Guia da Semana

A bossa continua nova

O mundo inteiro conhece o estilo e, quando se fala de Brasil, lembram de João Gilberto e de Tom Jobim

Foto: Getty Images

É só falar Bossa Nova para lembrar do Maestro Tom Jobim, João Gilberto e por aí vai. Grandes músicos que criaram um estilo musical marcante, único e enriquecido pelas letras de Vinicius e Chico. A Bossa Nova surgiu para quebrar barreiras, uma novidade tão grande que somente músicos estudados podem tocar. Afinal, não é todo mundo que conhece os acordes e "diminutas", e o ritmo insiste em ficar sempre no contra-tempo, entre outras particularidades.

A Bossa Nova continua marcando gerações. Vira e mexe, as letras mais famosas, os versos marcantes aparecem em nicknames no MSN e Orkut. Alguns ainda falam que escutam só para parecem mais inteligentes, causarem boa impressão. Bobeira. Quem escuta Bossa Nova tem bom gosto, sabe diferenciar um mero sambinha de uma obra-prima. Nada contra os outros estilos musicais. Mas a Bossa Nova tem que ser respeitada.

Esse estilo tem tanta importância para o Brasil, que foi o único a falar as verdades do nosso país nas entrelinhas, quase em mensagens subliminares, o único que se preocupou com o futuro político e social. Coisa de gênio. Coisa de que tem as palavras na mão e no coração. Por isso, muita gente não entende o que é cantado e não fazem nenhuma questão de se informar. Uma pena, pois não irá aproveitar Tom, Vinícius e Toquinho juntos na Itália. Nem João Gilberto ao vivo em uma rara apresentação.

Bossa Nova é tão brasileiro que é difícil ver um americano tocar um samba no violão. Aliás, se alguém vir, me avise. Quero dar algumas risadas. E tem outra: o único que se arriscou foi Frank Sinatra. Mas ele era Frank Sinatra e estava acompanhado de Tom Jobim. É como jogar com Pelé, Ronaldo, Romário, Rivelino e Garrincha.

Falar de Bossa Nova é tão difícil quanto escrever uma música, ou compor uma harmonia suave e marcante. É muito mais que um riff de guitarra, ou alguns acordes de piano e violão. Bossa Nova é inventar e reinventar. Tomar um bom uísque e olhar para uma praia de forma diferente. Analisar a beleza feminina na sua alma. É buscar o novo. Sim, a Bossa continua nova.

Quem é o colunista: Fernando Segredo.

O que faz: Redator Publicitário.

Pecado gastronômico: Comida italiana ou japonesa.

Melhor lugar do Brasil: Os lugares que ainda não conheci.

O que está escutando em seu mp3, iPod ou no carro: Dave Matthews Band, João Gilberto, Vanessa da Mata

Fale com ele: fsegredo@gmail.com ou acesse seu blog

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA

6 motivos para visitar a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano em SP (e nem perceber que está na capital)

Local une arte, cultura, lazer, arquitetura e natureza, fazendo com que o visitante esqueça que está em SP

13 grafites em SP que todo mundo que ama arte deveria ver pessoalmente

Confira obras espalhadas pela cidade que merecem sua atenção

Na Semana da Criança, uma selfie vale um passaporte nos museus de SP; entenda

Para participar, é só postar foto com uma criança no Facebook com a hashtag #MuseusSP e apresentar na bilheteria da Pinacoteca, Casa das Rosas ou do Museu da Imigração

Unibes Cultural oferece programação especial e gratuita para o mês das crianças

Evento acontece até dia 31 de outubro e comemora o Mês das Crianças