Guia da Semana
Viagens
Por Redação Guia da Semana

Para o espaço, sem escalas

A agência norte-americana Virgin Galactic já vende passagens para a viagens ao espaço, a serem realizadas nos próximos anos.

Foto: Getty Images

Em 2001, o milionário norte-americano Dennis Tito pagou US$ 20 milhões (cerca de R$ 32 milhões) para ir ao espaço em uma nave russa. É considerado o primeiro turista espacial da história. Mas se você não tem essa dinheirama toda, fique tranqüilo, pois agora a agência norte-americana Virgin Galactic irá "popularizar" essas viagens. Apesar de não saber a data certa, por "modestos" US$ 200 mil (cerca de R$ 320 mil) já é possível reservar sua ida ao espaço.

A nave espacial será lançada do Aeroporto Espacial de Mojave, no deserto de Mojave, Califórnia. Ela é elevada até 15 mil metros por uma nave mãe, que se desprende e a partir daí é lançada até 106 mil metros de altura. Essa segunda fase da subida demora apenas 90 segundos, atingindo uma velocidade de três vezes superior a do som.

Logo após a altitude máxima da viagem, com a escuridão e a gravidade zero, a nave dobra as asas para preparar a reentrada na atmosfera terrestre, puxada pela gravidade da Terra. À medida que a nave espacial entra na resistência da atmosfera superior, as asas adaptáveis funcionam como travões aéreos, desacelerando a nave espacial para um pouso seguro. A 18 mil metros de altitude, as asas da nave espacial são reconfiguradas para a posição original, permitindo uma aterrissagem em vôo planado (sem recorrer à energia) no aeroporto espacial. Ao todo a viagem demora 2h30.

Preparação e segurança

Inicialmente a programação da Virgin contará com um vôo por semana. O impasse da data inicial continua, pois a fase de testes é grande. Eles começaram no final de 2007 e estão programados para terminar no máximo até 2010. A nave tem capacidade para seis passageiros e dois pilotos.

Três dias antes da viagem, os tripulantes se encontram no aeroporto espacial para a fase de preparação, que inclui uma simulação no Centro Nastar da gravidade zero. É importante lembrar que na nave é permitido que as pessoas saiam do lugar para "flutuar". A fase de preparação ainda está sendo desenvolvida por uma equipe de medicina e vôos espaciais, e incluirá um exame médico simples.

Dois criadores

Disléxico, Richard Branson abandonou a escola com 16 anos. Em 1970, aos 20, fundou a Virgin, mas o negócio dele não era viagens, muito menos para o espaço. A empresa era uma revendedora de discos em Londres que dois anos depois virou uma gravadora. Em 1992, depois de vários discos de sucesso, ele vendeu as ações do Virgin Music Group em um negócio de um bilhão de dólares, mas naquele momento a empresa já havia se expandido para várias áreas, notadamente as de viagens aéreas, hotéis e lazer.

O espírito aventureiro do britânico rendeu vários prêmios. O primeiro veio em 1986: seu barco foi o mais rápido da história a atravessar o Atlântico. Fanático por balões, ele tem vários recordes de velocidade, além de ter estado no primeiro balão de ar quente a atravessar o Atlântico. Por várias vezes tentou a volta ao mundo com balões, mas não obteve sucesso. Hoje, pode ser chamado de Sir Richard Branson, já que se tornou Cavaleiro da Rainha da Inglaterra, em 1999, por "serviços ao empreendorismo".

Porém, quem está por trás da construção das aeronaves da Virgin Galactic é Burt Rudan. Um dos engenheiros aeronáuticos mais famosos do mundo, ele é dono da Scaled Composites. Construiu a Global Flyer, a primeira nave a concluir um vôo de volta ao mundo sem reabastecimento de combustível e sem qualquer parada, em 2005. Também construiu a SpaceShipOne, a primeira nave da Virgin, que, depois de fazer três viagens ao espaço, está em exposição no Museu Smithsonian, em Washington. Agora ele trabalha na construção da SpaceShipTwo e na WhiteKnightTwo.

Como ir

São centenas de agentes de viagem da Virgin espalhados pelo mundo. No Brasil, quem faz as reservas é a Grande São Paulo Turismo, empresa associada ao Virtuoso - Associação Americana de Turismo de Luxo. As viagens custam US$ 200 mil (R$ 320 mil), sendo que a entrada é de US$ 20 mil (R$ 32 mil).

*Os preços podem ser alterados por mudanças de câmbio

Serviço:

Virgin Galactic

Grande São Paulo Turismo
Telefone: (11) 3231-4422 ramal 210


Atualizado em 6 Set 2011.

Mais notícias

10 destinos gastronômicos para conhecer em 2020

Viagens

8 passeios imperdíveis para fazer em Marselha, na França

Viagens

8 cidades próximas a São Paulo para passar o Natal 2019

Viagens

Conheça a cidade de Leuven, capital da cerveja belga

Viagens

8 passeios imperdíveis em Seattle, nos Estados Unidos

Viagens

10 passeios imperdíveis no bairro de Belém, em Lisboa

Viagens