Guia da Semana

Kevin Costner se divide entre a filha e a C.I.A. em “3 Dias Para Matar”

Filme injeta um pouco de humor na velha fórmula do “assassino-quase-aposentado”

Certos clichês não falham: se o herói de um filme de ação decide se aposentar logo nos primeiros minutos (mesmo que a causa seja uma doença terminal), é certo que haverá aquele “último serviço”. No caso de Ethan Renner, a missão é matar algumas pessoas em nome de C.I.A. enquanto cuida da filha adolescente.

3 Dias Para Matar” é tão genérico quanto o nome sugere, mas arrisca uma abordagem diferente e bem-humorada do gênero. Ethan (Kevin Costner) não é apenas um assassino profissional à beira da morte: é também um homem apaixonado e pai coruja, que, apesar disso, nunca foi muito bom em conciliar trabalho e família – tanto que abandonou a sua por cinco anos.

De volta a Paris, onde moram Christine (Connie Nielsen) e Zooey (Hailee Steinfeld), Ethan tenta reatar os laços, mas vê que isso não será fácil. Zooey era criança quando ele partiu e agora o trata como um estranho, recusando-se a aceitá-lo como pai.

A solução é tão absurda que chega a ser interessante: no meio de um “trabalho”, Ethan conhece um motorista de luxo com duas filhas adolescentes e passa a pedir conselhos de pai para pai. Isso não o impede de torturá-lo e quase matá-lo em diversas ocasiões, mas a violência é tratada como mera rotina profissional para os dois – nada pessoal.

A direção é assinada por McG, o mesmo que levou às telas “As Panteras” e “O Exterminador do Futuro – A Salvação”, mas o roteiro é de Luc Besson, que está em cartaz nos cinemas com a ficção científica “Lucy”. Não é difícil encontrar a mão de Besson neste pipocão-família: as relações pessoais-profissionais do assassino lembram “A Família”, comédia de 2013 que fazia graça com o dia-a-dia de uma família de mafiosos.

O clima familiar do filme só é quebrado pela presença da agente Vivi (Amber Heard), personagem cuja motivação não conhecemos, que veste uma peruca loira e saltos agulha durante boa parte do filme. É ela quem recruta Ethan e lhe oferece uma droga capaz de estender sua vida, em troca do serviço sujo. Seu papel é caricato e suas falas são tão vazias quanto se poderia esperar: em certo momento, ela chega a declarar que “faz o tipo de todos os homens”. Ao que tudo indica, basta ter cabelos loiros e lábios vermelhos para isso.

Mesmo com seus clichês evidentes, “3 Dias Para Matar” oferece algumas risadas e traz um herói mais humano do que o título sugere. A atuação sincera de Costner acaba fazendo a diferença, elevando o filme da categoria “assistível” para um programa de fato divertido para pais e filhos. Vale a pipoca.

Assista se você:

  • Quer ver um filme de ação com um pouco de humor
  • Procura um filme despretensioso para relaxar
  • É fã de Kevin Costner ou de Hailee Steinfeld

Não assista se você:

  • Não gosta de filmes de ação
  • Não quer ver violência gratuita
  • Procura um filme imprevisível, que surpreenda

Atualizado em 12 Set 2014.

Por Juliana Varella
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

10 Filmes da seleção de Cannes que você vai querer ver em 2017

Biografia de Godard e novos filmes de Michael Haneke e Roman Polanski são destaques no festival

Filmes exibidos em Cannes têm desconto no streaming no mês de maio

Now e ITunes fazem promoção cinéfila para acompanhar o festival

26 remakes ou reboots que você nem acredita que estão nos planos de Hollywood

"Os Pássaros", "A Mosca" e "Eu Sei O Que Vocês Fizeram No Verão Passado" estão entre os filmes que podem ganhar novas versões nos cinemas

“Corra!” – terror sobre preconceito racial é uma das melhores coisas que você verá nos cinemas neste ano

Filme de Jordan Peele estreia no dia 18 de maio nos cinemas

7 Filmes imperdíveis que chegam aos cinemas em maio

"Corra!" e "Alien: Covenant" chegam aos cinemas neste mês

“Gostosas, Lindas e Sexies” – Sex and the City à brasileira chega aos cinemas com elenco plus-size

Filme estreia nesta quinta, 20 de abril