Guia da Semana
Viagens
Por Redação Guia da Semana

Santo Amaro

Bairro que já foi até município do Estado de São Paulo, hoje reúne classe média alta e baixa.

Fotos: Gabriel Oliveira/ Guia da Semana
Estátua de Borga Gato na Avenida Santo Amaro


Tudo começou com uma aldeia de índios Guaianases, chefiada pelo cacique Cayubi. Com a chegada dos portugueses a região do bairro de Santo Amaro muita coisa mudou, principalmente a religião. Os lusitanos foram responsáveis pela denominação do local, pois doaram uma imagem do santo ao povoado, que foi instalada numa capela no ponto mais alto da região, hoje o Largo 13 de Maio. Foi ali que começou o vilarejo. Séculos depois, em 1832, o local se transformou em município, tinha até uma Câmara Municipal, e permaneceu assim até 1935, quando se juntou a São Paulo.

Na década de 70, diversas industrias se instalaram na região, que virou pólo comercial da zona sul da cidade. Depois de alguns anos, essas empresas se mudaram para o interior do Estado e, em seus lugares (em 1990), escritórios de multinacionais tomaram conta do distrito, o que trouxe mais modernidade e imigrantes de várias regiões do mundo, como Itália, Alemanha e Estados Unidos.

Atualmente, Santo Amaro é moradia da classe média baixa, com suas 43 favelas, mas também possui um dos metros quadrados mais altos de São Paulo, como na Chácara Flora, Granja Julieta, Jardim Petrópolis e Alto da Boa Vista. No centro histórico o comércio é vasto e as barracas azuis de ambulantes tomaram conta do local. As associações de moradores são muito atuantes no distrito e lutam pela preservação e conservação do bairro.

Onde passear

Diversão para a família interia, a Hípica Santo Amaro nasceu em 1935 e possui dois bosques repletos de fauna e flora da Mata Atlântica. Para quem gosta de bons livros encontra, na Biblioteca Presidente Kenedy um acervo de 36 mil exemplares. Além disso, o local oferece serviços de extensão cultural, como exposições artísticas e bibliográficas, apresentação de grupos teatrais e mostras de arte.

Falando em cultura, a Casa Manoel Cardoso de Mendonça funciona desde 1980, no antigo prédio do Mercado Municipal de Santo Amaro, oferecendo uma agenda fixa, com cadastramento de artistas, além de saraus, mostras e leituras. Um pouco da história de São Paulo pode ser vista na Estátua de Borba Gato, que tem mais 10 metros de altura e 20 toneladas.

Onde comer

Com a modernidade das multinacionais, Santo Amaro ganhou em muitas áreas. Uma delas é a gastronomia, que reúne diversas nacionalidades. A comida italiana está no Bella Dona e no Tomatto, a chinesa no China Lake e a norte americana no Hooters.

Quem não passa sem uma pizza, no Santa Marcelina tem mais de 100 sabores. Os amantes de carne podem ir ao Fogo de Chão e experimentar a especialidade da casa: o espeto corrido.

Onde comprar

O centro histórico ou Largo 13 de Maio, sem dúvida nenhuma, oferece a maior variedade de serviços e barraquinhas de camelôs. Nas avenidas Adolfo Pinheiro, Vereador José Diniz e Santo Amaro é possível encontrar os principais bancos.

Para comprar roupas e acessórios, nas ruas Manoel Borba e Adolfo de Mello você encontra muitas opções. Artigos de decoração estão na Rua Barão de Duprat.

Confira os serviços que Santo Amaro possui!

Atualizado em 6 Set 2011.

Mais notícias

Circuito das Águas Paulista é viagem próxima a São Paulo e perfeita para toda a família

Viagens

Conheça Bruges, a encantadora cidade medieval da Bélgica

Viagens

Rota romântica na Alemanha é perfeita para uma viagem a dois; conheça!

Viagens

7 passeios imperdíveis na cidade de Jaú, interior de São Paulo

Viagens

10 museus que todo amante de literatura precisa conhecer ao redor do mundo

Viagens

7 museus de figuras importantes brasileiras que você precisa conhecer

Viagens