Guia da Semana
Turismo
Por Redação Guia da Semana

Lagoa da Conceição no verão e sem trânsito

Aproveite sua bike e conheça a região.

Foto: Onde Pedalar


Para quem já esteve na Lagoa em feriados ou no verão sabe que o título deste texto parece uma piada. Mas basta usar uma bicicleta que ele se torna verdadeiro.

A Lagoa da Conceição fica no coração da ilha de Florianópolis. É badalada e foi invadida por paulistas em busca de canto charmoso para morar. Nas férias, a invasão é geral. E por mais que as vias de acesso tenham sido melhoradas na saída para o centro da cidade, do outro lado não tem o que fazer. A rua que atravessa a lagoa é de mão dupla e estreita, e dificilmente vai poder ser ampliada, por razões ecológicas. A solução para escapar desse estresse é levar sua bike para Floripa e experimentar uma sensação única ao passar pelos carros em fila, esperando para cruzar a lagoa e sentir os olhares de inveja dos turistas confinados em suas máquinas.

A região da Lagoa é relativamente plana, por isso, além de escapar do trânsito, você pode curtir muito mais do lugar e ainda manter a forma. Veja o que você pode conhecer de bike, sem ou com pouco esforço.

Sul da Ilha

Da avenida que atravessa a lagoa até Pântano do Sul, tudo é praticamente plano. Os aclives nem parecem subidas. Um bom passeio de um dia é ir almoçar em Pântano do Sul, no Restaurante dos Recadinhos. No caminho, vale uma parada na Lagoa do Peri, que fica no meio do caminho.

Esse restaurante, do seu Manoel, começou como uma vendinha da vila de pescadores. A brincadeira dos recadinhos, que forram as paredes do restaurante, tem suas origens nos anos 70, quando seu Manoel permitiu aos turistas que deixassem recados na para os colegas que estavam por chegar. Com o tempo, os atrasados que chegavam esfomeados ao local pediam algo para comer. Foi aí que apareceu a anchova frita, uma especialidade da esposa do seu Manoel, que é o carro chefe de seu restaurante até hoje.

Com o horário de verão, dá pra fazer esse pedal em um dia e voltar ainda com luz, mas não saia tarde. No parque da Lagoa do Peri, existem algumas trilhas para se fazer a pé e, claro, a lagoa que é uma piscina pronta para te refrescar. Por lá, você encontrar muita sombra para um piquenique, mas nada de restaurantes ou barraquinhas. Por isso, leve sua comida se quiser ficar por ali antes de voltar.

Praia da Joaquina

A praia da Joaquina é praticamente na Lagoa. A rua de mais de três quilômetros que leva até ela sai do fim da avenida principal, ao lado da bifurcação para a Barra da Lagoa. A Joaquina pode ser a praia de todo dia, já que é próxima da cidade e além do mar, possui várias dunas para um esqui sobre as areias. É diversão garantida.

Barra da Lagoa

A Barra, como o nome diz, é onde a lagoa se encontra com o mar. Do centrinho da Lagoa até a Barra são oito quilômetros de distância. Para animar, cada subida tem seu prêmio ao final. Na primeira delas, você pode escolher entre o mirante e a praia Brava, forrada de surfistas e gente bonita. Já na segunda, o melhor é a descida, que faz qualquer bicicleta chegar a 70km/h fácilmente. Isso requer muita atenção do ciclista para evitar acidentes. Não se empolgue demais.

Na Barra, além da praia e dos restaurantes, também vale a pena atravessar o canal pela ponte pênsil e se aventurar por um cantinho onde só bicicleta pode rodar. Após dois minutos pedalando, você pode descobrir uma prainha com cara de particular, que pode ser apenas sua por algumas horas.

Canto da Lagoa

Todo mundo que visita a Lagoa sempre quer comer a famosa sequência de camarão. Mas para experimentar a especialidade sobre ela, literalmente, apenas no Canto da Lagoa. O lugar está a 20 quilômetros do píer e só tem uma trilha, que leva ao povoado. Para facilitar a vida, uma cooperativa de pescadores leva os turistas do píer até os restaurantes, mas saindo do centrinho, o preço do passeio de barco encarece um pouco o almoço.

Se você for um mountain biker experimentado, pode se enveredar pela trilha até lá. Vai suar um bocado, mas terá feito uma trilha inesquecível ao lado da encosta do morro. Agora se seu fôlego for um pouco menor, a opção é pegar o barquinho do outro lado da lagoa. O caminho é o mesmo da Barra, mas deve-se seguir na estrada. Cerca de dois quilômetros a frete da entrada, sentido Rio Vermelho, você ira encontrar uma entrada à esquerda, que leva a uma outra cooperativa, que cobra cerca de cinco reais para atravessar você e sua bike até o Canto da Lagoa. Em cinco minutos você estará saboreando sua sequência de camarão, em uma das melhores vistas da Lagoa da Conceição.

Leia as colunas anteriores de Márcelo Rudini:

? História e Natureza


? Almoço em Morretes com a consciência tranqüila



Quem é o colunista: Fotógrafo e editor do site Onde Pedalar.com

O que faz: Fotógrafo editorial.

Pecado gastronômico: Um só? Na Bahia, Biju; em São Paulo, pizza; em Curitiba, Strogonoff de nozes e, em Belo Horizonte, feijão.

Melhor lugar do mundo: Aquele que te faz se sentir bem, equilibrado.

Fale com ele: [email protected]


Atualizado em 6 Set 2011.

Mais notícias

Chuva de meteoros será visível na noite desta quarta-feira

Turismo

Brasil estreia contra a Suíça na Copa do Mundo de 2018; jogo será no dia 17 de junho

Turismo

Agora você pode comprar passagens de ônibus no Guia da Semana – e pelo melhor preço!

Turismo

Hotéis Mercure oferecem descontos a seus hóspedes em ingressos de espetáculos dos teatros ‘Bradesco’ e ‘Opus’; saiba mais

Turismo

Disney divulga primeiras imagens do parque do Star Wars

Turismo

5 opções de hospedagens para quem vai curtir o Rock In Rio 2017

Turismo