Guia da Semana
Viagens
Por Redação Guia da Semana

Os encantos de Sevilha

No sul da Espanha, a cidade é uma mistura dos traços mouros da época da dominação árabe e da arquitetura contemporânea.

Foto: Mylene Rizzo


Sevilha é a capital da Andaluzia, região no sul da Espanha que guarda mais fortemente a herança da dominação moura de quase 700 anos. Uma jóia arquitetônica que mescla elementos de várias culturas e que tem na sua catedral e no Alcazar dos Reis Católicos os dois maiores tesouros.


A Catedral está localizada onde, no período mouro, estava a Mesquita. É uma lástima não terem deixado este registro! O único resquício da construção religiosa é a famosa Torre da Giralda, atual emblema da cidade, e que era o antigo minarete de onde os fiéis eram chamados para rezar.


Sevilha é a cidade andaluza de que mais gosto! Ela não é tão pequena e turística como Córdoba, mas também é uma cidade que se domina facilmente e tem um vida noturna pulsante. Desde minha última visita, em 2002, notei que muitas coisas mudaram: o centro histórico ou Bairro de Santa Cruz mantém intacto seu legado, mas a modernidade dos arquitetos espanhóis aparece em novas construções.


A cidade é marcada por edificações que remontam às duas grandes feiras que aconteceram por ali em 1929 e 1992. Particularmente encantadores são os pavilhões americanos da feira de 29, uma prova de que investimentos como este podem render frutos e turismo por muito tempo.

O maior monumento desta época é o pavilhão da Plaza de Espanha, um prédio de tijolos construído para ser provisório, assim como a Torre Eiffel, e é hoje um dos cartões postais da cidade. Os bancos que circundam a praça dão uma aula de geografia espanhola além de colorirem ainda mais o ambiente.


A gente enlouquece com o comércio rico e diversificado de Sevilha. Nosso hotel é muito bem localizado, quase ao lado do Corte Inglés, a maior loja de departamentos da Espanha. A decoração é em estilo Philip Stark: os quartos são amplos e claros e o atendimento bastante satisfatório. As portas são decoradas com recortes de quadros de pintores da Escola Sevilhana, separados por épocas em cada andar: uma aula de História da Arte Espanhola.


Mas nas ruas é que a movida acontece. É imperdível sentar num café e ver a população local na sua rotina de compras e tapas. Não se assustem, ninguém recorre à violência gratuita. Os espanhóis saem a tapear quase todas as noites, isto é, passam de bar em bar tomando uma sangria ou uma cerveja Cruzcampo com um tira-gosto da casa.

Para escolher um destes locais coloridos e típicos, minha dica é a rua Mateos Gago, bem em frente a Giralda, no bairro de Santa Cruz. Em poucos metros estão mais de quinze bares e restaurantes que fazem a festa do olhar e do paladar. Os restaurantes de Triana, do outro lado do rio Guadalquivir, também são uma boa ideia para o ritual sevilhano.


Não deixe de assistir a um show de tablado flamenco. Uma mistura de música árabe e dança cigana como tempero andaluz. As lojas com a indumentária são uma tentação! Tudo muito colorido e enfeitado, mas sem muita utilidade, a não ser nas festas à fantasia.

Existem vários tablados pela cidade, alguns mais ao estilo teatro, outros mais intimistas. Nossa experiência foi no minúsculo Los Gallos, na Praça Santa Cruz, antigo bairro da Judería. É um local tradicional que já teve bailarinos lançados ao estrelato nacional. Uma boa dica é o restaurante logo ao lado, La Albahaca, um ambiente mais refinado para um jantar a dois!


A visita a Sevilha não está completa sem um calmo recorrido aos Alcazares Reais, antiga residência dos reis espanhóis. Aqui pode-se ver toda a influência dos árabes: a arquitetura é claramente uma releitura, ou melhor, um mix de estilos. Aconselho a pegar um guia local para poder apreciar toda a riqueza deste complexo, cujos jardins fecham a visita com chave de ouro.

Leia as colunas anteriores de Mylene Rizzo:

Bodrum, Turquia

Pelas ruas de Toscana

Um cruzeiro encantado

Quem é a colunista: Mylene Friedrich Rizzo.

O que faz: Fala sobre história no curso "Encontros com Arte" e acompanha grupos de viagens culturais.

Pecado Gastronômico: doce de ovos.

Melhor lugar do mundo: é o próximo para onde vou viajar.

Fale com ela: mrizzo@terra.com.br ou acesse seu blog Viajando com Arte.




Atualizado em 6 Set 2011.

Mais notícias

15 museus ao redor do mundo para conhecer sem sair de casa

Viagens

13 museus sobre a história africana para visitar ao redor do mundo

Viagens

Veja a programação de blocos de Carnaval no Rio de Janeiro em 2020

Viagens

12 passeios imperdíveis em Bangkok, na Tailândia

Viagens

10 viagens internacionais perfeitas para fazer com os avós

Viagens

9 passeios imperdíveis para fazer em Caldas Novas, em Goiás

Viagens