Guia da Semana

Crítica: “Jogada de Mestre” recria sequestro do herdeiro da Heineken nos anos 80

Filme traz Anthony Hopkins no papel do magnata holandês

A vida real às vezes pode ser mais surpreendente que a ficção. No caso de “Jogada de Mestre” (cujo título original significa “sequestrando o Sr. Heinekken”), a inspiração vem de um crime real, que resultou no maior resgate já pago por um indivíduo até então.

Se o caso, que dominou manchetes em meados dos anos 80, parecia na época digno de um blockbuster de ação, talvez o diretor (Daniel Alfredson, das versões suecas da trilogia Millenium) tenha descoberto que é preciso um pouco mais do que uma boa história e um bom elenco para se construir um bom filme. 

De fato, os atores garantem 90% da sustentação do thriller. Anthony Hopkins, com aquele olhar sereno de quem sempre sabe algo a mais que os protagonistas, vive o magnata sequestrado, enquanto Jim Sturgess (“Across the Universe”), Sam Worthington (“Avatar”), Ryan Kwanten (“True Blood”), Mark van Eeuwen e Thomas Cocquerel são os amigos de infância que se unem para cometer o crime.

O contexto é uma crise econômica europeia que deixa o grupo à beira da falência. Com uma esposa grávida e sem disposição para se “rebaixar” de chefe a funcionário, Cor Van Hout (Sturgess) propõe aos seus amigos, já acostumados a alguns pequenos delitos, que se lancem ao “grande golpe” – aquele que garantirá tranquilidade a todas as suas famílias. “Tudo o que temos para apostar é a nossa liberdade... Então é melhor apostarmos alto!”, brada, orgulhoso, numa noite de ano-novo.

O longa começa de forma bastante inteligente, mostrando o milionário discursando sobre o próprio sequestro: “O que vocês estão fazendo é completamente estúpido. Mas, se der certo, será brilhante”. Isso deixa o público com uma expectativa sobre o sucesso ou o fracasso da gangue.

O problema é que, sendo esta uma história real (e uma abordagem relativamente fiel), sobra pouca margem para o inesperado e, apesar do roteiro bem escrito, da produção bem feita e de alguns bons momentos de tensão, o desfecho acaba se mostrando frustrante.

“Jogada de Mestre” é bastante envolvente, mas não será lembrado por muito tempo. Mesmo assim, é uma boa opção para fugir do frio com uma pipoca quentinha naquele fim-de-semana despretensioso.

Atualizado em 28 Jul 2015.

Por Juliana Varella
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Reese Witherspoon quer fazer "Legalmente Loira 3"

"As mulheres precisam desse tipo de positividade hoje em dia", disse a atriz ao E! News

10 Filmes da Sessão da Tarde para ver na Netflix

“Operação Cupido” e “Aventureiros do Bairro Proibido” estão entre os filmes nostálgicos em cartaz

“Estrelas Além do Tempo” revela as mulheres negras que mudaram a história da NASA

Longa inspirador e bem-humorado estreia no dia 2 de fevereiro nos cinemas

“A Cura”: diretor de “O Chamado” retorna ao terror com longa sinistro e hipnotizante

Filme chega aos cinemas no dia 16 de fevereiro

“O Poderoso Chefinho”: animação adorável sobre um bebê “adulto” estreia em março (e vai conquistar seu coração)

Filme explora a relação entre um menino de 7 anos e seu novo irmãozinho

Final do Super Bowl será transmitida ao vivo nos cinemas

Evento acontece no dia 5 de fevereiro e terá show de Lady Gaga no intervalo