Guia da Semana
Turismo
Por Redação Guia da Semana

Os milhões do Pan

Em meio a xingos e aplausos, a Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro investiu alto nos Jogos Pan-Americanos. Saiba em que se transformou toda a "dinheirama" aplicada no evento esportivo mais paparicado pelo Brasil nos últimos meses.

Menina dos olhos: inauguração do Engenhão
Foto: Jairo Goldflus

O que você faria com 1 bilhão e 200 milhões de reais? Enquanto você pensa em mansões na beira da praia, carros importados na garagem, festas luxuosas, plásticas no corpo e viagens ao redor do mundo, a Prefeitura do Rio de Janeiro vai ter gasto essa quantia até 29 de julho, data em que se encerra a 15ª edição dos Jogos Pan-Americanos - Rio 2007.

Obras, pagamento dos direitos de transmissão dos Jogos à ODEPA (Organização Desportiva Pan-Americana), realização de eventos preparatórios e contratação de consultorias internacionais são os itens dessa lista de ajustes que somará mais de um bilhão de reais até que o Pan literalmente desocupe a cidade.

Escolhido em 2002 para sediar o evento esportivo, o Rio de Janeiro já havia iniciado no ano anterior as adequações estruturais e organizacionais para os Jogos. Da pavimentação das ruas a repaginação dos complexos olímpicos: "o que é para o Pan é, antes de tudo, para o Rio", assegura a Prefeitura, que assumiu os custos com a organização do campeonato desde o princípio.

Há quem ache desnecessário gastar esse bilhão - dinheiro impalpável para a maioria da população brasileira - com um campeonato desse porte, enquanto se vê a miséria e o desemprego aumentarem a um palmo do nariz. Muitos acreditam na abertura de portas para o Brasil crescer socioeconomicamente, como já aconteceu com outros países que foram palco de jogos olímpicos como o Pan-Americano.

"Achismos" e históricos à parte, o investimento já foi realizado e os resultados são de cair o queixo. No total, 16 instalações esportivas fazem parte do complexo do Pan e estão divididas em quatro regiões: Barra da Tijuca, Deodoro, Pão de Açúcar e Maracanã. De acordo com a Prefeitura, 48% das adaptações realizadas nos locais de competição são permanentes e 52% temporárias. Confira abaixo o que foi estruturalmente modificado com parte do R$ 1,2 bilhão investido desde 2001:

Estádio Olímpico João Havelange
Investimento: R$ 380 milhões

Foto: PCRJ/ Jaime Silva
Popularmente conhecido como Engenhão, o estádio totalmente reformulado foi considerado uma "mega construção" pelo canal de televisão Discovery Chanel. Não é para menos: são 117 mil m² de área construída em 200 mil m² de área total, uma cobertura montada com 3.500 toneladas de aço, sustentadas por quatro arcos de dois metros de diâmetro cada.

Para facilitar o acesso dos 45 mil torcedores ao local, a Secretaria Municipal de Obras também construiu uma passarela que colocará 25 mil pessoas por hora dentro do Engenhão. Essa passagem liga a estação de trem ao estádio.

E mais...
? campo de grama natural para futebol feminino e masculino
? 9 raias completas para atletismo padrão internacional
? pista externa de aquecimento
? setor para salto com vara
? 2 setores para salto triplo
? 3 mil m2 de área para lojas
? 64 banheiros
? 25 bares
? 2 placares eletrônicos
? 2 telões de projeção
? sonorização e acesso wireless em todo o estádio
? praça de alimentação
? 16 cabines de rádio e 4 de televisão
? estacionamento com 1.350 vagas cobertas

Endereço
Rua Arquias Cordeiro, em frente à estação do Engenho de Dentro.

Cidade dos Esportes - Arena Multiuso
Investimento: R$ 119.137.426,53

Foto: PCRJ/ Jaime Silva
A reforma da arena recebeu um dos maiores investimentos depois do Engenhão. Os 64.954 m² de área construída abrigam uma infra-estrutura para competições de basquete, ginástica artística e trampolim acrobático. O espaço tem 12 mil lugares fixos, sendo 3 mil removíveis e 200 para a imprensa.

E mais:
? banheiros públicos
? restaurante, cafés e lanchonetes
? ambulatório
? acesso wireless

Endereço
Avenida Abelardo Bueno, s/n°.

Cidade dos Esportes - Parque Aquático Maria Lenk
Investimento: R$ 74.827.418,63

Foto: PCRJ/ Jaime Silva
Parcialmente coberto e composto por uma piscina olímpica, uma de aquecimento e um tanque de saltos ornamentais, o Parque Aquático tem 8 mil lugares, sendo 930 provisórios, e está adequado para receber portadores de necessidades especiais. Nessa instalação esportiva serão disputadas as modalidades natação, nado sincronizado e salto ornamental.

Para os nadadores, a grande novidade é a borda quebra-ondas das piscinas, que evita que os competidores das raias 1 e 8 (a primeira e a última, respectivamente) sejam prejudicados pelas marolas que se formam nesses locais. Agora, a água que bate na borda sai da piscina e escorre até um vão lateral.

Outro sistema implementado foi o de injeção de ar no tanque. Ele forma pequenas bolhas no fundo, responsáveis por diminuir o impacto do corpo do competidor no espelho d´água. Os saltadores também ganham vantagem na performance: um elevador os leva até as plataformas de salto, para que eles não se cansem subindo as intermináveis escadas.

E mais:
? cafés
? 4 lanchonetes
? grupos sanitários (4 masculinos e 4 femininos)
? ambulatório e posto médico
? fraldário
? sanitários para deficientes (4 masculinos e 4 femininos)

Endereço Autódromo de Jacarepaguá, na Cidade dos Esporte.

Cidade dos Esportes - Velódromo
Investimento: R$ 12.003.194,81

Foto: PCRJ/ Jaime Silva
Para estruturar a pista de 250 m de comprimento e 13m de largura do Velódromo, que sediará competições de ciclismo e patinação de velocidade, técnicos holandeses trouxeram de sua terra madeira siberiana, conhecida por ser resistente e de fácil manuseio. Com largura de 7 m para ciclismo e 6,5 para a patinação, a pista tem curvas de 42º e retas com angulação mínima de 12º. As dimensões internas são de 100m X 40m.

E mais:
? 11.431 m² de área construída
? 1.500 assentos fixos
? banheiros públicos
? bares e lanchonetes
? ambulatório

Endereço
Complexo Cidade dos Esportes

Centro Esportivo Miécimo da Silva
Investimento: R$ 2.464.835,19

Foto: PCRJ/ Jaime Silva
As obras no Miécimo concentraram-se no estádio de futebol e na quadra central multiuso. Nestes locais acontecerão as provas de karatê, patinação artística e também de velocidade, além de squash. O gramado do campo foi substituído, uma nova caixa de areia foi construída e os refletores de iluminação foram trocados. As arquibancadas (que acomodam 4 mil pessoas), os vestiários e a pista interna para aquecimento de atletismo passaram por reformas. Na quadra, parte do piso de madeira e do telhado foi trocada.

Endereço
Rua Olinda Ellis, 470 - Campo Grande

Cidade do Rock
Investimento: R$ 4.708.734,14

Para promover as competições de beisebol e softbol, a Prefeitura construiu um campo de gramado na Cidade do Rock, conhecida por ter abrigado legendários festivais de música. Provisórios, arquibancadas para 1.500 torcedores, banheiros químicos, tendas, mobiliário, comunicação visual, postes e refletores foram montados.

Endereço
Avenida Salvador Allende, esquina com Avenida Olof Palme - Barra

Morro do Outeiro
Investimento: R$ 1.959.769,32

O Outeiro teve seu terreno ajustado - movimento de terras e criação de pequenos aterros - para sediar o Centro Temporário de Mountain Bike e BMX (Bicycle MotoCross). Para que as provas de ciclismo pudessem acontecer, foram construídas as pistas de bici-cross em trilha no morro e a de BMX em área plana. Apenas 500 pessoas podem acompanhar a competição nas arquibancadas, que são provisórias como o sistema de sanitários, iluminação, comunicação visual, mobiliário e tendas.

Endereço
Estrada de Jacarepaguá, s/nº

Parque do Flamengo
Investimento: R$ 2.839.523,74

A tradicional maratona, que deu origem aos jogos olímpicos da antigüidade, não teria lugar melhor para acontecer. Com mais de 1 milhão m² de área verde, o Parque do Flamengo foi escolhido também para a marcha atlética e para o ciclismo de estrada. No trecho de percurso dos atletas, o asfalto danificado foi reparado, bem como as falhas na grama que circundam a via. Instalações temporárias, como assentos da platéia, sinalização, banheiros, iluminação, entre outros também fizeram parte das obras.

Endereço Avenida Infante Dom Henrique - Flamengo

Marapendi Country Club
Investimento: R$ 5.195.438,70

Palco das disputas de tênis da Copa Davis, uma das mais importantes do esporte, o Clube Marapendi ganhou, além das instalações provisórias (banheiros e iluminação, por exemplo), um acesso asfaltado pela rua principal interna, especial para os portadores de necessidades especiais. Os alambrados e vestiários do espaço esportivo passaram por reformas. Além disso, quatro quadras auxiliares (capacidade para 2 mil torcedores em cada) à principal (3.750 pessoas) foram instaladas temporariamente.

Endereço
Avenida das Américas, 3969 - a 5 km da Vila Pan-Americana


Estrutura viária e outros ajustes
Foto: PCRJ/ Divulgação

Segurança e trânsito
? Além da segurança, que será feita por uma equipe internacional especializada em eventos desse porte e pela polícia militar, o trânsito foi um item que preocupou a cidade. Pensando nisso, a Prefeitura construí o Anel Viário Prefeito Pedro Ernesto, que interliga as avenidas Ayrton Senna e Embaixador Abelardo Bueno.

? Foram gastos R$ 13,3 milhões com a obra, que visa agilizar o acesso dos torcedores que se deslocam da Zona Sul para a Linha Amarela (não é preciso fazer o retorno na Cidade de Deus) e da Linha Amarela para Jacarepaguá e Barra da Tijuca.Duplicada, a Abelardo Bueno facilitará também o deslocamento para o Autódromo, a Cidade do Rock e o Riocentro, locais de competição do Pan. A Avenida Ayrton Senna também foi alargada.

Água e enchentes
? Com R$ 2 milhões, a Subsecretaria de Águas Municipais da Prefeitura realizou obras para controlar os alagamentos na área que fica a 200 m do Riocentro e da Cidade dos Esportes. As manilhas dos Rios Pavuninha, Caçambê e Camorim foram substituídas por travessias largas, que melhoram o escoamento destes cursos hídricos quando chove.

? Para melhorar a qualidade da água do Rio Arroio Fundo - ele cerca a Vila Pan-Americana e deságua na lagoa da Tiuca- foi criada também a Unidade de Tratamento do Arroio Fundo, implantada na confluência da Linha Amarela com a Avenida Airton Senna, em Jacarepaguá. O investimento foi de R$ 23,2 milhões.

Postos de Salvamento
? Os 24 Postos de Salvamento do Leme ao Pontal passaram por reformas. R$ 2.730.564, 90 foram gastos com adequação de uso dos sanitários e chuveiros para portadores de necessidades especiais, além da recuperação de instalações sanitárias com troca de tubulações, coletores, ralos sifonados, caixas de inspeção, ramais de ventilação, limpeza de fossas, filtros e sumidouros e construção, caixas de detenção e acumulação; e das instalações hidráulicas, inlcuindo troca de reservatórios elevados, tubulações, ramais primários e secundários, registros, conexos e o sistema de recalque.


Fonte
Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro

Atualizado em 6 Set 2011.

Mais notícias

Chuva de meteoros será visível na noite desta quarta-feira

Turismo

Brasil estreia contra a Suíça na Copa do Mundo de 2018; jogo será no dia 17 de junho

Turismo

Agora você pode comprar passagens de ônibus no Guia da Semana – e pelo melhor preço!

Turismo

Hotéis Mercure oferecem descontos a seus hóspedes em ingressos de espetáculos dos teatros ‘Bradesco’ e ‘Opus’; saiba mais

Turismo

Disney divulga primeiras imagens do parque do Star Wars

Turismo

5 opções de hospedagens para quem vai curtir o Rock In Rio 2017

Turismo