Guia da Semana

Um certo tipo de azul

Considerada a maior obra-prima da história do jazz, Kind Of Blue é um álbum inenarrável



Não é por menos que o álbum Kind of Blue, de Miles Davis, reúne uma seleta coleção de referências elogiosas como, por exemplo: "o álbum definitivo de jazz". Exageros à parte (ou não), trata-se de uma obra-prima lançada em 1959 que tomou apenas duas sessões de gravação. O sexteto por trás dos microfones é simplesmente um dos melhores da história. Enquanto Cannonball Adderley e John Coltrane revezam os solos no sax alto e tenor, Bill Evans faz às vezes do piano, Paul Chambers caminha os dedos pelo contrabaixo acústico, Jimmy Cobb se encarrega da condução na bateria e Miles Davis segue no encalço com o característico som macio do seu trompete.

Kind of Blue é um dos resultados de um caminho iniciado por Miles em 1949, quando começa a se desenhar o estilo que ficou conhecido posteriormente como cool jazz, notório pela sua sonoridade suave e intimista. Em Kind of Blue as músicas fluem facilmente e podem ser apreciadas sem grandes problemas, mesmo pelos ouvidos mais indisciplinados. Por isso ele é, ao lado de Time Out, de Dave Brubeck, um dos discos mais indicados para aqueles que desejam ser introduzidos ao jazz. Trata-se do disco mais bem sucedido da história do jazz, e as numerosas vendas atestam sua longevidade.

Ao longo do tempo, suas faixas tornaram-se verdadeiros standards, ou seja, clássicos de jazz que rendem muitas adaptações por parte de outros músicos e ilustram as páginas de inúmeros livros de teoria musical. Mesmo no rock, estilo por vezes muito distante do jazz, Kind of Blue exerceu influência sobre outro álbum que também é considerado um dos expoentes máximos do seu gênero: The Dark Side of The Moon, do quarteto inglês Pink Floyd.

Como é peculiar aos grandes feitos humanos a característica de não se esgotar passados os anos, Kind of Blue ainda desperta interesse, mesmo quase cinqüenta anos após seu lançamento. O jornalista norte-americano Ashley Kahn lançou há poucos meses o livro Kind of Blue: a História da Obra-Prima de Miles Davis, no qual realiza um estudo mais aprofundado sobre o álbum. Quando se trata de Kind of Blue, ouvi-lo ou lê-lo é sempre um prazer inenarrável.
Quem é o colunista: Yuri Bucaretchi

O que faz: estudante de jornalismo e filosofia

Pecado gastronômico:aquele que não se mexer

Melhor lugar do Brasil: Fernando de Noronha

Fale com ele: bucaretchi@yahoo.com.br

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA

6 motivos para visitar a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano em SP (e nem perceber que está na capital)

Local une arte, cultura, lazer, arquitetura e natureza, fazendo com que o visitante esqueça que está em SP

13 grafites em SP que todo mundo que ama arte deveria ver pessoalmente

Confira obras espalhadas pela cidade que merecem sua atenção

Na Semana da Criança, uma selfie vale um passaporte nos museus de SP; entenda

Para participar, é só postar foto com uma criança no Facebook com a hashtag #MuseusSP e apresentar na bilheteria da Pinacoteca, Casa das Rosas ou do Museu da Imigração

Unibes Cultural oferece programação especial e gratuita para o mês das crianças

Evento acontece até dia 31 de outubro e comemora o Mês das Crianças