Guia da Semana

Seis motivos para ler Nelson Rodrigues

No dia 21 de dezembro deste ano, faz 34 anos que um dos escritores brasileiros mais importantes morreu

Ele foi consagrado como um dos melhores escritores, romancistas, dramaturgos e jornalistas brasileiros. Entretanto, há de se admitir que a linha que separa este importante e respeitado homem dos personagens de suas trágicas e dolorosas peças é muito próxima.

Com uma vida marcada por tragédias familiares, censura, prisão, crises financeiras e também pela crítica contraditória, Nelson Falcão Rodrigues, ou apenas Nelson Rodrigues – como ficou conhecido – viveu seu próprio drama, que mais parece um de seus roteiros.

Contudo, foi o mais revolucionário personagem do teatro brasileiro, abrindo portas à moderna dramaturgia do país.

No dia 21 de dezembro deste ano, faz 34 anos que perdemos este ícone e listamos os motivos pelos quais você não deve deixar de ler suas obras.

1. Foi considerado um dos maiores cronistas e dramaturgos do país

Nelson Rodrigues jovem 

2. Aos 13 anos já era repórter policial

Iniciou sua vida profissional ainda menino, com apenas 13 anos de idade, trabalhando nos jornais A Manhã e A Crítica, ambos de propriedade de seu pai.

3. Seus textos tinham grande influência das tragédias que ele mesmo viveu

Nelson Rodrigues escrevendo

A morte do irmão o influenciou tanto que ele chegou a dizer em uma de suas crônicas: "Confesso - o meu teatro não seria como é, e nem eu seria como sou, se eu não tivesse sofrido na carne e na alma, se não tivesse chorado até a última lágrima de paixão o assassinato de Roberto".

Mas outros fatos trágicos também o marcaram profissionalmente, como a tuberculose, a morte do pai, uma irmã morta aos oito meses, o irmão Paulo que faleceu em um desabamento, as amantes, a miséria e o filho preso e torturado pelo regime militar.

Tudo isso fez com que ele utilizasse um processo criativo sobre os sentimentos que traduziram uma sociedade mórbida, triste e sem diretrizes.

4. Foi um homem polêmico

Nelson Rodrigues polêmico

Ainda na escola,  ganhou um concurso de redação com um tema sobre adultério. Já adulto, bordava temas delicados para a sociedade da época e, até mesmo, para a sociedade atual. Escrevia sobre assuntos que estavam cobertos por véus que ele, tão bem, soube retirar. Nelson tocava nas feridas sem dó nem piedade e também falava sobre suas imperfeições.

5. Suas obras são baseadas nos fatos e acontecimentos da vida

Escrevia de forma dramática e, ao mesmo tempo agradável, crônicas esportivas, política, culturais e, principalmente, crônicas sobre fatos corriqueiros. Não dramatizava somente nas obras teatrais. Por isso, seus textos despertam interesse. O drama de Nelson Rodrigues não era insosso, tinha diversos componentes, inclusive o humor, a ironia e o sarcasmo.

6. Fez  história na imprensa, no teatro e arriscou-se na TV

Nelson Rodrigues

Trouxe para a cena brasileira ferramentas teatrais jamais usadas em nossa dramaturgia: o flashback, a narrativa não-linear, o gancho. Todas elas, recursos cinematográficos, grandiloquentes, estilísticos. Mais ainda: flertou com a tragédia e com a comédia sem o menor pudor.

Sem dúvidas, a vida de Nelson Rodrigues (1912-1980) foi mais espantosa do que qualquer uma de suas histórias. Gênio ou louco? Tarado ou santo? Reacionário ou revolucionário? Nenhum outro escritor brasileiro foi tão polêmico em seu tempo. Mas, nenhum tão único e capaz de arrancar tantos sorrisos e lágrimas.

Atualizado em 4 Dez 2014.

Por Nathália Tourais
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA

6 motivos para visitar a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano em SP (e nem perceber que está na capital)

Local une arte, cultura, lazer, arquitetura e natureza, fazendo com que o visitante esqueça que está em SP

13 grafites em SP que todo mundo que ama arte deveria ver pessoalmente

Confira obras espalhadas pela cidade que merecem sua atenção

Na Semana da Criança, uma selfie vale um passaporte nos museus de SP; entenda

Para participar, é só postar foto com uma criança no Facebook com a hashtag #MuseusSP e apresentar na bilheteria da Pinacoteca, Casa das Rosas ou do Museu da Imigração

Unibes Cultural oferece programação especial e gratuita para o mês das crianças

Evento acontece até dia 31 de outubro e comemora o Mês das Crianças