Guia da Semana

5 escritores incríveis e polêmicos para ler

Saiba mais sobre o estilo da escrita e os motivos pelos quais determinados autores foram questionados e apontados

Alguns escritores, além de terem feito história com seus pensamentos inovadores e escritas peculiares, produziram obras que ficaram marcadas e, ao mesmo tempo, tornou cada um deles extremamente polêmicos. Seja pelo comportamento, pela escrita, pelos assuntos abordados ou por tudo isso junto, o fato é que ficaram ainda mais conhecidos e, sim, foram reconhecidos.

Assim, apesar de duramente criticados, apontados e julgados, são escritores que, com certeza, valem a leitura. Por isso, o Guia da Semana lista 5 deles que você precisa saber mais a respeito. Confira:

SIGMUND FREUD

Sigmund Freud foi um médico neurologista, criador da psicanálise e um dos maiores pensadores que a humanidade já teve. Austríaco, desenvolveu teorias sobre sonhos, sobre a relação entre pais e filhos, sobre a sexualidade infantil e muitas outras, revolucionárias e, sem dúvidas, extremamente polêmicas. Assim, Freud documentou tudo em escritos e livros, tornando-se um escritor reconhecido, pela clareza com que escrevia sobre assuntos tão complexos e intensos e, ao mesmo tempo, um autor questionado. 

Dica de livros: A Interpretação dos Sonhos, Luto e Melancolia. 

CHARLES BUKOWSKI

Bukowski foi um escritor e poeta alemão que chocou - e encantou - o público com seu estilo único e peculiar. Dono de uma escrita obscena, que narra porres memoráveis, relacionamentos baratos e muitas de suas relações conflituosas e sexuais. Foi claramente influenciado por Dostoiévsky, pelo pessimismo, e Ernest Hemingway, pelas frases curtas e palavras simples, ficando conhecido como poeta sujo.

Dica de livros: Mulheres, Cartas na Rua e O Amor é um cão dos diabos. 

NELSON RODRIGUES

Ainda na escola, Nelson Rodrigues ganhou um concurso de redação com um tema sobre adultério. Já adulto, bordava temas delicados para a sociedade da época e, até mesmo, para a sociedade atual. Escrevia sobre assuntos que estavam cobertos por véus que ele, tão bem, soube retirar. Nelson tocava nas feridas sem dó nem piedade e também falava sobre suas imperfeições.

Dica de livros: Meu destino é pecar, O Casamento e O homem proibído.

HUNTER S. THOMPSON

Conhecido pelo seu estilo de escrita extravagante, o jornalista Hunter Thompson criou o Jornalismo Gonzo, que une-se ao estilo literário e retira as fronteiras entre o escritor e o relato. Conhecido como lenda da contracultura, escrevia completamente entorpecido de diversos tipos de droga, sempre em primeira pessoa e fugindo das estruturas convencionais. Assim, misturava alucinação com realidade, ficção com fatos e informações imprecisas. 

Dica de livros: Medo e delírio em Las Vegas e Rum: Diário de um jornalista bêbado e 

DAN BROWN

Praticamente todos os livros do escritor geraram polêmica (e debates eternos), mas, principalmente, os que abordam temas religiosos. O motivo? As revelações, até então confidenciais. A repercursão é tanta que sempre que Dan lança um livro, muitos outros para debater, retrucar e questionar suas teses são lançados na sequência. 

Dica de livros: Código da Vinci, Anjos e Demônios e O Símbolo Perdido.

Atualizado em 18 Dez 2015.

Por Nathália Tourais
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA

6 motivos para visitar a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano em SP (e nem perceber que está na capital)

Local une arte, cultura, lazer, arquitetura e natureza, fazendo com que o visitante esqueça que está em SP

13 grafites em SP que todo mundo que ama arte deveria ver pessoalmente

Confira obras espalhadas pela cidade que merecem sua atenção

Na Semana da Criança, uma selfie vale um passaporte nos museus de SP; entenda

Para participar, é só postar foto com uma criança no Facebook com a hashtag #MuseusSP e apresentar na bilheteria da Pinacoteca, Casa das Rosas ou do Museu da Imigração

Unibes Cultural oferece programação especial e gratuita para o mês das crianças

Evento acontece até dia 31 de outubro e comemora o Mês das Crianças