Guia da Semana

Bodas de Ouro

Os quadrinhos de Mauricio de Sousa fazem aniversário de 50 anos. Confira a evolução dos desenhos que mudaram o mercado editorial dos gibis

Fotos: montagem 



A menina de vestido vermelho, gorducha, baixinha e dentuça quebrou paradigmas e se tornou um personagem admirado. Criada por Mauricio de Sousa, ela e toda a Turma da Mônica estão em festa, pois há cinquenta anos o então repórter policial decidiu apostar em um mercado pouco explorado no país - as tiras de quadrinhos nos diários. O sucesso foi tamanho que ele abandonou a capa de Dick Tracy e visitas às delegacias, montou uma equipe de desenhos e começou a publicar gibis que viraram febre nacional.

Hoje, aos 73 anos, o cartunista ainda conserva as brincadeiras com as crianças, o sorriso fácil e o fôlego de início de carreira. Responsável por dar vida a mais de 200 personagens, entre eles Penadinho, Bidu, Ronaldinho Gaúcho, Pelezinho e até Michael Jackson, teve como o carro-chefe a Turma da Mônica, que chegou a ser traduzido em 50 idiomas, para 126 países. Sua mais recente ideia foi a reinvenção de seu principal quadrinho, com a revista Mônica Jovem, em um lançamento que chegou a vender 405 mil exemplares, batendo o recorde da revista de HQ mais vendida nos EUA no século 21 (o Homem Aranha com o Obama na capa, que vendeu 350 mil cópias).

Para o futuro, o homem que teve mais de 1 bilhão de publicações vendidas, aposta na televisão e em inovações tecnológicas, como jogos multimídias e conteúdos para celular e internet. Em meio às comemorações de meio século de trabalho, o desenhista está sendo presenteado com um documentário sobre a sua vida no canal The Biography Channel (Bio), uma Exposição no Museu Brasileiro da Escultura (Mube) e ainda pretende voltar às origens, fazendo tirinhas em jornal.

Para relembrar todo esse trabalho, selecionamos alguns dos principais personagens de Mauricio de Sousa para mostrar a evolução do traço e do comportamento da Turma que, apesar da aparência jovem, já está próxima da terceira idade.

Bidu

O travesso cachorrinho azul-acinzentado Bidu foi protagonista da primeira tirinha publicada por Mauricio de Sousa, em 18 de julho de 1959. Como todo bom amigo do homem, escolheu Franjinha como dono, em histórias recheadas de non-sense, onde personagens inanimados também participavam. Com o passar dos anos, ganhou a coloração azul bebê, teve seu tamanho ligeiramente reduzido, com traços mais simples e arredondados.

Em setembro, durante a Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro será realizado o lançamento da edição comemorativa Bidu 50 Anos, com uma coletânea de histórias do simpático cãozinho, em diferentes épocas, incluindo o facsimile de Bidu 1.

Cebolinha


Em suas primeiras aparições, ainda na Turma do Bidu, o menino que trocava o 'R' pelo 'L' tinha muito mais do que cinco fios na cabeça. Com o tempo, os fios foram sumindo, e ele passou por uma fase bochechuda até ficar redondinho como todos os outros personagens. Uma coisa que permaneceu a mesma foi a sua personalidade, que desde o primeiro encontro foi marcada por coelhadas e planos para tirar da Mônica o título de Dona da Rua. Na versão teen, passou a ser chamado de Cebola e mantém uma vasta cabeleira. Depois de consultas ao fonoaudiólogo, não troca mais as letras - exceto quando está nervoso ou na presença de meninas. Adolescente, tem planos mais ousados do que dominar a rua.

Cascão

A "mania de sujeira" do personagem de cabelos em desalinho, macacão e bochechas sujas, causaram certo estranhamento entre os leitores no início. Mas logo depois ganhou popularidade e conquistou sua própria revista. Ele foi criado para contracenar com Cebolinha e, como o amigo, foi perdendo os cabelos até ficar com aquela famosa "moitinha" no cucuruto. Passou pela fase magrelo, bochechudo e anguloso. Devido à falta de tempo do cartunista e à necessidade de volume de publicação, foi o primeiro a nascer descalço, acompanhado posteriormente por Mônica e Magali. No começo, seus pais eram igualmente sujinhos, mas, para não ficar politicamente incorreto, foram se limpando. Na fase adolescente, ainda não gosta de banho, mas toma de vez em quando. Pratica esportes, continua inteligente, criativo e bagunceiro.

Mônica


Acompanhada de seu coelho de pelúcia, a garota decidida, forte e que não leva desaforo para casa foi a primeira protagonista feminina a aparecer nos quadrinhos de Mauricio de Sousa. A personagem, que tinha a cabeça achatada, os cabelos escorridos e usava sapatos, roubou a cena desde então. Com o tempo, ficou descalça, penteou o cabelo para um lado só, mas nunca deixou de brigar com a dupla Cebolinha e Cascão, que sempre aprontavam para o lado dela. Tamanho foi o sucesso da baixinha do Bairro do Limoeiro que, em 2007, Mônica virou embaixadora da Unicef. Na versão mangá (teen), ainda é um pouco dentuça, mas não é gordinha e baixinha, deixou o vestido vermelho de lado e não corre atrás dos meninos para dar coelhadas. Agora, é líder da "galera", mas mantém o gênio forte.

Magali

Assim como Mônica, Magali, outro personagem baseado em uma das filhas de Mauricio, é a comilona da turma. Devora tudo que encontra na frente, mas mantém desde as primeiras tiras a aparência esbelta e esguia, Entretanto, com o passar dos anos, o desenhista tratou de encher suas formas. Na primeira aparição, usava camisa e saia verde, mas depois incorporou o vestido amarelo que virou marca registrada. Companheira de Mônica, de vez em quando apanha acidentalmente, quando a amiga persegue os meninos. Na fase jovem, seu apetite aumentou, mas agora controla o peso, com alimentação saudável e exercícios aeróbicos.

Horácio


No começo, era o bicho de estimação do Piteco e se limitava apenas a seguir seu dono e fazer alguns gruns, gruns. Com o tempo, o filho de tiranossauro rex, alto e verde, ganhou personalidade própria e passou a viver suas próprias aventuras com a namorada Lucinda e o camarada Tecodonte. Horácio é amigo, preocupado em ajudar o próximo e, embora seja carnívoro, insiste em ter uma dieta vegetariana. O cartunista considera o dinossaurozinho seu alter ego e diminuiu suas proporções com o passar dos anos. Até hoje, é o único desenhado exclusivamente por Mauricio de Sousa.

Serviço

Exposição Mauricio 50 anos
Endereço: Museu Brasileiro da Escultura (Mube) - Avenida Europa, 218
Data: De 19 de julho a 18 de agosto
Horário: De terça a domingo, das 10h às 19h
Preço: Grátis
Mais informações: (11) 2594-2601

Atualizado em 10 Abr 2012.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA

6 motivos para visitar a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano em SP (e nem perceber que está na capital)

Local une arte, cultura, lazer, arquitetura e natureza, fazendo com que o visitante esqueça que está em SP

13 grafites em SP que todo mundo que ama arte deveria ver pessoalmente

Confira obras espalhadas pela cidade que merecem sua atenção

Na Semana da Criança, uma selfie vale um passaporte nos museus de SP; entenda

Para participar, é só postar foto com uma criança no Facebook com a hashtag #MuseusSP e apresentar na bilheteria da Pinacoteca, Casa das Rosas ou do Museu da Imigração

Unibes Cultural oferece programação especial e gratuita para o mês das crianças

Evento acontece até dia 31 de outubro e comemora o Mês das Crianças