Guia da Semana

“Garota Exemplar” chega aos cinemas com um pé no Oscar

Novo suspense de David Fincher acerta no roteiro, no elenco e no clima de tensão constante

Certos diretores têm um padrão de qualidade a manter: o público espera isso deles, a crítica espera isso e, ao que parece, eles mesmos não se contentam com menos. Desde seu explosivo “Seven: Os Sete Crimes Capitais”, David Fincher tem sido um desses cineastas – capaz de transformar até a biografia de um hacker introvertido e pouco carismático em sucesso absoluto. Não é de se espantar, portanto, que seu novo projeto, “Garota Exemplar”, já chegue aos cinemas com um olho nas bilheterias e outro no Oscar. Com boas chances.

A Garota de Fincher tem tudo para virar febre: um desaparecimento, um bom suspeito, pistas labirínticas e uma virada de roteiro hitchcockiana. Tudo isso baseado num livro que já era sucesso – o romance homônimo de Gillian Flynn, que assina a adaptação.

Ben Affleck encontra seu papel ideal no marido meio-dedicado, meio-irritado e garanhão nas horas vagas Nick Dunne. Ele conhece Amy (Rosamund Pike) numa festa, troca algumas piadinhas intelectuais e se apaixona. Cinco anos depois, não suporta mais o olhar enigmático nem as charadas que ela cria cuidadosamente para cada aniversário de casamento.

Quando Amy desaparece, Nick oscila entre o alívio e o desespero, lidando ao mesmo tempo com a polícia, a mídia e os sogros. Não demora para que ele se torne o principal suspeito, e que o sumiço passe a ser tratado como assassinato.

O elenco principal ainda conta com a irmã gêmea de Nick, Margo (Carrie Coon), o advogado especializado em causas perdidas Tanner (Tyler Perry), a investigadora Rhonda (Kim Dickens) e o ex-namorado de Amy, Desi (Neil Patrick Harris). A seleção não poderia ser mais certeira.

Há espaço para curiosidade, medo, sensualidade e até um pouco de humor nas duas horas e meia de “Garota Exemplar”. É um humor negro, louco, de quem coloca seus personagens para fazerem as escolhas menos sensatas o tempo todo.

Quem carrega essa montanha russa é Pike, que, entre sorrisos brilhantes e olhos raivosos, magnetiza o público e o conduz numa jornada emocional sem volta. Amy, em si, é uma figura misteriosa: transformada em personagem pelos pais escritores (“Amy Exemplar”, na tradução), ela diz que a garotinha dos livros está sempre um passo à frente de si mesma, como se representasse expectativas que ela precisa cumprir.

Amy tem sua vida real, é bem sucedida e parece ter encontrado o homem dos seus sonhos em Nick, mas nem tudo sai como o previsto: os dois enfrentam uma recessão e perdem seus empregos, mudando de casa e de vida em questão de meses. O castelo começa a ruir e o que emerge é amargo e cheio de rancor. “Isso é casamento”, justifica ela, em certo momento. Ferir um ao outro diariamente, preferir o silêncio ao diálogo, isso é seu casamento.

O filme prende o espectador com uma narrativa organizada por dias (contados a partir do desaparecimento) e dividida entre o ponto de vista de Nick e o de Amy – que narra sua parte lendo páginas de um diário. O presente e o passado se combinam para compor um quadro essencial para que se compreenda o crime e os eventos que se desenrolarão depois. Estes, poderão se tornar bastante arrepiantes... E gráficos. Dignos de Fincher.

Assista se você:

  • Gosta dos filmes de David Fincher
  • Gosta de histórias de suspense com quebra-cabeças
  • Procura um filme que o surpreenda

Não assista se você:

  • Não gosta dos filmes de David Fincher
  • Não gosta de adaptações
  • Não quer ver cenas de sexo ou violência (não são pesadas)

Atualizado em 3 Fev 2015.

Por Juliana Varella
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

10 Motivos para ver a animação “Sing – Quem Canta Seus Males Espanta”

Filme chega aos cinemas no dia 22 de dezembro

“Pets” tem sessão gratuita para incentivar a adoção de animais

Cine Matilha exibe a animação em sessão aberta para cães e seus donos

7 Fatos sobre “Fallen” que você precisa saber antes de ir aos cinemas

Adaptação do primeiro livro da saga adolescente estreia no dia 8 de dezembro

4 Motivos para ver “A Qualquer Custo” nos cinemas

Filme com Chris Pine e Jeff Bridges chega aos cinemas em janeiro

"50 Tons Mais Escuros" ganha trailer inédito; confira

Novo vídeo do longa está mais caliente do que nunca!

Clássico de Chaplin tem sessão gratuita no Auditório Ibirapuera

Exibição encerra a programação do centenário de Paulo Emílio Sales Gomes