Guia da Semana

O Pequeno Príncipe chega aos 60 anos como mais vendido

A edição francesa de O Pequeno Príncipe, do escritor Antoine de Saint-Exupéry, completa 60 anos como referência para crianças e adultos de todo o mundo.

Publicado inicialmente nos Estados Unidos, em 1943, onde o autor tinha se refugiado desde que a França tinha sido invadida pelos nazistas, na II Guerra Mundial, O Pequeno Príncipe é o livro francês mais vendido no mundo (cerca de 80 milhões de exemplares), com 400 a 500 edições.

Além disso, é a obra literária mais traduzida no mundo. Já foi publicado em 160 línguas ou dialetos, do aranês (dialeto falado na Espanha) ao amazigh (berbere). A última língua a conhecer as aventuras do Pequeno Príncipe foi o xhosa, uma das 11 línguas oficiais da África do Sul.

A paixão pela história do jovem sonhador de cabelos louros e cachecol vermelho chega até ao Japão, onde conta com um museu. Mais uma prova do caráter universal da sua mensagem, ao mesmo tempo simples e profunda. As informações são da Agência EFE.

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Museu do Café, em Santos, inaugura exposição gratuita sobre propaganda da bebida

A partir de 28 de dezembro, os visitantes poderão conhecer as estratégias das marcas de café de 1900 a 1959

Especial férias: MASP abre ao público em todas as segundas-feiras de Janeiro

Programação de férias disponibiliza cinco dias a mais para visitar o Museu

5 motivos para assistir ao documentário "O começo da vida" na Netflix

O filme mostra a importância dos primeiros anos de vida sob a ótica dos quatro cantos do mundo

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA

6 motivos para visitar a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano em SP (e nem perceber que está na capital)

Local une arte, cultura, lazer, arquitetura e natureza, fazendo com que o visitante esqueça que está em SP