Guia da Semana

“Mapas Para as Estrelas” satiriza o estilo de vida hollywoodiano

Filme de David Cronenberg passa do ponto ao explorar excesso de personagens e temas polêmicos

“Você tem o mapa para as estrelas?”, pergunta uma garota recém-descida do ônibus ao motorista de uma limusine no novo filme de David Cronenberg. O contraste não é por acaso: eles estão em Los Angeles e o que ela busca é uma porta de entrada para o universo quase alienígena das celebridades - um mundo que conhece mais do que deixa transparecer e do qual foi banida anos atrás.

Mapas Para As Estrelas”, como Cronenberg batizou essa estranha fábula hollywoodiana, tem um pouco de tudo: crítica cultural, traumas familiares e até uma pitada de terror sobrenatural. Fantasmas aparecem o tempo todo.

A garota do início é Agatha (Mia Wasikowska), uma menina com uma queimadura no rosto que conhece Carrie Fisher (a princesa Leia, de Star Wars) e consegue um trabalho como assistente pessoal de Havana Segrand (Julianne Moore).

Havana, por sua vez, é uma personagem tão perturbada que rendeu facilmente o prêmio de melhor atriz a Moore em Cannes. Atriz desempregada, ela se sente pressionada pela imagem jovem e bem sucedida da mãe (Sarah Gadon), uma atriz de sucesso nos anos 50 ou 60 que morreu tragicamente num incêndio. Dominada pelo trauma da competição e da perda, Havana chegou a construir memórias (ou teriam elas de fato ocorrido?) de um abuso sexual praticado pela mãe.

Como se todo esse complexo freudiano não fosse suficiente, a filha agora quer repetir o papel mais famoso da genitora num remake que pode ressuscitar sua carreira. O problema é que, até agora, o diretor não a convidou para o projeto.

Do outro lado desse circo está a família de Stafford Weiss (John Cusack), um terapeuta cujo filho, de 13 anos, foi astro de um blockbuster infantil e acaba de voltar da reabilitação. Benji (Evan Bird) não é um menino tão ruim, mas veste uma postura arrogante para se misturar nesse meio, deixando-se contagiar vez ou outra pela adrenalina do momento (como quando brinca de roleta russa).

A carência desses personagens pela fama é potencializada pelo medo do julgamento, representado pelos fantasmas que assombram Havana e Benji. Mas não é só Hollywood que está no divã e não demora até vermos os valores mais básicos serem jogados, quase literalmente, descarga abaixo.

O motorista com quem Agatha se envolve, interpretado por Robert Pattinson numa inversão de seu papel em “Cosmópolis”, é uma peça um pouco fora de lugar. A princípio, sua visão deveria espelhar a do autor (Bruce Wagner, ex-chauffeur de celebridades em Beverly Hills), mas quem nos conta a história não é ele, mas sim uma espécie de narrador onisciente, o que acaba deixando o conjunto solto e pouco intimista. Além disso, nunca chegamos a saber exatamente o que esse personagem pensa sobre aquele mundo, exceto que ele quer fazer parte dele – escrevendo roteiros, como Wagner.

Entre risos histéricos e gritos desesperados, “Mapas Para As Estrelas” é uma sátira que passou do ponto, juntando ideias boas e ruins numa mesma sopa de humor duvidoso. O resultado incomoda, mas, levando em conta o histórico polêmico de Cronenberg, talvez fosse justamente essa a intenção.

Atualizado em 10 Mar 2015.

Por Juliana Varella
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

"O Círculo": Suspense com Tom Hanks e Emma Watson ganha primeiro trailer

Em 2017, os atores vão se encontrar nas telonas pela primeira vez

Após polêmica, Bernardo Bertolucci desmente estupro em "Último Tango em Paris"

Diretor julgou repercussão como um "mal-entendido ridículo"

"Guardiões da Galáxia Vol. 2" tem o trailer mais assistido da história da Marvel

Continuação do longa de 2014 chega aos cinemas em abril de 2017

"Sully - O Herói do Rio Hudson" ganha nova data de estreia no Brasil

Filme em que Tom Hanks evita acidente aéreo teve lançamento adiado após tragédia com Chapecoense

Apresentador Jimmy Kimmel comandará o Oscar 2017

Notícia foi confirmada pela revista Variety

Assista à nova prévia de "Tamo Junto", comédia estrelada por Sophie Charlotte

Longa apresenta humor repleto de referências da cultura pop