Guia da Semana

Crítica: Adam Sandler vive um sapateiro com poderes mágicos em “Trocando os Pés”

Comédia desperdiça o potencial de uma boa história e não consegue dosar o humor e o drama

Uma nova comédia protagonizada por Adam Sandler chega aos cinemas no dia 28 de maio. Se fosse há dez anos, isso significaria grandes bilheterias e um público fiel, mas não hoje. O ator, que estourou nos anos 90 com filmes como “Um Maluco no Golfe” e “O Paizão”, vem perdendo credibilidade após um período de trabalhos esquecíveis (“Gente Grande 2”, “Juntos e Misturados”) e polêmicas envolvendo o desrespeito com atores nativo-americanos em seu próximo filme, “Ridiculous Six”.

Trocando os Pés” tenta retomar alguns dos padrões que marcaram os melhores filmes de Sandler: o protagonista inocente, uma situação fantástica, alguns erros bem intencionados e uma grande lição de vida ao final. O filme, entretanto, passa longe de ser o novo “Click”, preferindo se manter raso e previsível para não exigir muito do público.

O longa acompanha Max, um sapateiro que herdou o negócio do pai, mas foi abandonado por ele quando ainda era adolescente. Insatisfeito com o trabalho e a vida sem desafios, Max descobre uma antiga máquina de costura no porão, que tem o poder de transformá-lo no dono de qualquer sapato.

Com clientes tão variados quanto um líder de gangue, um travesti e um modelo italiano, o sapateiro tem sua chance de experimentar outras vidas – mas não o faz. Prefere se passar pelos outros para cometer pequenos delitos, como comer de graça num restaurante chique, sequestrar um carro ou invadir a casa de um cliente mal educado.

As confusões geradas pela mágica não ficam apenas nos mal entendidos, mas acabam envolvendo um assassinato e um acidente de carro (possivelmente o maior clichê do cinema atual). Para estranhamento do público, porém, essas situações são encaradas com humor pastelão e não com o toque dramático que caberia facilmente num filme de Sandler.

“Trocando os Pés” é uma comédia leve com uma premissa diferente, mas que não aproveita seu potencial. Sem ousadia, ela acaba sendo apenas mais uma opção entre tantas outras do gênero, passageira e pouco engraçada.

 

Atualizado em 28 Mai 2015.

Por Juliana Varella
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Primeiro trailer de "Planeta dos Macacos: A Guerra" é divulgado; assista

Terceiro longa da franquia estreia em julho de 2017

Primeiro trailer de "Homem Aranha: De Volta ao Lar" é divulgado; assista

Filme chega aos cinemas brasileiros em julho de 2017

Série baseada em “Evil Dead”ganha maratona gratuita em SP

Cine Phenomena exibe primeira temporada de “Ash vs Evil Dead” em dezembro

10 Motivos para ver a animação “Sing – Quem Canta Seus Males Espanta”

Filme chega aos cinemas no dia 22 de dezembro

“Pets” tem sessão gratuita para incentivar a adoção de animais

Cine Matilha exibe a animação em sessão aberta para cães e seus donos

7 Fatos sobre “Fallen” que você precisa saber antes de ir aos cinemas

Adaptação do primeiro livro da saga adolescente estreia no dia 8 de dezembro