Guia da Semana

“A 100 Passos de Um Sonho” é um filme para comer com os olhos

Receitas indianas e francesas se misturam na adaptação do livro de Richard C. Morais

O cinema tem suas fases e cada temporada de lançamentos chega com temas e mensagens semelhantes, como se fossem parte de uma coleção coesa. Este ano, parece que voltamos à era dos filmes “família”, aqueles com histórias leves e finais felizes, cheios de lições de vida. Além disso, a gastronomia é o tema do momento: depois de “Chef” e “Bistrô Romantique”, é a vez de “A 100 Passos de Um Sonho” conquistar seu estômago.

O longa é uma adaptação do livro de Richard C. Morais, aqui traduzido como “A Viagem de Cem Passos”. Desconsidere os passos, contudo: o título original faz referência a cem pés, que é uma medida de comprimento equivalente a pouco mais de 30 metros.

Passos ou pés, o fato é que o número marca a distância entre dois vizinhos: um restaurante francês tradicional, de um lado da rua, e um recém-inaugurado restaurante indiano, do outro. Rivais, eles simbolizam a sutileza versus a ousadia, simplicidade versus exagero, razão versus emoção e forma versus tempero. Tradição, ambos têm de sobra.

O restaurante indiano Maison Mumbai

A história é contada por Hassan (Manish Dayal), um indiano cuja família sofreu um ataque em Mumbai, onde tinham um restaurante. Ele, o pai e os irmãos se refugiaram em Londres e agora decidem se mudar para a França, para abrir um novo empreendimento – o Maison Mumbai.

Hassan é o mais talentoso do clã e logo se apaixona pelos sabores europeus (e por uma europeia em particular). Enquanto o pai (Om Puri) trava sua guerra contra a arrogante Madame Mallory (Helen Mirren) e literalmente agarra clientes pelas mangas, o jovem estuda e tenta dominar a culinária local.

Pouco a pouco, a comida do garoto vai conquistando o paladar francês e chamando a atenção pela criatividade, culminando numa aproximação simbólica entre as duas culturas.

Manish Dayal

“A 100 Passos de Um Sonho” é aquele filme “feel good” que fará sua semana ficar melhor, quase instantaneamente. Seja por seus personagens graciosos (Manish e Charlotte Le Bon formam um casal de encher os olhos), pela história de aprendizado que acompanha a carreira de Hassan, ou, especialmente, pela forma como Lasse Hallström filma a comida.

Não surpreende: o diretor foi responsável por outro deleite gastronômico, o romance “Chocolate”, além dos igualmente delicados “Querido John” e “Sempre ao Seu Lado”. Se o que você procura é uma escapada saudável e prazerosa do mundo real, então este é o seu filme. Apenas não se esqueça de jantar antes da sessão.

Charlotte Le Bon

Assista se você:

  • É apaixonado por gastronomia
  • Gosta de filmes bucólicos, ambientados em cidadezinhas europeias
  • Quer ver um filme gostoso, com mensagens positivas

Não assista se você:

  • Não se interessa por gastronomia
  • Procura um filme mais pesado ou com ação
  • Não gosta de filmes românticos

Atualizado em 31 Ago 2014.

Por Juliana Varella
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

26 remakes ou reboots que você nem acredita que estão nos planos de Hollywood

"Os Pássaros", "A Mosca" e "Eu Sei O Que Vocês Fizeram No Verão Passado" estão entre os filmes que podem ganhar novas versões nos cinemas

“Corra!” – terror sobre preconceito racial é uma das melhores coisas que você verá nos cinemas neste ano

Filme de Jordan Peele estreia no dia 18 de maio nos cinemas

7 Filmes imperdíveis que chegam aos cinemas em maio

"Corra!" e "Alien: Covenant" chegam aos cinemas neste mês

“Gostosas, Lindas e Sexies” – Sex and the City à brasileira chega aos cinemas com elenco plus-size

Filme estreia nesta quinta, 20 de abril

Será? Will Smith pode ser o Gênio no live-action de "Aladdin"

Segundo o Deadline, ator está em negociações com a Disney

5 Motivos para (ir correndo) ver “Guardiões da Galáxia Vol. 2”

Filme chega aos cinemas no dia 25 de abril e já tem ingressos à venda