Guia da Semana
Viagens
Por Redação Guia da Semana

"Moro num país tropical..."

Mesmo sendo alvo de diversas campanhas, a Amazônia perde, com o desmatamento, um campo de futebol e meio por minuto, segundo dados do Imazon, instituto de pesquisa não-governamental.

Foto: Portal Amazônia


Considerada a maior área verde do mundo e vista como pulmão do planeta, a Amazônia não é feita apenas de árvores e índios. Privilegiada por uma natureza fantástica e cheia de tradições folclóricas, a região amazônica tem muito a oferecer aos seus turistas e mistura fauna, flora e muita novidade em cada paisagem.Localizada na Região Norte do Brasil, possui um área de 5,5 milhões de quilômetros quadrados, equivalente a 61% do território nacional.

Influenciada por povos indígenas, a cultura amazônica possui um calendário de eventos que exploram música, dança, artesanato, artes plásticas e folclores regionais. A data ideal para se visitar a região é entre junho e julho, meses em que os rios atingem ponto de cheia e permitem o acesso de barco a lugares da floresta fechada.Para os interessados na cultura local e suas tradições, acontecem festas homenageando os bumbas, com quadrilhas, cirandas e danças nordestinas apresentadas em espetáculos no Centro Cultural do Amazonas.

Outro espetáculo à parte, e que reúne cerca de cem mil pessoas, é o Festival de Parintins, realizado entre 24 e 30 de junho, desde 1913.
Nos três últimos dias do evento, o público divide a torcida no maior festival folclórico da capital, pelos dois grandes Bumbás, o Garantido, que possui cores vermelho e branco, e o Caprichoso, reconhecido pelo azul e branco. Detalhes das lendas e mitologias indígenas da região vão às ruas de Parintins, que são decoradas pelas cores dos Bumbás. A tradição também se reflete nas famílias, onde é comum a divisão de preferência entre os bois.

Pontos turísticos

Um dos passeios que promete fazer fundo para muitas fotografias e com certeza encher os olhos dos turistas é o Encontro das Águas. O Rio Negro, que faz jus ao nome, ao se encontrar com o Rio Solimões, de águas barrentas, correm lado a lado sem se misturarem devido à diferença das temperaturas, densidades e velocidades das correntezas, por aproximadamente 6 km, quando formam então o Rio Amazonas. Se o viajante contar com a sorte pode até receber uma visita inesperada de alguns Botos Cor de Rosa pelo meio do caminho.

Foto: Portal Amazônia


O Bosque da Ciência fica em Manaus e funciona nas dependências do INPA - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia. Uma das atrações que chamam atenção dos turistas é a trilha suspensa pela selva, além dos viveiros de aranhas e jacarés, tanques de peixe-boi, passeios em fauna livre e os jardins de orquídeas e bromélias.
Localizado no Rio Negro, o Parque Ecológico Janauary concentra vários ecossistemas da região. Á área de mil hectares possui matas de terra firme, e os turistas passeiam de canoa pelos igapós entrecortados de grandes árvores com cipós e vegetação típica. No lago das Vitórias-Régias, há uma passarela que leva o visitante a conhecer esta bela flor amazônica.
Para quem curte animais, o Parque do Mindu é uma ótima opção, pois lá é possível ver animais em extinção, como os últimos macacos Sauím-de-Manaus, a Ararajuba, o Gato do mato, a Onça pintada, o Mico-Leão-Dourado, o Macaco-aranha entre outros vistos apenas na região Norte do país.
Você já ouviu a palavra Pororoca? Pois é, na região amazônica essa palavra é muito comum. É um fenômeno de ondas no Rio Amazonas que alcançam de 3 a 6 metros de altura e ocorre devido o encontro de marés e correntes contrárias, que seguem rio adentro e alcançam uma velocidade média de 10 a 15 milhas por hora, gerando enormes ondas e uma bela visão aos turistas, principalmente para os admiradores do surf.

Culinária

A culinária regional sofre influência indígena e destaca-se pela enorme oferta de pratos à base de peixes de água doce, como pirarucu, tucunaré e tambaqui. A pimenta malagueta, pimenta de cheiro e o tucupi são essenciais para o preparo das principais receitas. Um complemento para apreciar as delícias regionais é a farinha de Uarini, feita a base de mandioca, que, por ser muito resistente, deve ser ingerida sem mastigar.
Alguns pratos típicos são o Pato no Tucupi, a Caldeirada de Peixe, o Pirarucu Recheado com Camarão e o Risoto de Caranguejo.
Já para beber o ideal é conhecer sucos com os sabores das frutas típicas existentes apenas nesta porção do planeta, como a Pupunha, o Tucumã e o Buriti.
Para sobremesa, a dica é experimentar o Doce de Buriti, o Pudim de Cupuaçu e o Bolo de Pupunha.
Os preços dos pratos variam em uma média de R$ 20,00 e costumam servir bem duas pessoas.

Desmatamento

Infelizmente pesquisas mostram que toda essa riqueza em nosso país tem passado por maus bocados. Entre agosto de 2007 a junho de 2008, o desmatamento totaliza 4.754 km2. Comparado ao mesmo período do ano anterior, houve aumento de 9% de área devastada. Em maio e abril deste ano, a Amazônia perdeu 2.219 km2 de área verde, equivalente a duas cidades do Rio de Janeiro, sendo 61% da destruição concentrada nos 36 municípios que são alvos de ações do governo, onde toda e qualquer derrubada foi proibida.

Foto: Portal Amazônia


Segundo informações de um dos coordenadores de campanha do Greenpeace André Muggiati, atividades como a agricultura, pecuária e siderurgia são os principais motivos pelos quais a região tem sido devastada, e 70% fica por conta da indústria madeireira. Para André, o desmatamento por meio de queimadas, contribui para a emissão de uma quantidade muito grande de CO2 na atmosfera, o que prejudica a camada de ozônio e as mudanças climáticas do mundo.
Outro fator relevante para o coordenador é a questão da perda da biodiversidade. André afirma que as espécies animais são extintas por perderem seu habitat natural e muitas plantas que podem ser utilizadas como medicamentos e ainda nem foram descobertas, são retiradas da natureza.

Como ir

O pacote da CVC de cinco dias e quatro noites oferece a hospedagem no Tropical Hotel, em Manaus. Inclui café da manhã, city tour e passagens aéreas da TAM por R$ 2.100,00* o casal.

Já a Ambiental Expedições fornece pacotes de cinco dias e quatro noites no Amazon EcoPark Jungle Lodge por R$ 2.005,00* para o casal, com vôo pela Gol e pensão completa. No roteiro inclui chegada no aeroporto e saída em barcos regionais. Recepção com sucos típicos, alojamento e jantar. Tour noturno em canoa com focagem de jacarés, caminhada ecológica, visita a casa de caboclos com pesca de piranhas, passeio no "Encontro das Águas" com almoço em restaurante flutuante e visita à Floresta dos Macacos.

*Valores referentes a maio

ATENÇÃO
Para os marinheiros de primeira viagem algumas dicas para não passar nenhum apuro no percurso. É ideal levar na bagagem repelente e alguns remédios, pois existem poucas farmácias na região. Além, de se atentarem para as vacinas contra febre amarela, hepatite B e tifo. Para passeios na floresta é aconselhável o uso de camisetas de manga longa e calças de moletom que ajudam a prevenir picadas e arranhões de insetos.


Serviço

CVC
Telefone: (11) 2191 8410
Site: www.cvc.com.br

Ambiental Expedições
Telefone: (11) 3818 4600
Site: www.ambiental.tur.br

Portal Amazônia
Site: www.portalamazonia.globo.com

AmazonasTur
Site: www.amazonastur.am.gov.br

Parintins.com
Site: www.parintins.com

Greenpeace
Site: www.greenpeace.org.br


Atualizado em 6 Set 2011.

Mais notícias

10 lugares da Bahia para conhecer online

Viagens

10 atrações turísticas do Sul do Brasil para ver online

Viagens

10 pontos turísticos do Nordeste brasileiro para ver online

Viagens

10 destinos religiosos ao redor do mundo para ver online

Viagens

6 atrações turísticas em Mykonos, na Grécia, para ver online

Viagens

10 montanhas incríveis ao redor do mundo para ver online

Viagens