Guia da Semana

Jack Black compara “Goosebumps” a “Os Goonies” e afirma que o cinema está perdendo espaço para a TV

Ator conversou com a imprensa para divulgar seu novo filme, que estreia nesta quinta-feira nos cinemas

Jack Black é um personagem e tanto, mesmo longe do set. Para a coletiva de imprensa concedida em São Paulo, o ator americano entrou desfilando poses e caretas, para depois responder a todas as perguntas com simpatia e bom humor. Na ocasião, relembrou seus primeiros trabalhos, revelou preferir a TV ao cinema hoje, comentou as referências de seu novo filme, “Goosebumps: Monstros e Arrepios”, e alfinetou: “não se fazem mais filmes infantis como antigamente”.

Famoso por longas como “Escola do Rock”, “Kung Fu Panda” e “Rebobine, Por Favor”, Black agora vem se aventurando, também, na televisão, na comédia política “The Brink”. A série foi uma oportunidade para trabalhar novamente com o ator Tim Robbins, que lhe ofereceu seu primeiro trabalho no cinema, no filme “Bob Roberts” (1992). Sobre a opção entre uma mídia e outra, ele constatou que esta é uma tendência clara no momento: “Todos os bons roteiros hoje estão na TV: True Detective (a primeira temporada), Fargo, Breaking Bad, Game of Thrones... Eles estão deixando o cinema na poeira. Eu queria fazer parte disso”.

Se o cinema não passa por uma fase boa, o cinema infantil está ainda pior, aos olhos do ator. “Quando fizemos Goosebumps, pensamos nos anos 80, quando o Spielberg estava fazendo filmes para as crianças. Hoje, não há mais filmes como aqueles, que eram ao mesmo tempo emocionantes, assustadores e divertidos, com exceção de algumas animações. Hoje, ou eles são assustadores demais para as crianças, ou muito infantis, para bebês. Esse meio-termo foi o que tentamos encontrar... Estamos tentando resgatar a magia que havia em filmes como Os Goonies ou Os Caça-Fantasmas.”

Para isso, um dos segredos foi não se prender tanto à realidade. Apesar de o escritor R.L. Stine, que Black interpreta em “Goosebumps”, estar presente nas gravações (e inclusive numa cena do filme), o ator revelou que não houve o interesse de basear sua atuação no personagem real. Por razões dramáticas, o escritor nas telas ganhou um contorno mais sinistro e exagerado. “Criamos Stine como um homem reservado, que sofreu muito na juventude e agora se protege atrás de um muro e de seus monstros. Isso fazia sentido no filme e Stine não se importou”.

Nascido no final dos anos 60, Black admite que nunca tinha lido os livros da série “Goosebumps”, lançados apenas nos anos 90 e voltados para crianças e adolescentes. Apesar disso, ele recomenda o filme para “qualquer pessoa que goste de filmes de monstros”, independente da idade.  “Goosebumps: Monstros e Arrepios” estreia no dia 22 de outubro nos cinemas de todo o país.

Atualizado em 21 Out 2015.

Por Juliana Varella
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Veja os melhores cosplays da Comic Con Experience 2016 (CCXP)

Evento acontece no São Paulo Expo entre 1 e 4 de dezembro

CCXP 2016 surpreende com vídeos exclusivos no segundo dia de evento

Cena de novo “Homem-Aranha” e trailer de “Planeta dos Macacos: A Guerra” foram destaques na sexta-feira

"Jumanji" tem estreia no Brasil adiada para 2018

Anúncio foi feito pela Sony durante a CCXP

Assista à entrevista exclusiva com Fiuk e Sandy sobre a animação "Sing - Quem Canta Seus Males Espanta"

Filme estreia no dia 22 de dezembro nos cinemas

"A Múmia": Remake com Tom Cruise ganha teaser e pôster

Estreia está agendada para junho de 2017

Cahiers du Cinéma elege os melhores filmes de 2016

O brasileiro "Aquarius" aparece em quarto lugar na lista