock In Rio 2017

Turismo