Guia da Semana

“A 100 Passos de Um Sonho” é um filme para comer com os olhos

Receitas indianas e francesas se misturam na adaptação do livro de Richard C. Morais

O cinema tem suas fases e cada temporada de lançamentos chega com temas e mensagens semelhantes, como se fossem parte de uma coleção coesa. Este ano, parece que voltamos à era dos filmes “família”, aqueles com histórias leves e finais felizes, cheios de lições de vida. Além disso, a gastronomia é o tema do momento: depois de “Chef” e “Bistrô Romantique”, é a vez de “A 100 Passos de Um Sonho” conquistar seu estômago.

O longa é uma adaptação do livro de Richard C. Morais, aqui traduzido como “A Viagem de Cem Passos”. Desconsidere os passos, contudo: o título original faz referência a cem pés, que é uma medida de comprimento equivalente a pouco mais de 30 metros.

Passos ou pés, o fato é que o número marca a distância entre dois vizinhos: um restaurante francês tradicional, de um lado da rua, e um recém-inaugurado restaurante indiano, do outro. Rivais, eles simbolizam a sutileza versus a ousadia, simplicidade versus exagero, razão versus emoção e forma versus tempero. Tradição, ambos têm de sobra.

O restaurante indiano Maison Mumbai

A história é contada por Hassan (Manish Dayal), um indiano cuja família sofreu um ataque em Mumbai, onde tinham um restaurante. Ele, o pai e os irmãos se refugiaram em Londres e agora decidem se mudar para a França, para abrir um novo empreendimento – o Maison Mumbai.

Hassan é o mais talentoso do clã e logo se apaixona pelos sabores europeus (e por uma europeia em particular). Enquanto o pai (Om Puri) trava sua guerra contra a arrogante Madame Mallory (Helen Mirren) e literalmente agarra clientes pelas mangas, o jovem estuda e tenta dominar a culinária local.

Pouco a pouco, a comida do garoto vai conquistando o paladar francês e chamando a atenção pela criatividade, culminando numa aproximação simbólica entre as duas culturas.

Manish Dayal

“A 100 Passos de Um Sonho” é aquele filme “feel good” que fará sua semana ficar melhor, quase instantaneamente. Seja por seus personagens graciosos (Manish e Charlotte Le Bon formam um casal de encher os olhos), pela história de aprendizado que acompanha a carreira de Hassan, ou, especialmente, pela forma como Lasse Hallström filma a comida.

Não surpreende: o diretor foi responsável por outro deleite gastronômico, o romance “Chocolate”, além dos igualmente delicados “Querido John” e “Sempre ao Seu Lado”. Se o que você procura é uma escapada saudável e prazerosa do mundo real, então este é o seu filme. Apenas não se esqueça de jantar antes da sessão.

Charlotte Le Bon

Assista se você:

  • É apaixonado por gastronomia
  • Gosta de filmes bucólicos, ambientados em cidadezinhas europeias
  • Quer ver um filme gostoso, com mensagens positivas

Não assista se você:

  • Não se interessa por gastronomia
  • Procura um filme mais pesado ou com ação
  • Não gosta de filmes românticos

Atualizado em 31 Ago 2014.

Por Juliana Varella
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

“It”: terror baseado em obra de Stephen King ganha trailer sinistro

Filme com ator de Stranger Things estreia em setembro nos cinemas

“A Vigilante do Amanhã – Ghost in the Shell”: tudo o que você precisa saber sobre o filme que estreia nesta quinta

Longa com Scarlett Johansson é um espetáculo visual e um remake fiel – mas as discussões filosóficas já não impressionam mais

Novo trailer de “Valerian e A Cidade dos Mil Planetas” mostra a exuberância de seu universo fantástico

Filme de Luc Besson chega aos cinemas no dia 10 de agosto

Infância de Pharrell Williams será retratada em musical de Hollywood

"Atlantis" terá produção da FOX e direção de Michael Mayer

12 Filmes, séries e mangás de ficção científica para conhecer depois de “A Vigilante do Amanhã”

Obras como “Matrix” e “Paprika” dialogam diretamente com os temas do filme com Scarlett Johansson

Novo trailer de "Homem-Aranha: De Volta ao Lar" mostra cena estrelada pelos Vingadores

Nova fase do herói nas telonas estreia no dia 6 de julho