Guia da Semana

As musas inspiradoras de Woody Allen

Saiba quem são os maiores destaques femininos nos filmes do diretor

Woody Allen é um dos diretores mais  influentes de Hollywood. Seus longas ficaram marcados, entre outros aspectos, por atrizes que interpretaram personagens femininas fortes e excêntricas. 

Diane Keaton foi a primeira a inspirar Allen, ao estrelar no filme “Noivo neurótico, noiva nervosa” (EUA, 1977), que levou quatro Oscars - Melhor Atriz, Melhor Diretor, Melhor Roteiro Original e Melhor Filme. Na trama, o diretor interpreta um humorista judeu que conhece uma cantora em início de carreira.

Dois anos depois, Diane Keaton estrelou no longa “Manhattan” (EUA, 1978), o qual retrata um escritor de meia-idade que se apaixona pela amante de seu melhor amigo.

Outra musa inspiradora do diretor foi Mia Farrow, com quem Allen se relacionou por mais de 10 anos e rompeu em 1992. O motivo do término foi o envolvimento com a filha adotiva da atriz, Soon-Yi, parceira de Woody Allen até hoje.         

Mia, entretanto, foi a musa que mais participou de filmes de Allen: “Sonhos Eróticos de uma Noite de Verão” (EUA, 1982), Zelig (EUA, 1983), “A Rosa Púrpura do Cairo” (EUA,1985) e “Hannah e Suas Irmãs” (EUA, 1986).

A terceira musa, um pouco mais atual, é Scarlett Johansson. O primeiro trabalho da atriz com o diretor foi em “Ponto Final – Match Point” (Inglaterra, 2005). Foi o primeiro de Woody Allen a ser filmado no Reino Unido e foi produzido pela BBC Films. Nele, Scarlett interpreta a sedutora Nola, que se apaixona por um ex-tenista profissional.

O segundo filme de Scarlett com Allen foi um ano depois, “Scoop - O Grande Furo (EUA, 2006)”. A terceira parceria ocorreu em “Vicky Cristina Barcelona” (EUA, 2008), no qual a atriz é uma americana que não consegue encontrar sua vocação. 

A espanhola Penélope Cruz é outra atriz marcante do diretor, apesar de ter participado somente de duas produções: “Vicky Cristina Barcelona”, que lhe rendeu o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante e “Para Roma, com Amor” (EUA, 2012).

A última musa é a francesa Marion Cotillard, que participou de “Meia-Noite em Paris” (EUA, 2011), como Adriana. Ela interpreta uma moça vinda da Bélle Époque e é o motivo da crise no noivado de Gil (Owen Wilson), um escritor que, à meia-noite, é transportado para a charmosa Paris dos anos 1920.

Atualizado em 3 Out 2013.

Por Marina Ayub, aluna do 2o. semestre do curso de Jornalismo da ESPM
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

"Jumanji" tem estreia no Brasil adiada para 2018

Anúncio foi feito pela Sony durante a CCXP

Assista à entrevista exclusiva com Fiuk e Sandy sobre a animação "Sing - Quem Canta Seus Males Espanta"

Filme estreia no dia 22 de dezembro nos cinemas

"A Múmia": Remake com Tom Cruise ganha teaser e pôster

Estreia está agendada para junho de 2017

Cahiers du Cinéma elege os melhores filmes de 2016

O brasileiro "Aquarius" aparece em quarto lugar na lista

Após acidente aéreo, estreia de “Sully” é adiada

Filme com Tom Hanks sobre um piloto de avião seria lançado nesta quinta-feira

Fã edita os oito filmes de Harry Potter em um único vídeo de 78 minutos

Porque quantidade não é qualidade! :p