Guia da Semana

Crítica: Dolorosamente sem graça, “Ted 2” mostra que a mesma piada nem sempre funciona duas vezes

Filme recorre à cartilha de gracinhas pseudo-provocativas que fizeram a fama de Seth MacFarlane

Quando o ursinho Ted apareceu pela primeira vez nos cinemas, fumando maconha e falando palavrão, o público até achou engraçadinho. O enredo, sobre o dono do urso que precisava se desapegar do amigo de infância para amadurecer, também não era ruim e muita gente conseguiu se divertir. O problema é que a mesma piada, contada duas vezes, não tem mais o mesmo efeito.

Ted 2” traz de volta Ted (Seth MacFarlane), agora já casado com Tami-Lynn (Jessica Barth), pensando em adotar uma criança para salvar o relacionamento em crise. Quando o casal dá início ao processo, porém, uma questão legal vem à tona: perante a lei, Ted não pode ser considerado uma pessoa. A partir daí, Ted, Tami, John (Mark Wahlberg) e a jovem advogada Sam (Amanda Seyfried) iniciam uma batalha judicial contra o Estado para recuperar os direitos do urso.

O problema não é apenas a história cheia de buracos (a crise conjugal, por exemplo, se resolve de uma hora para a outra), mas o humor do diretor e roteirista MacFarlane. Como em seus outros trabalhos, “Ted 2” repete os mesmos temas de sempre: maconha, objetos fálicos, negros e mulheres que parecem doces mas são tão lesadas quanto seus colegas masculinos. Fica difícil rir quando já se sabe exatamente o que está por vir – e não são poucos os momentos em que a piada é recebida com um silêncio constrangedor da plateia.

A comédia ainda tem outros problemas pontuais: a sequência de abertura, por exemplo, não dialoga em nada com o restante do filme. Como uma referência genérica a Hollywood, Ted protagoniza um foxtrot com dançarinos em roupas de gala, lembrando os maçantes números musicais das cerimônias do Oscar e ainda trazendo à memória a lamentável ocasião em que MacFarlane foi o anfitrião da festa.

Outro ponto questionável são as cenas com o advogado vivido por Morgan Freeman – cuja presença força uma lição de moral, com direito ao velho discurso vocês-me-fizeram-lembrar-da razão-pela-qual-eu-escolhi-minha-profissão. Também é um pouco incômodo o relacionamento entre John e Sam, que nem mesmo se mostram interessados um no outro, mas ainda assim se unem porque pede a cartilha.

“Ted 2”, não por acaso, vem amargando uma trajetória bem menos entusiástica que seu antecessor: nos EUA, arrecadou apenas US$ 81 desde a estreia em junho, contra US$ 219 mi do primeiro filme – e o orçamento ainda foi um pouco mais alto. Por aqui, o longa estreia no dia 27 de agosto e o desempenho não deve ser muito diferente. Fuja dessa roubada.

Atualizado em 29 Ago 2015.

Por Juliana Varella
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Diretor de “Fragmentado” revela que o filme será parte de uma trilogia; confira a entrevista completa

M. Night Shyamalan veio ao Brasil divulgar o suspense que estreia no dia 23 de março

Robert Downey Jr. será "Doutor Dolittle" em novo filme do personagem

"The Voyage of Doctor Dolittle" ainda não tem data de estreia

Novo “Power Rangers” equilibra nostalgia e modernidade e foca no público adolescente

Filme aposta no desenvolvimento dos personagens e trabalha a diversidade

"A Bela e a Fera" é a maior estreia do ano - e a sétima da história dos EUA!

Filme estreou na última quinta-feira soma faturamento de US$ 350 mi ao redor do mundo

“T2 Trainspotting” – como o original, sequência também é um espelho do seu tempo

Longa se passa 20 anos depois do clássico e traz de volta o mesmo elenco

"Viva - a Vida é uma Festa", nova animação da Pixar, ganha primeiro trailer

Com dublagem de Gael García Bernal, filme estreia em janeiro de 2018