Guia da Semana

Dez apostas nacionais para 2011

Confira quais são os filmes que fazem parte da nova safra nacional e prometem agitar as bilheterias neste ano

A cada ano o cinema nacional ganha mais notoriedade e atinge um número maior de espectadores. Além disso, as produções brasileiras têm sido o grande celeiro de atores brilhantes e de jovens cineastas que esbanjam talento aos olhos do público. Em 2010, a indústria cinematográfica do Brasil mostrou grande força com a diversidade de temas e com filmes que angariaram grandes bilheterias, como Tropa de Elite 2, que quebrou recordes e foi visto por quase 11 milhões de pessoas.

Para 2011, já estão previstas estreias que prometem lotar as poltronas e marcar a história da indústria cinematográfica tupiniquim. Já na primeira semana do ano, De Pernas Para o Ar, comédia estrelada por Ingrid Guimarães, atraiu cerca 203 mil espectadores, segundo o site Filme B. Outra grande promessa é Bróder, de Jeferson De, que deve estrear em março e ganhou o Prêmio de Melhor Filme na 38ª edição do Festival de Gramado. Prepare a pipoca e veja quais são as películas mais aguardadas pelos críticos e cinéfilos.

Desenrola

Depois do sucesso do longa adolescente As Melhores Coisas do Mundo, de Laís Bodanzky, chega às telonas em 14 de janeiro mais uma produção com temática teen. Desenrola, dirigido por Rosane Svartman, conta história de Priscila (Olívia Torres), uma garota de 16 anos que fica pela primeira vez sozinha em casa, pois sua mãe viaja a trabalho. A partir daí, o enredo mostra os dilemas dessa fase da vida. Durante as filmagens, internautas participaram da escolha dos atores do elenco de apoio, da trilha sonora, além de sugerir diálogos e conflitos.

Brasil Animado 3D

O primeiro longa animado 3D brasileiro deve estrear em 21 de janeiro. Com uma proposta inovadora, o filme dirigido por Mariana Caltabiano mostra uma viagem pelo país e seus cenários paradisíacos. Por meio de uma mistura de imagens reais e animação, a produção traz uma espécie de road movie protagonizado por dois picaretas - Stress e Relax - que buscam a árvore mais antiga do Brasil, o Grande Jequitibá Rosa. A história conta com versões divertidas em três dimensões de brasileiros famosos, como a modelo Gisele Bündchen e a ginasta Daiane dos Santos.

Bruna Surfistinha - O Doce Veneno do Escorpião

Inspirado no livro homônimo escrito por Raquel Pacheco (Bruna Surfistinha), que relata o diário de uma garota de programa, o filme é um dos mais aguardados pelo público neste semestre e chega aos cinemas em 25 de fevereiro. Deborah Secco interpreta o papel-título e contracena com Cássio Gabus Mendes, que vive um cliente, e Drica Moraes, uma cafetina. Com direção de Marcus Baldini, o enredo promete trazer cenas quentes e matar a curiosidade sobre os tabus que envolvem a prostituição.

Fotos: Arquivo Pessoal/ Jeferson De

Jeferson De e Caio Blat durante as gravações de Bróder

Bróder

Com estreia prevista para 8 de março, o primeiro longa do diretor Jeferson De é um dos mais esperados pelos críticos e conquistou três estatuetas no 38º Festival de Cinema Gramado (melhor filme, ator e direção). Estrelado por Caio Blat, Bróder retrata a periferia de São Paulo por meio do reencontro de três amigos que moraram no Capão Redondo. Jaiminho (Jonathan Haagensen) se tornou jogador de futebol. Pibe (Sílvio Guindane) é vendedor de seguros. Macu (Blat) ainda é seduzido pela criminalidade e recebe uma proposta para realizar um sequestro. Porém, tudo se complica quando a gangue decide sequestrar Jaiminho.

VIPs

O vencedor do troféu Redentor de melhor filme de ficção do 12º Festival do Rio é outro figurão para este ano. VIPs, o segundo longa-metragem de Toniko Melo, é inspirado na obra homônima de Mariana Caltabiano. A trama traz Wagner Moura na pele Marcelo Nascimento da Rocha, que ficou conhecido como um dos maiores vigaristas do país por assumir diversas identidades falsas. A dupla Bráulio Mantovani e Thiago Dottori assina o roteiro da produção, que ainda conta com Gisele Fróes, Norival Rizzo, Roger Gobeth e o ator argentino Jorge D'Elia no elenco.

As Mães de Chico Xavier

Na levada do sucesso das películas com temática espírita, em 1º de abril está prevista a estreia de As Mães de Chico Xavier, de Glauber Filho, que também dirigiu Bezerra de Menezes. Mais uma vez, o médium mais respeitado do Brasil volta às telonas interpretado pelo ator Nelson Xavier, que protagonizou Chico Xavier, de Daniel Filho. O roteiro foi baseado no livro Por Trás do Véu de Isis, do jornalista e escritor Marcel Souto Maior, e conta a história de três mães que procuram conforto com o espírita.

Cilada.com

Quem gostou do programa humorístico protagonizado por Bruno Mazzeo, exibido no Multishow, poderá conferir a versão para cinema da série em 21 de abril. Agora, o ator vive novas ciladas bem-humoradas. O grande constrangimento da trama acontece em uma festa de casamento. Depois de beber além da conta, Bruno (personagem homônimo) trai sua namorada Fernanda (Fernanda Paes Leme). Na hora do discurso do pai da noiva, ele é flagrado transando com uma loira atrás do telão. Para se vingar da humilhação pública, Fernanda coloca na Internet um vídeo constrangedor, em que ele tem uma ejaculação precoce.

Assalto ao Banco Central

O roubo ao Banco Central de Fortaleza foi a inspiração de Marcos Paulo para o seu primeiro trabalho como diretor de cinema, depois de 40 anos de televisão. Com roteiro assinado por Renê Belmonte (Se Eu Fosse Você), o filme é estrelado por Lima Duarte e Milhem Cortaz e retrata o furto que levou R$ 164,8 milhões através de um túnel cavado por uma quadrilha que alugou uma casa nas imediações do banco.

Capitães de Areia

Um das obras mais famosas de Jorge Amado ganhou versão cinematográfica e tem estreia prevista para 5 de agosto. A direção é assinada por Cecília Amado, neta do escritor baiano. A história retrata um grupo de meninos abandonados que vivem na Bahia, durante a década de 1950, chamados de Capitães de Areia. O elenco é composto por jovens formados em oficinas culturais de ONGs de comunidades carentes, como o Olodum, o Ilê Aiyê e o Projeto Axé.

Foto: Divulgação

Selton Mello interpreta um artista em crise de identidade em O Palhaço

O Palhaço

Um palhaço com crise de identidade é o ponto central do segundo longa dirigido por Selton Mello. O filme tem estreia prevista para 26 de agosto e é um dos mais aguardados para o segundo semestre. O projeto nasceu de uma crise pessoal do ator em relação à profissão. Ele próprio interpreta o protagonista, o palhaço Benjamin, que usa o nome artístico de Pangaré. Os dilemas são vividos ao lado de seu pai, o palhaço Valdemar, ou Puro-Sangue (Paulo José).

Atualizado em 10 Abr 2012.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Ator de “Power Rangers” faz homenagem à Chapecoense durante a CCXP 2016

Elenco do filme participa da terceira edição da feira de cultura pop em São Paulo

Veja os melhores cosplays da Comic Con Experience 2016 (CCXP)

Evento acontece no São Paulo Expo entre 1 e 4 de dezembro

CCXP 2016 surpreende com vídeos exclusivos no segundo dia de evento

Cena de novo “Homem-Aranha” e trailer de “Planeta dos Macacos: A Guerra” foram destaques na sexta-feira

"Jumanji" tem estreia no Brasil adiada para 2018

Anúncio foi feito pela Sony durante a CCXP

Assista à entrevista exclusiva com Fiuk e Sandy sobre a animação "Sing - Quem Canta Seus Males Espanta"

Filme estreia no dia 22 de dezembro nos cinemas

"A Múmia": Remake com Tom Cruise ganha teaser e pôster

Estreia está agendada para junho de 2017