Guia da Semana

A volta dos que não foram

The Smashing Pumpkins, Genesis e The Police estão de volta. Agora ninguém mais vai sentir saudade de Sting cantando Tom Jobim e Phil Collins a música tema do Tarzan



Em menos de um ano, quem gosta de boa música pôde conferir o retorno de três grandes bandas que deixaram seus nomes inscritos na história do rock. Genesis, The Police e The Smashing Pumpkins saíram do ostracismo para reviver sucessos que marcaram três épocas distintas sem ficar datados.

Todos juntos

Depois de aparar as arestas com seus companheiros, Sting presenteou os saudosos fãs do The Police com um retorno definitivo aos palcos. A banda já havia se reunido em ocasiões especiais e eventos beneficentes, ensaiando uma possível volta, o que não havia se concretizado até então. Agora, Andy Summers e Stewart Copeland se juntam ao baixista e vocalista para trazer de volta sucessos que marcaram as décadas de 70 e 80.

Rumores indicam The Police no Brasil
A notícia é boa na medida em que a carreira solo de Sting há muito girava em falso. Após andar para cima e para baixo pela selva amazônica ao lado do cacique Raoni e se fascinar com as benesses da ioga, o líder do Police caiu na maldição de requentar os clássicos de sua ex-banda. Ainda que tenha lançado algumas canções espertas como English Man In New York, seu futuro não parecia nada inventivo. Ao lado do Police, Sting deu uma bela contribuição para a música pop, combinando baladas new wave com um grave acento reggaeiro.

Viajando ao redor do mundo, o trio britânico deve arrastar multidões para seus concertos. Com um repertório repleto de hits como Every Breath You Take, Wrapped Around Your Finger, Every Little Thing She Does Is Magic, Roxane e Message In A Bottle, nem o mais fanático vai sentir falta de Sting interpretando o clássico de Tom Jobim Insensatez.

Sem Peter

Genesis: sem Gabriel. E sem Tarzan
Quem também decidiu regressar às origens é Phil Collins, que juntou os instrumentos com Tony Banks e Mike Rutherford para celebrar o ressurgimento do Genesis, banda que marcou os anos 70. Entretanto, Peter Gabriel, cérebro do grupo, decidiu não embarcar na aventura, desejando apenas boa sorte aos ex-companheiros. Perda significativa, Gabriel era o homem por trás da onda progressiva que catapultou a carreira do grupo britânico, além de ser um músico de mão de cheia, respeitado pelos maiores nomes do cenário.

Os fãs mais radicais podem sentir falta de Peter Gabriel, mas ao ouvir os primeiros acordes de músicas como Land Of Confusion ou Invisible Touchninguém vai lembrar de Phil Collins cantando o tema de Tarzan, You´ll Be In My Heart.

Vencido pelo cansaço

Toda vez que Billy Corgan subia aos palcos ao lado de sua antiga banda, o Zwan, ou mesmo sozinho, ouvia algumas dezenas de fãs histéricos implorando para que tocasse Perfect, Today, Disarm ou 1979, hinos do Smashing Pumpkins, grupo que liderou até finais de 2000. Cansado de lidar com seus próprios fantasmas, Corgan baixou a guarda e anunciou o tão aguardado retorno dos Pumpkins. De quebra, entrou em estúdio ao lado dos novos membros, o baixista Ginger Reyes e o guitarrista Jeff Schroeder, lançando há poucas semanas o álbum Zeitgeist.

Corgan: shows lotados e ingressos caros
Distante do movimento grunge que tomou de assalto a primeira metade dos anos 90, o Smashing Pumpkins firmou-se como uma das maiores bandas da década. Discos magistrais como Siamese Dream, Mellon Collie And The Infinite Sadness e Adore figuraram entre os mais bem aceitos pela crítica, alçando a banda à condição de ícone de um público acostumado com nomes de qualidade como Sonic Youth, The Jesus And The Mary Chain e The Stone Roses. Corgan e seus companheiros eram capazes de compor baladas tocantes como Perfect, Stand Inside Your Love e Tonight, Tonight ao mesmo tempo em que disparavam dínamos como Everlasting Gaze e Bullet With Butterfly Wings.

A volta de Corgan aos palcos ao lado do Smashing Pumpkins sem dúvida deve ser comemorada, mas vale ressaltar a ausência do guitarrista James Iha e da baixista Darcy Wretzky, fundamentais na história e evolução na banda. Entretanto, os fãs parecem não se importar muito com as alterações na atual formação, fato que pôde ser comprovado nas recentes apresentações do grupo, marcadas por disputas acirradas por ingressos e multidões dispostas a pagar uma bela quantia pelas entradas.

The Smashing Pumpkins: um dos nomes que fizeram os anos 90


Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA

6 motivos para visitar a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano em SP (e nem perceber que está na capital)

Local une arte, cultura, lazer, arquitetura e natureza, fazendo com que o visitante esqueça que está em SP

13 grafites em SP que todo mundo que ama arte deveria ver pessoalmente

Confira obras espalhadas pela cidade que merecem sua atenção

Na Semana da Criança, uma selfie vale um passaporte nos museus de SP; entenda

Para participar, é só postar foto com uma criança no Facebook com a hashtag #MuseusSP e apresentar na bilheteria da Pinacoteca, Casa das Rosas ou do Museu da Imigração

Unibes Cultural oferece programação especial e gratuita para o mês das crianças

Evento acontece até dia 31 de outubro e comemora o Mês das Crianças