Guia da Semana

Jessica Alba: Só mais um rostinho bonito

De Los Angeles


Ela começou a trabalhar para valer na série Flipper e, com o tempo, pegou gosto pela televisão. Entretanto a beldade mundial Jessica Alba apareceu nos radares da imprensa e também dos idólatras por celebridades bonitas quando assumiu o papel principal na série Dark Angel, criada por ninguém menos que James "Titanic" Cameron, em sua primeira grande empreitada televisiva. Algumas temporadas depois, já famosa por seu belo corpo e traços latinos, embora não releve sua origem mexicana por parte de pai, ela começava a trilhar o caminho para o estrelato.

Filmes como Dicionário de Cama começaram a aparecer em sua carreira, até que ela foi escalada para viver Nancy Callahan no impecável Sin City - Cidade do Pecado, seu melhor papel até hoje. Pouco depois, era a vez de assumir Sue Storm na série Quarteto Fantástico. O filme do momento é O Olho do Mal (The Eye), refilmagem do ótimo A Herança, dos Pang Brothers. Agora, grávida do primeiro filho, Jessica Marie Alba se diz feliz com a maternidade, acostumada com paparazzi, acha que o fato de um filme mudar de continente "melhora o roteiro". Confira a entrevista exclusiva.

Fábio Barreto: O Olho do Mal fala de fantasmas, você fica cega e ainda tem que tocar violino. Muitas coisas não-convencionais. Qual delas foi mais assustadora?
Jessica Alba:
Ficar cega foi, sem dúvida, o mais difícil. Tive que atuar tateando o corredor, as paredes, a casa toda. Tentei fazer as cenas de olho fechado para dar mais realidade. Pelo menos, eu podia tirar a venda. Os cegos não podem.

E o violino?
Jessica Alba:
Treinei muito para tocar e gostei, mas, especialmente, quando posso acompanhar a música. É menos estressante.

Então, você não gosta de climas de muita cobrança no set?
Jessica Alba:
Não é questão de gostar. Eu me pressiono mais que qualquer pessoa. Por isso acabei carregando todo esse filme nas costas. Preciso estar em sintonia com o que o diretor pensa para fazer meu trabalho, então, não ajuda se alguém mais fica me pressionando. Eu já dou conta do recado.

E, nesse filme, o medo não fazia essa pressão?
Jessica Alba:
Sou meio supersticiosa. Por exemplo, não gosto de ter pássaros em casa. Dá uma sensação ruim. Não sei o motivo, só não acho uma boa idéia. E eu convivo com essa coisa de fantasmas faz tempo. Meus pais tinham uma casa assombrada. As torneiras abriam sozinhas no meio da noite e ouvíamos barulhos assustadores. Era apavorante.

Isso ajudou você no filme de alguma maneira?
Jessica Alba:
Só o estado de espírito em que você fica já assusta. Melhoramos a história por trazer tudo para a América e dá muito mais medo agora. Albuquerque (Novo México, onde parte do filme foi rodada) é um lugar muito espiritual e cria uma certa tensão.

Com esse filme você se iguala a Naomi Watts e Sarah Michelle Gellar no hall das beldades que se arriscaram em remakes do cinema oriental. Por que você acha necessário esse tipo de refilmagem?
Jessica Alba:
Gostei muito de O Chamado e O Grito. Fiquei empolgada com a idéia e, finalmente, tenho um filme de terror só meu. O público curte esse tipo de coisa e a história é original, não tem nada parecido.

Mas é um remake, certo?
Jessica Alba:
Sim, mas, agora, é ocidental e minha personagem é um pouco mais profunda que a do outro filme.

Como assim profunda?
Jessica Alba:
Melhoramos o roteiro.

Qual a expectativa para essa melhoria de roteiro?
Jessica Alba:
Os fãs do gênero são leais. Eles vão gostar. É, mas as críticas serão positivas e negativas. Esse filme trata do tabu dos fantasmas, é um conceito mais ocidental. Os fantasmas são tratados de outra maneira no oriente.

Mas qual essa mudança para a idéia ocidental?
Jessica Alba:
A história acontece no Novo México, nos Estados Unidos, muita coisa muda.

Como... por exemplo?
Jessica Alba:
Ah, tudo, sabe!

Não queria tocar nesse assunto, mas Heath Leadger acabou de morrer [a entrevista aconteceu 40 minutos depois do anúncio do falecimento]. Você teve algum contato com ele? O que você achava do trabalho dele? Ser ator é tão estressante a ponto de provocar um acidente como esse ou, até mesmo, um suicídio, como tantos outros?
Jessica Alba:
É tão triste. A fama, Hollywood, dinheiro. Eles deixam você ser quem você quer. É tudo muito sério. Sabe, River Phoenix, Jimi Hendrix... aquele outro famoso.

James Dean?
Jessica Alba:
Quem é esse mesmo?

Juventude Transviada.
Jessica Alba:
Isso, acho que é ele.

  • Confira a crítica de O Olho do Mal

    Fotos: Divulgação

    Leia as entrevistas anteriores do nosso correspondente:

  • Steven Strait: Protagonista de 10.000 a.C. fala sobre o trabalho com Roland Emmerich

  • Jack Black: Humorista norte-americano revela a experiência de dublar um personagem em Kung Fu Panda

  • J.K. Simmons: Ator que interpreta o pai de Juno fala sobre o longa independe

    Quem é o colunista: Fábio M. Barreto adora escrever, não dispensa uma noitada na frente do vídeo game e é apaixonado pela filha, Ariel. Entre suas esquisitices prediletas está o fanatismo por Guerra nas Estrelas e uma medalha de ouro como Campeão Paulista Universitário de Arco e Flecha.

    O que faz: Jornalista profissional há 12 anos, correspondente internacional em Los Angeles, crítico de cinema e vivendo o grande sonho de cobrir o mundo do entretenimento em Hollywood.

    Pecado gastronômico: Morango com Creme de Leite! Diretamente do Olimpo!

    Melhor lugar do Brasil: There´s no place like home. Onde quer que seja, nosso lar é sempre o melhor lugar.

  • Atualizado em 6 Set 2011.

    Compartilhe

    Comentários

    Outras notícias recomendadas

    10 Filmes da seleção de Cannes que você vai querer ver em 2017

    Biografia de Godard e novos filmes de Michael Haneke e Roman Polanski são destaques no festival

    Filmes exibidos em Cannes têm desconto no streaming no mês de maio

    Now e ITunes fazem promoção cinéfila para acompanhar o festival

    26 remakes ou reboots que você nem acredita que estão nos planos de Hollywood

    "Os Pássaros", "A Mosca" e "Eu Sei O Que Vocês Fizeram No Verão Passado" estão entre os filmes que podem ganhar novas versões nos cinemas

    “Corra!” – terror sobre preconceito racial é uma das melhores coisas que você verá nos cinemas neste ano

    Filme de Jordan Peele estreia no dia 18 de maio nos cinemas

    7 Filmes imperdíveis que chegam aos cinemas em maio

    "Corra!" e "Alien: Covenant" chegam aos cinemas neste mês

    “Gostosas, Lindas e Sexies” – Sex and the City à brasileira chega aos cinemas com elenco plus-size

    Filme estreia nesta quinta, 20 de abril