Guia da Semana
Viagens
Por Redação Guia da Semana

Viagem pede mais viagem!

Com os programas de milhagem das companhias aéreas, os passageiros que mais viajam podem ganhar até passagens inteiras com os bônus acumulados.

Foto: www.openphoto.net

Ir para a Europa ou para os Estados Unidos de graça. Pode parecer um sonho para alguns, mas quem viaja muito pode conseguir essa proeza através dos programas de milhagem das companhias aéreas. Você viaja e acumula milhas para ter descontos nas próximas passagens ou usá-las para subir para a primeira classe e viajar com mais conforto.

Atualmente, duas empresas brasileiras dão descontos para os passageiros que viajam muito, a Varig e a TAM. As promoções das companhias aéreas evoluíram e dão diversas opções para o acúmulo de milhas, não só as viagens. Hotéis, empreendimentos imobiliários, instituições financeiras, locadoras de automóveis, assinaturas de jornais e revistas, lojas virtuais, perfumarias, postos de combustível, seguradoras, restaurantes, cursos e serviços de telecomunicações já fazem parte do dia-a-dia das empresas como bônus para conseguir milhas.

Foto: www.morguefile.com
Com base na International Airline Transportation Association (IATA), cada milha tem 1.609 metros. Inscrevendo-se nos programas de milhagem, a cada viagem feita acumula as milhas percorridas. Para contá-las, deve-se apresentar o cartão correspondente ao programa de milhagem da companhia no ato da compra da passagem e também no ckek-in. É bom lembrar que os programas de milhagem das companhias não são interligados, portanto as milhas de uma não valem para outra, a não ser entre companhias parceiras expostas no regulamento.

Na Varig, pelo programa Smiles, uma passagem de classe econômica para a Europa custa 70 mil milhas, para os Estados Unidos, 50 mil milhas, para o Caribe, 30 mil milhas, e para qualquer país dentro da América do Sul, 20 mil milhas. Na empresa, você acumula, além dos bônus, exatamente o número de milhas correspondentes a distância entre origem e destino, sem contar escalas. Por exemplo, uma viagem de São Paulo a Florianópolis em classe econômica tem 320 milhas. Na classe executiva, somam-se as milhas voadas e mais um bônus de 25%. Na primeira classe, soma-se 50%. Os bônus são contados em compras por cartões de créditos cadastrados. 1 dólar vale 1,2 milha. A validade das milhas é de três anos. Caso suas milhas não tenham sido contadas, você tem seis meses para reivindicá-las.

A TAM possui o Programa Fidelidade, que segue na mesma linha das milhas, porém a contagem é por pontos. Criado em 1993, é o mais antigo do Brasil. Você precisa de 10 mil pontos para ir, de classe econômica, a qualquer país da América do Sul em qualquer época do ano. Pagando esse tipo de viagem, você acumularia mil pontos para realizar uma próxima. Em viagem para os EUA, você acumula 5 mil pontos. São necessários 20 mil pontos em baixa estação ou 30 mil em alta estação para fazer esta mesma viagem "gratuitamente" por meio do programa. Para cada passagem a Europa, são computados 6 mil pontos, sendo que são necessários 30 mil em baixa estação e 40 mil em alta estação para viajar pelo programa. Sem gastá-los, os pontos ficam na sua conta por dois anos.

Foto: www.sxc.hu
A TAM também oferece outros outras formas de conseguir pontos, desde cerca de 500 pontos gastos em perfume até 1,2 mil pontos por uma assinatura anual de jornal. A cada R$ 1 gasto em compras com o cartão de crédito TAM, recebe-se 1,33 ponto. Os parceiros da TAM para conseguir pontos são American Airlines, Air France, Grupo TACA e TAP.

O Programa Fidelidade só permite as compras de passagens com os pontos acumulados entre 15 de março e 31 de maio ou de 16 de agosto a 30 de novembro. Nos outros períodos, é permitida, desde que as passagens sejam de ida e volta em vôos da companhia.

Problemas

Caso o ocorra um upgrade (mudança para classe superior) involuntário, o passageiro receberá o crédito em milhas correspondente à classe efetivamente paga. No caso de um downgrade (mudança para a classe inferior) involuntário, o passageiro receberá o crédito em milhas correspondente à classe efetivamente voada, pois as companhias se dispõem a dar reembolso da diferença do preço da passagem.

A crise aérea no Brasil este ano foi grande e pode voltar nas próximas férias. Muitas pessoas foram vítimas do overbooking (venda de passagens acima da capacidade do avião) e foram reacomodadas em outros vôos, às vezes não com a distância original. Caso isso ocorra, o que vale para os programas de milhagem são as milhas relativas aos trechos originalmente contratados.

As companhias normalmente limitam o número de assentos destinados a quem usa o programa de milhagem para compra da passagem. Por isso, o ideal é que a reserva seja sempre antecipada para quem viaja com os pontos.

Serviço:

Varig - Serviço Smiles
www.smiles.com.br

TAM - Programa Fidelidade
www.tam.com.br


Atualizado em 6 Set 2011.

Mais notícias

Conheça a cidade de Leuven, capital da cerveja belga

Viagens

8 passeios imperdíveis em Seattle, nos Estados Unidos

Viagens

10 passeios imperdíveis no bairro de Belém, em Lisboa

Viagens

Conheça a cidade medieval de Füssen, na Alemanha

Viagens

Conheça Panama Beach City, destino com praias paradisíacas e muita natureza na Flórida

Viagens

9 passeios imperdíveis em Alfama, bairro tradicional de Lisboa

Viagens