Guia da Semana

Cinema de alto orçamento


Lembro que, há pouco mais de dez anos, era bem difícil achar um cinema decente aqui em São Paulo. Pelo menos na área mais distante do centro. Assim, para não ter que viajar tanto, eu acabava apelando para as salas dos shoppings, que ofereciam uma triste combinação de cadeiras desconfortáveis, telas pequenas e som chiado. Havia exceções, claro. As salas do Iguatemi, pelo que lembro, não eram ruins.

Mas isso mudou com a chegada dos "multiplexes". Salas com poltronas reclináveis, tela maior e som Dolby Digital se espalharam pela cidade. Ir ao cinema tornou-se uma experiência mais agradável - e também muito mais cara. Os preços dos ingressos foram aumentando ano a ano e, hoje, chegaram a patamares que beiram o absurdo.

Dependendo do dia da semana e do horário, pode ser que você pague mais de vinte reais para assistir um filminho. Duvida? Então pegue seu carro numa sexta-feira à noite e vá ao Cinemark do já citado Shopping Iguatemi. Só pela entrada, você irá pagar R$ 21,00. E isso é o que se gasta para ficar em jejum! Se quiser comer pipoca e tomar um refrigerante, se prepare para desembolsar, pelo menos, mais R$ 10,00. Ah, não se esqueça do estacionamento. Garanto que a brincadeira vai chegar facilmente perto dos R$ 50,00. Isso se você estiver sozinho.

Tudo bem, escolhi um lugar bem caro como exemplo. Mas mesmo o Cinemark do SP Market, nos confins da Marginal Pinheiros, cobra até R$ 15,00 por um ingresso. Ah, e para não falarem que persigo o Cinemark, cito outra grande rede, a UCI, que cobra 19 pilas pelo ingresso na sua unidade do Shopping Jardim Sul, nos dias mais caros.

É muita grana. Por vinte paus (ou menos) é possível adquirir filme um em DVD. Entrei numa loja virtual e encontrei vários títulos bacanas nessa faixa de preço. E olha que tinha até coisas finas como Cães de Aluguel, Buena Vista Social Club, Lua de Fel, Coração Satânico e Na Hora da Zona Morta. Sei que não é mesma coisa ver o filme na TV e na telona, mas pelos menos você pode aumentar a sua coleção de DVDs.

Isso se você quiser gastar a grana em filmes, porque com esse dinheiro é possível comer um lanche no Mac, ficar mais gordo e ainda guardar um troco. Já se você gosta de beber, pode converter essa grana em umas três garrafas de cerveja se for a um lugar como o Empanadas. Como eu prefiro uns bares mais simplezinhos, consigo transformar 20 paus em pelo menos quatro brejas no tradicional Rei das Batidas, no Butantã, ou no Ibotirama, na Augusta.

Dá para ir até para a balada com essa grana. Lá no Sarajevo, só para ficar na Rua Augusta, você não paga mais de dez reais para entrar. Ainda sobram uns trocados para você tomar uma ou duas latinhas. Essas são só algumas idéias. Na nossa cidade, porém, não é tão difícil encontrar outras opções para sair de casa gastando pouco.

Mesmo o cinema pode ser mais barato. Quarta-feira é sempre o dia em que você paga menos. Depois, em questão de preços baixos, vêm as matinês de segunda, terça e quinta. O problema é que, a menos que você ainda use calças curtas, é difícil ir ao cinema num dia útil antes das cinco da tarde. Mas as matinês dos feriados e fins de semana podem ser aproveitadas para pagar um pouco menos. Lá no Cinemark Marketplace, por exemplo, se você chegar cedo em uma sessão do fim de semana paga 16, em vez de 18 reais. Tudo bem que não é lá uma economia enorme, mas ajuda um pouco.

O que ajuda muito é ter uma carteirinha de estudante. Mas é recomendável ser estudante mesmo, nesse caso, já que, por causa das carteirinhas de mentirinha, os cinemas estão de olho na documentação e nos comprovantes de quem usufrui dessa facilidade.

Ah, de vez em quando aparecem também umas promoções bacanas. Toda última sexta-feira do mês, por exemplo, o Espaço Unibanco de Cinema (olha a Augusta de novo) promove a Odisséia de Cinema. Funciona assim: são apresentados três filmes, sendo que um deles é surpresa. Nos intervalos, há um DJ e uma pista de dança. Tudo isso sai por módicos R$ 16,00, ou seja, menos de R$ 6,00 para ver cada filme.

O Unibanco também tem semanalmente uma sessão popular, por R$ 5,00. Mesmo o Cinemark já chegou a ter promoções como o Projeta Brasil, um dia em que diversos filmes brasileiros puderam ser vistos por apenas R$ 2,00. Pode acontecer de novo. Hoje eles têm a Sessão Desconto, pela qual você paga R$ 4,00 (em média) para assistir a um filme determinado na sessão das 15h. Por isso, se você é cinéfilo, mas não tem grana para pagar os preços altíssimos dos ingressos, vai ter que ficar de olho em jornais, revistas, perguntar aos amigos e acessar o Guia da Semana.

Leia as colunas anteriores do Robinson:

? Movie Titles: Nomes escolhidos para alguns filmes que beiram o mau gosto

? Invasões bárbaras: Como o comportamento alheio tira a paz de qualquer cidadão no cinema

Fotos ilustrativas: www.sxc.hu Quem é o colunista: : Robinson Melgar, 29, não estudou e por isso ganha a vida escrevendo sobre informática. Seu sonho é virar a maior autoridade em cinema de sua rua.

O que faz: é jornalista.

Pecado gastronômico: x-calabresa.

Melhor lugar de São Paulo: Rua Augusta.

Acesse o site dele: www.morfina.com.br.

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

7 Fatos sobre “Fallen” que você precisa saber antes de ir aos cinemas

Adaptação do primeiro livro da saga adolescente estreia no dia 8 de dezembro

4 Motivos para ver “A Qualquer Custo” nos cinemas

Filme com Chris Pine e Jeff Bridges chega aos cinemas em janeiro

"50 Tons Mais Escuros" ganha trailer inédito; confira

Novo vídeo do longa está mais caliente do que nunca!

Clássico de Chaplin tem sessão gratuita no Auditório Ibirapuera

Exibição encerra a programação do centenário de Paulo Emílio Sales Gomes

Saiu o primeiro teaser de "Homem Aranha: De Volta ao Ler"; vem assistir!

Trailer completo será divulgado nesta quinta-feira

Mais de 20 fotos inéditas de "Transformers: O Último Cavaleiro" vazam na internet; confira

Próximo longa da franquia estreia em junho de 2017