Guia da Semana

Jack Black compara “Goosebumps” a “Os Goonies” e afirma que o cinema está perdendo espaço para a TV

Ator conversou com a imprensa para divulgar seu novo filme, que estreia nesta quinta-feira nos cinemas

Jack Black é um personagem e tanto, mesmo longe do set. Para a coletiva de imprensa concedida em São Paulo, o ator americano entrou desfilando poses e caretas, para depois responder a todas as perguntas com simpatia e bom humor. Na ocasião, relembrou seus primeiros trabalhos, revelou preferir a TV ao cinema hoje, comentou as referências de seu novo filme, “Goosebumps: Monstros e Arrepios”, e alfinetou: “não se fazem mais filmes infantis como antigamente”.

Famoso por longas como “Escola do Rock”, “Kung Fu Panda” e “Rebobine, Por Favor”, Black agora vem se aventurando, também, na televisão, na comédia política “The Brink”. A série foi uma oportunidade para trabalhar novamente com o ator Tim Robbins, que lhe ofereceu seu primeiro trabalho no cinema, no filme “Bob Roberts” (1992). Sobre a opção entre uma mídia e outra, ele constatou que esta é uma tendência clara no momento: “Todos os bons roteiros hoje estão na TV: True Detective (a primeira temporada), Fargo, Breaking Bad, Game of Thrones... Eles estão deixando o cinema na poeira. Eu queria fazer parte disso”.

Se o cinema não passa por uma fase boa, o cinema infantil está ainda pior, aos olhos do ator. “Quando fizemos Goosebumps, pensamos nos anos 80, quando o Spielberg estava fazendo filmes para as crianças. Hoje, não há mais filmes como aqueles, que eram ao mesmo tempo emocionantes, assustadores e divertidos, com exceção de algumas animações. Hoje, ou eles são assustadores demais para as crianças, ou muito infantis, para bebês. Esse meio-termo foi o que tentamos encontrar... Estamos tentando resgatar a magia que havia em filmes como Os Goonies ou Os Caça-Fantasmas.”

Para isso, um dos segredos foi não se prender tanto à realidade. Apesar de o escritor R.L. Stine, que Black interpreta em “Goosebumps”, estar presente nas gravações (e inclusive numa cena do filme), o ator revelou que não houve o interesse de basear sua atuação no personagem real. Por razões dramáticas, o escritor nas telas ganhou um contorno mais sinistro e exagerado. “Criamos Stine como um homem reservado, que sofreu muito na juventude e agora se protege atrás de um muro e de seus monstros. Isso fazia sentido no filme e Stine não se importou”.

Nascido no final dos anos 60, Black admite que nunca tinha lido os livros da série “Goosebumps”, lançados apenas nos anos 90 e voltados para crianças e adolescentes. Apesar disso, ele recomenda o filme para “qualquer pessoa que goste de filmes de monstros”, independente da idade.  “Goosebumps: Monstros e Arrepios” estreia no dia 22 de outubro nos cinemas de todo o país.

Atualizado em 21 Out 2015.

Por Juliana Varella
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

17 filmes para assistir no NOW durante o feriado de Carnaval

De terror a animação, confira filmes que vão te entreter nesse feriado

Logan: "filme definitivo" do Wolverine chega aos cinemas

Longa marca a despedida de Hugh Jackman do personagem que viveu por 17 anos

Um Limite Entre Nós: filme indicado ao Oscar chega ao Brasil em cima da hora

Longa traz Denzel Washington e Viola Davis em atuações singulares

13 filmes indicados ao Oscar que você pode assistir em casa agora mesmo

Do premiado “A Chegada” ao emocionante “Fogo no Mar”, veja quais são os filmes do Oscar para assistir no NOW

Confira os melhores momentos da passagem de Hugh Jackman pelo Brasil

“Silêncio”: 3 motivos para ver o novo filme de Scorsese (e 3 para pensar duas vezes)

Longa traz Andrew Garfield e Adam Driver como padres jesuítas