Guia da Semana

Atrás das grades

De Belo a Mick Jagger, Guia da Semana destaca alguns dos artistas que viraram casos de polícia

Por Humberto Baraldi

Divulgação
Mick Jagger, James Brown e Diana Ross já foram parar na cadeia

Tráfico de drogas, agressão contra a mulher, atos obscenos em banheiros públicos. Por dia, as delegacias recebem milhares de denúncias como estas. Se ainda há quem pense que os criminosos praticantes dos tais delitos são pessoas mal informadas e pertencentes a uma classe econômica mais baixa pode "tirar o cavalinho da chuva". Ações como estas já levaram também muita gente famosa para o xilindró. Só para ter uma idéia, o Guia da Semana separou, por ordem cronológica, 12 dos músicos que por algum motivo foram parar atrás das grades.

O primeiríssimo das páginas policiais é Mick Jagger. Líder do Rolling Stones e ex-amante de Luciana Gimenez, o roqueiro não foi preso por trair a esposa Jerry Hall com a apresentadora brasileira, mas sim por porte de drogas. Na época (1967), foi condenado a três meses de prisão. Detalhe: o vocalista não cumpriu a pena. Na realidade, ele ficou na cadeia apenas três dias e, depois disso, sua sentença foi revogada. O cara se safou após ter pagado uma fiança de 7 mil libras, grana que não afeta em nada a sua fortuna.

Divulgação

Anos mais tarde, em 1969, outra a entrar em cana foi Janis Joplin (acima). A cantora norte-americana de blues foi detida, acusada de usar linguagem vulgar e indecente em um show na Flórida. Durante a apresentação, a moça ofendeu um policial que fazia a segurança do local. Após algumas horas, o guarda retirou a queixa. Ufa, foi por pouco!

O pai do soul, o cantor James Brown, também teve que prestar contas à justiça. Em setembro de 1988, após ter tomado alucinógeno, invadiu um seminário de segurança com um fuzil, acusando os participantes de estarem usando seu banheiro particular. A polícia o perseguiu por meia hora e só conseguiu pará-lo ao atirar nos pneus de seu carro. O cantor foi condenado a seis anos de prisão, mas cumpriu apenas três. E as aventuras de Brown não param por aqui. Em 2004, o soulman foi preso por cometer violência doméstica. Ele teria empurrado a mulher, Tomi Rae, durante uma discussão.

Divulgação

Brown não é o único a bater em pessoas indefesas, o punk Billy Idol (acima) foi outro que agiu com covardia contra a esposa, em 1991. Após espancar a companheira, o músico teve que pagar 2 mil dólares para se libertar. Crueldade à parte, o artista fez sucesso no Bromley Contingent, um grupo de seguidores do Sex Pistols. Nos anos 80, Idol partiu para a carreira solo.

O cantor George Michael não se controlou e foi preso, em 1998, por cometer ato obsceno num banheiro público em Bervely Hills. O músico, ícone gay, pagou mil dólares de fiança para sair da prisão e gastou 4 milhões de libras no processo. Mas, o pior de tudo foi ouvir do amigo Elton John: "um mictório não é o melhor lugar para assumir sua sexualidade".

Os artistas brasileiros também entram na lista policial. O pagodeiro Belo pegou seis anos de prisão por associação com o tráfico de drogas. O cara ficou apenas 37 dias no xadrez, graças a um hábeas corpus. Um outro mandato de prisão foi expedido em 2004, depois que a justiça o condenou novamente - agora a 8 anos de prisão em regime fechado. O cantor tentou escapar escondendo-se em um quarto falso de sua casa, mas a polícia acabou descobrindo o local. Hoje, o ex-Soweto está autorizado pela Justiça a trabalhar das 9h às 19h como produtor musical de um estúdio. Ele receberá R$ 3.500,00. O cantor pode deixar a unidade de regime semi-aberto às 6h e deve estar de volta às 20h. Que moleza!

Divulgação

Viúva de Kurt Cobain (Nirvana), a cantora de rock alternativo Courtney Love (acima) é outra que não escapou das grades. Em 2003, a artista foi detida depois de causar tumulto e discutir com uma aeromoça durante um vôo. Em 2004, foi presa novamente. Desta vez, o motivo foi um microfone. Durante um show, o suporte do objeto usado pela roqueira atingiu um fã que estava perto do palco. A vítima foi parar no hospital, e Courtney acabou indo para a prisão.

No mesmo ano de 2004, outros artistas se tornaram casos de polícia. Primeiro foi Carlinhos Brown. O cantor de axé afrontou a polícia militar durante o desfile de seu trio elétrico no carnaval baiano e acabou no xadrez. O motivo da briga foi a prisão de um dos membros de seu bloco, que havia acertado um soco em um folião. Brown, não só criticou os oficiais pelo microfone, como também partiu para a agressão física. O "artista nervosinho" foi liberado depois de dar explicações sobre o incidente.

Na mesma época, a diva Diana Ross também aprontou. A cantora foi condenada a dois dias de cadeia por ser pega dirigindo bêbada. A sentença exigia ainda o pagamento de uma multa e a participação em reuniões dos Alcoólicos Anônimos. Os guardas que a pararam declararam que ela trafegava com o carro na contramão e estava com os olhos "vermelhinhos".

Capa dos diários mais populares, o caso Waguinho é outro que não pode faltar na lista daquele ano. O ex-vocalista do grupo de pagode Os Morenos, foi preso por não pagar pensão alimentícia à ex-mulher, a modelo Solange Gomes. Que papelão, hein!

Divulgação

Em 2005, Nick Carter (acima), integrante do Backstreet Boys, foi preso por dirigir "bebinho da Silva". O músico cometeu a infração em Huntington Beach, cidade localizada a oeste da Califórnia, Estados Unidos. Acabou condenado a 3 anos de prisão, mas cumpriu a pena em liberdade condicional.

O campeão de passagens pela polícia, sem dúvida, é Axl Rose. Vocalista e pianista do grupo de hard rock Guns N´ Roses, o cara é um daqueles que se encaixa em quase todas as datas desta lista cronológica de infrações. Motivo? Ele já foi detido mais de 30 vezes por diversos tipos de delitos, a maioria por estar bêbado e por causar desordem em lugares públicos. Que moço mais rebelde!

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA

6 motivos para visitar a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano em SP (e nem perceber que está na capital)

Local une arte, cultura, lazer, arquitetura e natureza, fazendo com que o visitante esqueça que está em SP

13 grafites em SP que todo mundo que ama arte deveria ver pessoalmente

Confira obras espalhadas pela cidade que merecem sua atenção

Na Semana da Criança, uma selfie vale um passaporte nos museus de SP; entenda

Para participar, é só postar foto com uma criança no Facebook com a hashtag #MuseusSP e apresentar na bilheteria da Pinacoteca, Casa das Rosas ou do Museu da Imigração

Unibes Cultural oferece programação especial e gratuita para o mês das crianças

Evento acontece até dia 31 de outubro e comemora o Mês das Crianças