Guia da Semana
Viagens
Por Redação Guia da Semana

Nova Iorque: segredos do dia e da noite

Além de SoHo e East Side, os dois maiores centros de compras de Nova Iorque, a metrópole norte-americana tem alguns lugares secretos para se comprar e para passar a noite.

Fotos: www.sxc.hu
Vista aérea de Manhattan, o melhor lugar para gastar dinheiro

A capital cosmopolita do mundo. Assim é comumente chamada Nova Iorque, cidade americana localizada no estado homônimo, no nordeste dos Estados Unidos. A cidade que mais recebe turistas no país mais poderoso do mundo já foi amplamente divulgada de todas as formas, mas ela não pára de se reinventar.

Com 19 milhões de habitantes na área metropolitana, mais do que um centro financeiro, é grande em tudo. Com isso, alguns moradores de lá se oferecem de guias para comprar em lugares alternativos e sair dos pontos comuns. É o caso da parceria das nova-iorquinas Bobbie Kraus e Ellen Frankel, que fundaram uma empresa com o slogan de levar o turista para comprar nos "lugares secretos de Nova Iorque". O tour de compras de três horas, com até quatro pessoas, custa US$ 500,00 (cerca de R$ 860,00), basta dizer o real objetivo de suas compras.

Dos cinco condados da metrópole, Manhattan é o centro financeiro e comercial, além de ter a maior densidade populacional da cidade. Lá os principais pontos turísticos são os arranha-céus como o Empire State Building e o futuro complexo do novo World Trade Center. A famosa rua que é o maior centro financeiro do mundo, a Wall Street, também está lá.

Portanto, mesmo com todos os segredos do Brooklin, certamente a maior parte de suas compras também será feita nos vários bairros de Manhattan. SoHo (na verdade é a abreviação de "South" e "Houston", por estar ao sul da Rua Houston, porém também é brincadeira com um bairro homônimo de Londres) abriga a Broadway e é o centro da vida artística de Nova Iorque, além de ser ótimo para passar a noite.

O bairro, não tão secreto, preserva algumas de suas estruturas antigas de ferro fundido. Lá estão algumas das mais famosas empresas do mundo com lojas luxuosas, como Prada, Chanel, Bape, Supreme, Clientele, Kid Robot, Bloomingdale´s, H&M, Victoria´s Secret e J. Crew.

Outro ponto conhecido é a Quinta Avenida. Ela começa em Greenwich Village e termina em Upper East Side. O primeiro é o bairro mais antigo de Nova Iorque, constituído de ruas estreitas, reduto de artistas e escritores, além de ter servido de cenários para inúmeros filmes. Já o segundo é uma das partes mais chiques da região, com moradores de alto poder aquisitivo próximos ao Central Park que ainda resistem ao crescimento de lojas e shoppings.

Um dos bairros para fugir da concentração é Chelsea. Aos poucos vem se consolidando como grande pólo artístico, com salões e avenidas amplas. A vida GLS de Nova Iorque dá o ar de sua graça nesta região. Outro bairro mais tranqüilo é o Tribeca, com ruas calmas, parques e muitos restaurantes europeus. Vale menção também o ex-operário bairro Lower East Side. Mas caso queira voltar ao agito do comércio um pouco menos chique, mergulhe de cabeça nas ruas estreitas da Chinatown e do NoHo ("North of Houston").

Noite no hotel

Nova Iorque é conhecida como "a cidade que nunca dorme". Os points da noite, nas regiões de SoHo e East Village, também são muito divulgados. Porém, algo em alta por lá é se divertir no próprio hotel. Eles inauguram salões no topo do estabelecimento e se aproveitam por estarem localizados em locais privilegiados de Manhattan, com visões espetaculares de prédios como o Empire State Building.

O Roosevelt Hotel, na Madison, lançou em abril deste ano seu novo bar, o Mad 46, mas o bar não tem pretensão de substituir a balada nova-iorquina. De segunda a sexta, só funciona até meia-noite. Já de sábado, ele estica até às 2h da manhã. Drinks especiais como Sangria 46 Rosada, Mad Bellini e Mad Mojito aquecem a galera. A diária normal no Roosevelt sai por volta de US$ 395,00.

Outras opções são o Bryant Park Hotel, que tem o lounge de techno Cella Bar, e o Peninsula Hotel, com o bar Salon de Ning, lançado em maio e decorado com artigos chineses. O tema ali é Shangai, conhecida como "Paris do leste", apesar da visão da Quinta Avenida do topo do prédio. No Bryant, a diária sai a partir de US$ 575,00 e no Peninsula, nada menos do que US$ 925,00.

Caro?

O preço das passagens aéreas ida e volta de São Paulo até Nova Iorque é de cerca de R$ 1.650,00 por pessoa pela Air Canada ou American Airlines.

* Preços referentes a 2008 e sujeitos a alterações

Serviço:

Secret Shop Walks

Bryant Park Hotel

Peninsula Hotel

Roosevelt Hotel


Atualizado em 6 Set 2011.

Mais notícias

8 passeios imperdíveis para fazer em Marselha, na França

Viagens

8 cidades próximas a São Paulo para passar o Natal 2019

Viagens

Conheça a cidade de Leuven, capital da cerveja belga

Viagens

8 passeios imperdíveis em Seattle, nos Estados Unidos

Viagens

10 passeios imperdíveis no bairro de Belém, em Lisboa

Viagens

Conheça a cidade medieval de Füssen, na Alemanha

Viagens