Guia da Semana
Viagens
Por Redação Guia da Semana

Um dia em Salvador

O que fazer em apenas 24 horas na capital da Bahia.

Foto: Bahiatursa
Vista aérea

Alegria. É isso que você encontra em Salvador, com seu povo hospitaleiro e um jeito de falar cadenciado. As miscigenações cultural e religiosa também são peculiaridades dos baianos. Mas o que aproveitar melhor na capital em apenas um dia? As praias, as festas que aparecem em qualquer lugar, o centro tombado pelo patrimônio histórico ou as centenas de igrejas e templos? O Guia da Semana alerta: você pode querer ficar mais do que 24 horas na cidade!

A maneira mais fácil de se chegar a Salvador é via aérea. O Aeroporto Internacional de Salvador Luis Eduardo Magalhães tem 80 vôos regulares diários para todas as capitais do Brasil, principais cidades brasileiras e alguns municípios baianos, além de cerca de 32 vôos internacionais semanais com destino a 18 cidades de 13 países.

Passeio no Centro

O tour por Salvador deve começar pelo Centro Histórico. Inteiramente tombado pela Unesco, são centenas de igrejas e casarões dos séculos XVI, XVII e XVIII, que fazem parte da história do Brasil. O destaque é o Pelourinho, região do centro onde há museus, bares, restaurantes, igrejas, praças, lojas de roupas e artesanato. As casas são coloridas e de arquitetura barroca. Lá está a Fundação Casa de Jorge Amado, museu que conta a vida do famoso romancista baiano. O turista já pode começar a fazer as compras ali, no Shopping do Pelô.

O resto do centro também vale a pena ser conhecido. O Elevador Lacerda é o grande marco visual de Salvador. Construído por Antônio Lacerda em 1873, hoje ele tem quatro cabines e interliga os 72 metros da praça Tomé de Souza, na Cidade Alta, à Praça Cayru, na Cidade Baixa. Tem uma vista panorâmica da cidade.

Vale a pena conhecer o lugar mais antigo da cidade, a praça Municipal. Hoje, está localizada à frente do Paço Municipal, reformado inúmeras vezes ao longo da história. No interior, está uma pequeno pátio que remonta a tradição romana adotada em Portugal. O paço abriga a mais antiga Câmara Municipal do País, junto com um memorial. A modernidade é vista pelo Palácio Rio Branco, erguido no século XX. No seu interior, existe uma escadaria em ferro e cristal e uma escultura representando Tomé de Souza, o fundador da cidade.

A religião é um capítulo à parte. Ela está retratada no Terreiro de Jesus e no Largo do Cruzeiro de São Francisco. Lá há a Catedral Basílica e as igrejas da Ordem Terceira de São Domingos, Igreja e Convento de São Francisco e a Igreja da Ordem Terceira de São Francisco. Perto também está a primeira Faculdade de Medicina do país, onde também funcionam os museus Memorial da Medicina, de Arqueologia e Etnologia e o Afro-Brasileiro.

Mais um conjunto religioso é formado pela Igreja e Convento de Nossa Senhora do Carmo (onde há um museu de arte sacra) e pela Igreja da Ordem Terceira do Carmo, as duas no Largo do Carmo. Estão ao lado do Forte de Santo Antônio Além do Carmo, construído no século XVII para proteger o acesso norte da cidade pelos soldados da Companhia das Índias Ocidentais (mercadores holandeses), vindos em 1638.

Com uma média de 3 mil visitantes por dia, a Igreja do Bonfim é o templo mais procurado da Bahia. Além dos pedidos pela fita, a igreja também possui uma sala dos milagres.

Aproveite também para fazer compras no Mercado Modelo, que reúne artesanato e lembranças típicas de Salvador. Vale a pena andar um pouco pelo dois andares e pechinchar por bons preços até conseguir tudo que quer.

Praias

Chegou a hora de aproveitar as praias. As mais centrais são a Praia da Barra e a Praia Porto da Barra. Esta foi o local onde Tomé de Souza desembarcou, em 1549, para fundar a cidade. As duas são concorridas por possuírem águas calmas e transparentes, ideais para o banho de mar, mergulho, natação e pesca. Na praia da Barra está localizado um dos cartões-postais da Bahia, o Farol da Barra, além do seu calçadão ser um dos mais concorridos para prática de corrida. É ali que se inicia o circuito Osmar, um dos mais famosos do carnaval baiano, também conhecido como Barra-Ondina.

Porém, as praias não são as grandes atrações da capital. Por conta da ocupação urbana, principalmente as mais centrais costumeiramente tem suas águas impróprias para banho. A dica se quiser curtir uma boa água é a Praia do Forte, porém ela fica a 80 km da capital, portanto não sobrará muito tempo para aproveitar o resto das suas 24 horas.

Mas se o seu negócio não é agitação, há duas ilhas à frente da parte central de Salvador que são verdadeiros paraísos ecológicos: Ilha de Maré e Ilha dos Frades. Lá vivem povoados de caçadores e, apesar de as ilhas não terem muita infra-estrutura para o turista, é um bom lugar para apreciar e adquirir peças de artesanato.

Noite

Depois das 21h, as calçadas de Salvador são invadidas por mesas e cadeiras dos bares que tocam MBP, axé e forró. Os shows vão se estendem por toda a parte central da ilha. Passam por Pelourinho, principalmente no Largo Teresa Batista, até as praias de Barra, Ondina e Rio Vermelho, este conhecido como bairro boêmio.

Nada tem hora para acabar. Se quiser lugares para dançar, as principais casas são a Lotus, o Fashion Club e o Satélite Bar.

Onde comer

A culinária baiana tem influência européia, africana e indígena. Porém, a comida considerada típica é o acarajé, vendido em tabuleiros pelas baianas. São mais de 4 mil baianas espalhadas por todos os bairros de Salvador, que fazem parte da Associação das Baianas de Acarajé de Salvador (ABA), inclusive homens. Como cada habitante tem sua própria baiana de acarajé preferida, o Guia da Semana deixa para o próprio turista escolher a "sua baiana" quando chegar lá.

Para comer mais do que um quitute, a cidade conta com restaurantes de diferentes cozinhas. Casquinha de siri e caldeirada de frutos do mar são os pratos mais pedidos. Os mais famosos da cidade são o Soho, de culinária japonesa, e o Amado, com vista para a marina de Salvador. Outras dicas são o Coliseu, no Pelourinho, Yemanjá, que tem os preços um pouco altos, e o Maria Mata Mouro, que tem o atendimento lento, mas vale a pena esperar. Se quiser uma carne, a opção é o Rincão Gaúcho, que a oferece de vários tipos.

Onde Ficar

Existem inúmeras pousadas nas praias mais tranqüilas de Salvador, mas os principais hotéis estão próximos do centro histórico. Por exemplo, o Colonial Chile Hotel, está a 80 metros do Pelourinho. As diárias estão a partir de R$ 160,00 por pessoa. Também próximo do centro e da Barra está o Hotel Bahia do Sol, com diárias a partir de R$ 120,00. Fora desse eixo, o Corsário Praia Hotel está localizado a apenas 20 metros da tranqüila Praia dos Artistas, próximo do Aeroclube. As diárias estão a partir de R$ 80,00.

Raio X de Salvador
Região: Nordeste
Área: 706,799 quilômetros quadrados
População: cerca de 2,8 milhões
Clima: Tropical Atlântico
Temperatura média: 26ºC
Curiosidade: Cajazeiras, no subúrbio de Salvador, é o maior bairro da América Latina. Atualmente tem cerca de 600 mil habitantes e foi um conjunto habitacional que teve sua construção iniciada no governo de João Durval para abrigar construtores da época. Foi concluída no governo de Antonio Carlos Magalhães.


Atualizado em 6 Set 2011.

Mais notícias

8 passeios imperdíveis para fazer em Marselha, na França

Viagens

8 cidades próximas a São Paulo para passar o Natal 2019

Viagens

Conheça a cidade de Leuven, capital da cerveja belga

Viagens

8 passeios imperdíveis em Seattle, nos Estados Unidos

Viagens

10 passeios imperdíveis no bairro de Belém, em Lisboa

Viagens

Conheça a cidade medieval de Füssen, na Alemanha

Viagens