Guia da Semana
Viagens
Por Redação Guia da Semana

Oásis paulista

A Biblioteca de São Paulo apresenta um modelo inédito no país, com infraestrutura e acervo para atender a todos os públicos.

Foto: Márcia Alves

Pela visão geral do interior da Biblioteca de São Paulo, é possível prestar atenção na descontraída disposição dos móveis e no espaço bem amplo

Imagine um espaço em que você possa encontrar tudo o que precisa para se informar e tem a possibilidade - quase o dever - de ter diversão. Que seja bastante colorido, amplo e com grandes vidraças. No qual, não exista nenhum tipo de preconceito ou exclusão, e o lema seja a alegria. Esse lugar existe! É a Biblioteca de São Paulo, que fica no Parque da Juventude, na zona norte da capital paulista, onde antes existia a Casa de Detenção do Carandiru.

"Aqui não há placas que exigem silêncio e os livros estão à disposição nas prateleiras para os leitores folhearem. Tudo para os visitantes ficarem à vontade", comenta a diretora Magda Montenegro sobre a descontração da Biblioteca. O gerente cultural, Mario Silva, completa que a intenção deles é tirar do imaginário popular que biblioteca é um lugar chato, destinado apenas para estudar, e conseguir mostrar a versão da Biblioteca de São Paulo, que é uma opção diferenciada, barulhenta, colorida e com os últimos lançamentos editoriais.

O espaço foi inaugurado em fevereiro deste ano, mas, já conta com uma média de 30.000 visitas por mês e chega a emprestar 3.500 livros mensalmente. Ele destaca-se entre os outros os lugares do gênero, por sua estrutura física inovadora - que preza pela acessibilidade -, seu acervo diferenciado e tecnológico.

Foto: Mario Silva

As crianças costumam sempre frequentar a Biblioteca e, por isso, a programação cultural faz questão de destinar vários eventos aos pequenos

Diferenciais de peso

A Biblioteca de São Paulo lembra o estilo das grandes livrarias, onde há pufs e cadeiras dispostos sem formalidade, para os visitantes acomodarem-se em suas leituras. Há também longas prateleiras de livros, em que as pessoas podem pegar uma obra e folhea-la, sem ter a obrigatoriedade de fazer a locação daquela edição. O acervo não conta apenas com peças eruditas, mas também com os best-sellers da atualidade, gibis, histórias em quadrinhos, jornais nacionais e internacionais e vários gêneros de revistas brasileiras e do exterior. "Temos um setor que tem até revista Playboy", conta Mario.

Ele refere-se ao espaço proibido para os menores de 18 anos, em que há livros e periódicos com conteúdo violento ou erótico. O lema é não haver censura e disponibilizar todo tipo de leitura que o visitante quiser para distrair-se e informar-se e, assim, trazer o maior número de pessoas possível para dentro da biblioteca. Magda revelou que há vários associados que chegam a passar as tardes de sábado e domingo lendo os livros, os jornais e as revistas. "Sinto que as pessoas apresentam uma demanda muito grande de conhecimento e informação", completa.

Um dos grandes diferenciais da Biblioteca de São Paulo é que ela está atualizada com as novidades da tecnologia. Há sete leitores digitais de livros Kindles, da Amazon, e um E Reader, da Sony, que estão sendo apresentados ao público e disponibilizados aos poucos para o uso. Há cem computadores, equipados com fones de ouvido, telas widescreen, acesso à internet e recursos multimídias. Para quem leva seu notebook até a Biblioteca, tem rede wireless. Existem ainda jogos eletrônicos, CDs e DVDs para serem usufruídos através dos computadores e dez máquinas com softwares especiais de leitura, teclados ampliados e mouses especiais para os deficientes visuais.

Foto: Mario Silva

É possível ficar até duas horas e meia navegando pela internet ou utilizando os computadores para fazer pesquisas de estudos, assistir filmes e brincar com os jogos eletrônicos

Infra-estrutura para todos

Os dois andares do prédio abrigam atrações para todas as idades, desde as crianças aos idosos e para todos os públicos, desde moradores de rua até pessoas com alto poder aquisitivo. A acessibilidade também é um dos destaques do espaço. "Pessoas com qualquer tipo de deficiência tem acesso ao acervo", ressalta o gerente cultural. Para os deficientes auditivos, há funcionários capacitados na linguagem LIBRAS - Língua Brasileira de Sinais-, já para os cadeirantes, há elevadores e mesas de leitura adaptáveis.

Os deficientes visuais foram presenteados também com vários volumes em Braille, áudiolivros, impressoras que transformam os livros nesse método de linguagem e máquinas que lêem as páginas para eles. Essa foi uma das várias inspirações que o espaço paulista captou da Biblioteca de Santiago, no Chile. "Nós temos apenas dois andares, em contrapartida com os quatro do estabelecimento chileno. Mas, tentamos tirar o que havia de melhor, como o amplo espaço e a realização de cursos, por exemplo", fala Magda.

Foram investidos R$ 12,5 milhões, sendo R$ 2,5 milhões do Ministério da Cultura e o restante do Governo de São Paulo. A verba mensal de manutenção é de R$ 4 milhões para gestão e R$ 1 milhão para a renovação do acervo. A Biblioteca é administrada pela Poiesis, organização cultural que também gere a Casa das Rosas e o Museu da Língua Portuguesa.

Programação cultural

Quem gosta de ter diversão aliada à cultura, deve marcar presença nos eventos da Biblioteca de São Paulo. Há opções de teatros, saraus, apresentações de dança, música e peças destinadas para o público infantil. Na programação fixa, há o 'Sábado da Memória', que traz sempre um artista de Artes Gráficas para ser homenageado e ele deixa a marca de suas mãos imortalizadas em uma placa de concreto. "Maurício de Souza, Ziraldo, Laerte e Angeli já participaram. No dia 23, a presença confirmada é de Chico e Paulo Caruso", informa Mario. O evento acontece sempre aos sábados, às 14h.

Todos os domingos, às 17h, os visitantes da Biblioteca são presenteados com shows para encerrar bem o dia. O evento já contou com apresentações de vários ritmos, como samba, rock, jazz, blues e tanto com artistas conhecidos, como com desconhecidos. O destaque do mês é a argentina Mariana Avena, no dia 24, que é uma das grandes representantes da música latina. Mas, para quem quiser conferir toda a programação cultural, basta acessar ao site da Biblioteca de São Paulo, no endereço bibliotecadesaopaulo.org.br.



Atualizado em 6 Set 2011.

Mais notícias

15 museus ao redor do mundo para conhecer sem sair de casa

Viagens

13 museus sobre a história africana para visitar ao redor do mundo

Viagens

Veja a programação de blocos de Carnaval no Rio de Janeiro em 2020

Viagens

12 passeios imperdíveis em Bangkok, na Tailândia

Viagens

10 viagens internacionais perfeitas para fazer com os avós

Viagens

9 passeios imperdíveis para fazer em Caldas Novas, em Goiás

Viagens