Guia da Semana

As musas inspiradoras de Woody Allen

Saiba quem são os maiores destaques femininos nos filmes do diretor

Woody Allen é um dos diretores mais  influentes de Hollywood. Seus longas ficaram marcados, entre outros aspectos, por atrizes que interpretaram personagens femininas fortes e excêntricas. 

Diane Keaton foi a primeira a inspirar Allen, ao estrelar no filme “Noivo neurótico, noiva nervosa” (EUA, 1977), que levou quatro Oscars - Melhor Atriz, Melhor Diretor, Melhor Roteiro Original e Melhor Filme. Na trama, o diretor interpreta um humorista judeu que conhece uma cantora em início de carreira.

Dois anos depois, Diane Keaton estrelou no longa “Manhattan” (EUA, 1978), o qual retrata um escritor de meia-idade que se apaixona pela amante de seu melhor amigo.

Outra musa inspiradora do diretor foi Mia Farrow, com quem Allen se relacionou por mais de 10 anos e rompeu em 1992. O motivo do término foi o envolvimento com a filha adotiva da atriz, Soon-Yi, parceira de Woody Allen até hoje.         

Mia, entretanto, foi a musa que mais participou de filmes de Allen: “Sonhos Eróticos de uma Noite de Verão” (EUA, 1982), Zelig (EUA, 1983), “A Rosa Púrpura do Cairo” (EUA,1985) e “Hannah e Suas Irmãs” (EUA, 1986).

A terceira musa, um pouco mais atual, é Scarlett Johansson. O primeiro trabalho da atriz com o diretor foi em “Ponto Final – Match Point” (Inglaterra, 2005). Foi o primeiro de Woody Allen a ser filmado no Reino Unido e foi produzido pela BBC Films. Nele, Scarlett interpreta a sedutora Nola, que se apaixona por um ex-tenista profissional.

O segundo filme de Scarlett com Allen foi um ano depois, “Scoop - O Grande Furo (EUA, 2006)”. A terceira parceria ocorreu em “Vicky Cristina Barcelona” (EUA, 2008), no qual a atriz é uma americana que não consegue encontrar sua vocação. 

A espanhola Penélope Cruz é outra atriz marcante do diretor, apesar de ter participado somente de duas produções: “Vicky Cristina Barcelona”, que lhe rendeu o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante e “Para Roma, com Amor” (EUA, 2012).

A última musa é a francesa Marion Cotillard, que participou de “Meia-Noite em Paris” (EUA, 2011), como Adriana. Ela interpreta uma moça vinda da Bélle Époque e é o motivo da crise no noivado de Gil (Owen Wilson), um escritor que, à meia-noite, é transportado para a charmosa Paris dos anos 1920.

Atualizado em 3 Out 2013.

Por Marina Ayub, aluna do 2o. semestre do curso de Jornalismo da ESPM
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

J.K. Rowling desmente boato sobre filme de "Harry Potter e a Criança Amaldiçoada"

"Não há verdade nos rumores sobre a trilogia", disse a escritora no Twitter

Após vídeo de supostos maus-tratos, pré-estreia de "Quatro Vidas de Um Cachorro" é cancelada

Universal Pictures divulgou comunicado oficial informando o cancelamento

Animação francesa “A Bailarina” é opção para as férias

Filme mostra uma menina que sonha em ser bailarina, mas, para isso, terá que aprender lições importantes de vida

Rede Cinesystem inaugura seu primeiro cinema em São Paulo

Com nove salas e projeção a laser, cinema promete ser o mais moderno da cidade

Rita Repulsa, Zordon e Alpha 5 estão no novo trailer dos "Power Rangers"; assista

Remake da série dos anos 90 estreia em março

“xXx: Reativado” – terceiro filme da franquia estrelada por Vin Diesel estreia nesta quinta

Longa traz Nina Dobrev no elenco e tem participação de Neymar Jr.