Guia da Semana
Viagens
Por Redação Guia da Semana

Um dia em Belo Horizonte

O que fazer durante 24 horas na capital mineira.

Igreja São Francisco de Assis, um dos cartões postais de Belo Horizonte

Ter o prazo de 24 horas para conhecer Belo Horizonte. Seria possível, na terceia maior cidade do Brasil? Cercada pela Serra do Curral, a capital mineira possui variados pontos históricos, parques e museus. Um dos atrativos é a conhecida Feira de Arte e Artesanato da Afonso Pena, que acontece todos os domingos, reunindo vendedores, artesãos e turistas de diversas partes do Brasil e do mundo.

Estruturas arquitetônicas modernas, idealizadas por Oscar Niemeyer, como a Casa Baile e a Igreja de São Francisco de Assis localizam-se na região da Lagoa da Pampulha. Há bares, restaurantes e hotéis espalhados por todos os bairros. O Guia da Semana elaborou um roteiro para quem gostaria de passar um dia na cidade e conhecer algumas das principais atrações turísticas, com hospedagem, bares e casas noturnas.

Alguns dos acessos a Belo Horizonte são pelos Aeroportos Tancredo Neves (Confins) e Pampulha (opera vôos estaduais somente para Espírito Santo e Rio de Janeiro). A rodoviária, que se encontra na Praça Rio Branco é a porta de entrada para a Avenida Afonso Pena. Partindo de São Paulo, o motorista pega somente a Rodovia Fernão Dias, passando por toda a região Sul de Minas Gerais, até chegar a Belo Horizonte. Partindo do Rio de Janeiro, o acesso é pela rodovia BR040 que passa pelas cidades de Petrópolis, Juiz de Fora, Barbacena e Conselheiro Lafaiete (esse trecho possui três pedágios). A rodovia BR262 é o ponto de partida para quem sai da capital capixada. Para quem vem do Espírito Santo, tomar cuidado em alguns trechos da estrada que não estão em boas condições.

Vista das Palmeiras Imperiais no
Palácio da Liberdade.
Foto: Divulgação IEPHA
Durante o dia...

No meio da selva de pedra e no centro de Belo Horizonte está o Parque Municipal Américo Reneé Giannette. O local está aberto a partir das 6 horas da manhã e possui uma grande área verde, com jardins e roseiras. Encontram-se dentro do parque o Teatro Francisco Nunes e o Palácio das Artes. A partir das 8 horas, um dos maiores parques do país, o Parque das Mangabeiras está aberto, com atrações culturais, além de ser o abrigo de várias espécies de mamíferos e aves. O turista também aproveita e vai até o Mirante das Mangabeiras, perto do parque, onde terá uma visão geral da capital mineira.

No conhecido bairro da Pampulha estão localizadas estruturas arquitetônicas elaboradas por Oscar Niemeyer, como a Casa do Baile, construída em uma ilha artificial na Lagoa da Pampulha e a Igreja São Francisco de Assis. Outra estrutura desenhada por Niemeyer, o Museu de Arte da Pampulha está aberto das 9 às 21 horas. Inaugurado em 1956, o edifício funcionava como um cassino, fechado em 1946 devido às proibições de jogos. Continuando pelo bairro, o turista passa pelo Estádio Governador Magalhães Pinto, o Mineirão, aberto para visitação das 9 às 17 horas. Logo em frente está o Estádio Jornalista Felipe Drumond, o Mineirinho, também aberto para visitação no mesmo horário.

Muitos dos museus contam a história de Belo Horizonte, ou fizeram parte dela como o Museu Histórico Abílio Barrero, na Cidade Jardim, instalado em um antigo casarão. A Praça da Estação é outro ponto histórico e faz parte do acervo da cidade. O Museu de Mineralogia Djalma Guimarães, na Praça da Liberdade, possui amostras de minerais do Brasil e do mundo. Continuando pela Praça, aos domingos está aberto para visitação o Palácio da Liberdade, um dos símbolos históricos da capital mineira.

Foto: Fachada do Palácio da Liberdade.
Divulgação IEPHA

Localizado na divisa de Nova Lima e Belo Horizonte, o Alta Vila é um composto comercial e turístico. Encontram-se no local o restaurante americano Hard Rock Café, o Hoshi, especializado em comida japonesa, a cafeteria e uísqueria Sky Lounge e os espaços para eventos Bela Vista Convention e Boate Alta Vila. O Alta Vila chama a atenção por sua torre de 101 metros de altura que proporciona ao turista uma visão panorâmica da cidade. No bairro Funcionários está a Praça da Savassi. Conhecida por ser palco de encontros políticos, na década de 40, hoje a praça é ponto de encontro de jovens, devido a grande quantidade de bares e restaurantes encontrados na região.

Além dos shoppings espalhados por Belo Horizonte, as feiras também são um atrativo comercial e turístico para a cidade. A Feira de Arte e Artesanato da Afonso Pena (conhecida entre os mineiros somente como "Feira de Belo Horizonte") acontece todos os domingos. Considerada como uma das maiores da América Latina e com um quilômetro de extensão, o preço baixo atrai turistas do mundo inteiro. Outra feira popular da cidade é a Feira Tom Jobim, que acontece aos sábados. Ideal para colecionadores, uma parte possui somente venda de antiguidades, enquanto a outra é um festival gastronômico, com bebidas e comidas típicas de diversas regiões do Brasil. O Mercado Central mistura turismo e comércio. Com mais de 400 lojas, são encontrados objetos de decoração, animais, artigos religiosos e alimentos.

Torre de 101 metros.
Foto: Divulgação Alta Vila
Durante a noite...

Os bares e casas noturnas de Belo Horizonte possuem ambientes descontraídos e para todas as idades. O Graças a Deus, no bairro São Pedro, é ideal para reunir os amigos, conhecer novas pessoas em seus três ambientes, ao som de ritmos como samba rock e pop rock. Na rua Pium-í, bairro Anchieta, localiza-se o Albano´s, especialista em chope cremoso. Se a idéia é ir para um local mais calmo, porém descontraído, o ambiente do Café Com Letras é composto por livraria, cafeteria, bar e jardim de inverno.

A decoração do Em Nome do Santo é inspirada nos pubs londrinos. O local possui dois andares, com pista de dança, lounge e mesas de sinuca. O bairro Savassi possui diversos locais para quem gosta de música ao vivo e dançar. O Vinnil Cultura Bar oferece shows dos mais variados estilos musicais. Já o Zep Tep é ideal para os apreciadores de flashbacks a partir da década de 60.

Mineirão e Mineirinho.
Foto: Divulgação ADMEG

Onde Comer?

Todos os bairros de Belo Horizonte oferecem restaurantes para todos os gostos. Ir a capital mineira e não experimentar a típica comida da região, é a mesma coisa de não ter ido. O restaurante Dona Lucinha leva o cliente para as típicas fazendas do interior do estado, com uma decoração rústica, cheia de selas e berrantes. O cardápio possui duas especialidades: à base de caldos e tropeiros. Outra opção de restaurante mineiro é o Maria das Tranças, que serve o tradicional frango ao molho pardo, acompanhado de angu, quiabo, farofa e cebola.

A culinária em Belo Horizonte valoriza o cardápio, mas também se destaca pela decoração. No restaurante O Barco, a decoração reproduz o formato de um navio, com salva-vidas, botes e outros objetos típicos de uma embarcação. No cardápio, pratos à base de peixes e frutos de mar. Agora, se a opção é comida estrangeira, no Aconchego Bar do Alemão, os pratos são todos típicos da culinária alemã. Para os amantes da comida japonesa, a sugestão do Sushi Naka é a lula na manteiga. No Savassi, o ambiente tranqüilo do Ah! Bon funciona como restaurante, cafeteria, pâtisserie e chocolateria. O Speciali Pizza Bar serve pizzas e saladas de segunda a sexta e nos finais de semana, massas recheadas. No Centro, a histórica Cantina do Lucas, localizada dentro do Edifício Maleta, é o segundo bar tombado como patrimônio cultural no Brasil. Uma das sugestões da casa é a simples picanha com batatas fritas.

Museu Histórico Abílio Berreto.
Foto: Gilvan Rodrigues
Onde ficar?

Se a idéia é ficar na Avenida Afonso Pena, o Quality Afonso Pena, pertencente ao grupo Atlantica Hotels International, está com tarifas a partir de R$ 150,00 reais, com café da manhã e estacionamento. No bairro Lourdes, as diárias do Mercure, do grupo Accor Hotels, estão em torno de R$ 169,00, com café da manhã opcional. O Ouro Minas Palace, no bairro do Ipiranga, localiza-se próximo a pontos comerciais da cidade, como o Minas Shopping, Minas Casa e Shopping Hot Point.

O Liberty Palace está localizado a cem metros da Praça da Savassi, com apartamentos para não fumantes e room service 24 horas. Para os que querem pagar menos e ficar perto dos cartões postais de Belo Horizonte, na Pousada Sossego da Pampulha, a diária está R$ 95,00, com café da manhã, banho e roupa de cama inclusos.




Belo Horizonte
Localização: Região Sudeste

População: 2.412.937 habitantes*.

Região Metropolitana: 4.934.210 habitantes*.

Área: 330,90 quilômetros quadrados*.

Cartão Postal da Cidade: Igreja São Francisco de Assis (Pampulha).
Padroeira da cidade: Nossa Senhora da Boa Viagem.

Curiosidades: Belo Horizonte foi a primeira cidade planejada no Brasil, projetada pelo engenheiro Aarão Reis. A construção foi finalizada em 1897, ano que a cidade se tornou capital de Minas Gerais. Nessa época, os engenheiros idealizadores previam que, com cem anos, a cidade teria cerca de 200 mil habitantes. Hoje a população da capital mineira passa dos dois milhões.

Belo Horizonte fica a distância de 716 quilômetros de Brasília, 586 km de São Paulo, 444 km do Rio de Janeiro e 535 km de Vitória, no Espírito Santo.

*Informações da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte.


Atualizado em 6 Set 2011.

Mais notícias

Conheça a cidade medieval de Füssen, na Alemanha

Viagens

Conheça Panama Beach City, destino com praias paradisíacas e muita natureza na Flórida

Viagens

9 passeios imperdíveis em Alfama, bairro tradicional de Lisboa

Viagens

9 castelos incríveis para conhecer na Alemanha

Viagens

Águas de Lindóia é destino perfeito para uma viagem em família; veja passeios imperdíveis por lá

Viagens

9 passeios imperdíveis para fazer em Gent, na Bélgica

Viagens