Guia da Semana
Turismo
Por Marco Sá

Diversão Barata no Rio de Janeiro

Um roteiro para quem quer se divertir muito por muito pouco, em diversas opções pela cidade.

A Ilha Fiscal, onde foi realizado o último baile do Império (Divulgação)

Há algumas épocas do mês que as finanças estão apertadas e a gente acaba deixando de fazer alguma coisa que gosta por causa disso, não é? 

Pois o Guia da Semana preparou um roteiro de diversão barata (ou grátis) no Rio. Entre museus, parques e outros destinos, veja onde pagar pouco para se divertir.

Forte de Copacabana

O Forte foi inaugurado em 1914, para reforçar a defesa da Baía de Guanabara. Com suas muralhas de 12 metros de espessura voltadas para o mar e armamento da fábrica Krupp, tem uma bela vista das praias do Arpoador e Copacabana. A dica é também tomar um cafezinho nos estabelecimentos que funcionam no local. A entrada custa entre R$ 3 e R$ 6. Aberto de terça a domingo e feriados, das 10h às 18h. A área externa fica aberta até as 20h.

Feira de São Cristóvão

O nome oficial é Centro Municipal Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas, homenageando o mestre Gonzagão, rei do baião. Melhor local da cidade para comprar artesanato, comidas e bebidas típicas, conhecer o folclore e dançar um bom forró. De Terça a Quinta-feira, 10h às 18h, a entrada é franca; nos finais de semana, das 10h de sexta  às 21h de domingo, o ingresso custa apenas R$ 3.

Planetário da Gávea

Construído na década de 70, o Planetário da Gávea tem diversas programações, entre sessões especiais e exposições. Mas são as Sessões de Cúpula as que mais fazem sucesso, em que o visitante, acomodado em confortáveis poltronas, assiste a projeções nas cúpulas Galileu Galilei e Carl Sagan. A entrada custa entre R$ 10 e R$ 20. Mas para quem quer só observar o céu, a entrada é gratuita.

Jardim Botânico

As origens desse famoso cartão postal estão na transferência da corte portuguesa para o Brasil, entre 1808 e 1821. Mas foi no ano seguinte à Proclamação da República, em 1890, que ele ganhou o nome Jardim Botânico. O espaço está aberto a visitação todos os dias do ano, em roteiros chamados de "Aléias". A principal é a Barbosa Rodrigues, com suas palmeiras imperiais. A entrada custa R$ 6, das 8h às 17h. No local, também funciona o Museu do Meio Ambiente, entre 9h e 17h. 

Centro Cultural Banco do Brasil

 

Inaugurado em 1989 como Centro Cultural, a biblioteca do lugar tem cerca de 140 mil volumes. Possui ainda três teatros, quatro cabines de vídeo, um cinema, dois auditórios utilizados para cursos, palestras e seminários, várias salas de exposição e, ainda, um salão de chá, um restaurante e uma bomboniére. Conta ainda com diversas exposições permanentes e algumas temporárias. A entrada custa entre R$ 3 e R$ 6, das 9h às 21h, podendo variar de acordo com a programação.

Real Gabinete Português de Leitura


Idealizado em 1837 por um grupo de 43 imigrantes portugueses, somente em 1900 ele se transformou em biblioteca pública. Com sua arquitetura em estilo neomanuelino, a atual sede foi erguida entre 1880 e 1887. A fachada é inspirada no Mosteiro dos Jerônimos, em Lisboa, mas é no interior que está toda sua fascinação. As cinco primeiras sessões da Academia Brasileira de Letras foram realizadas na casa, por Machado de Assis. A entrada é franca e fica aberto de segunda a sexta, entre 9 e 18h.

Ilha Fiscal


O pequeno castelo é o local onde foi realizado o "Último Baile do Império", dias antes da Proclamação da República. Lá, destacam-se o Torreão e a Ala do Cerimonial, e conta com exposições permanentes que contam a história da Ilha e da Marinha do Brasil. Aberto a visitação de quinta a domingo, o acesso é feio por escuna ou micro-ônibus. Os horários de saída são 12:30, 14h e 15:30 e os ingressos custam entre R$ 7 e R$ 15.

Forte Duque de Caxias


Também conhecido como Forte do Leme, o acesso é por uma trilha de 800 metros numa estrada de paralelepípedo arborizada, no topo do Morro do Leme. Mas a subida vale a pena: do alto, contempla-se toda a Praia de Copacabana, Pão de Açúcar, Cristo Redentor, Niterói e outras fortificações. De terça a domingo, a visitação ocorre entre 9:30 e 16:30. O ingresso custa entre R$ 2 e R$ 4. 

Centro Cultural Helio Oiticica


Fundado em 1996, recebeu o nome de um dos maiores artistas brasileiros. O casarão de três andares foi construído no Século XIX para abrigar inicialmente o Conservatório Imperial de Música, o espaço possui exposições permanentes de arte contemporânea. Funciona de Terça a Sexta, entre 11h e 19h e aos sábados e domingos, entre 11h e 17h. A entrada é franca.

Museu Casa do Pontal

Localizado em um sítio no Recreio dos Bandeirantes, o espaço é o maior destinado à arte popular brasileira. São cerca de 8 mil peças de 200 artistas brasileiros, entre galerias temáticas e jardins. A entrada custa entre R$ 5 e R$ 10, de terça a domingo, das 9:30 às 17h.

 


Por Marco Sá

Atualizado em 30 Mai 2013.

Mais notícias

Chuva de meteoros será visível na noite desta quarta-feira

Turismo

Brasil estreia contra a Suíça na Copa do Mundo de 2018; jogo será no dia 17 de junho

Turismo

Agora você pode comprar passagens de ônibus no Guia da Semana – e pelo melhor preço!

Turismo

Hotéis Mercure oferecem descontos a seus hóspedes em ingressos de espetáculos dos teatros ‘Bradesco’ e ‘Opus’; saiba mais

Turismo

Disney divulga primeiras imagens do parque do Star Wars

Turismo

5 opções de hospedagens para quem vai curtir o Rock In Rio 2017

Turismo