Guia da Semana

“Ninfomaníaca – Volume 2” conclui a obra mais completa de Lars Von Trier

Longa critica hipocrisia e faz estudo ousado sobre o sexo e as relações sociais

Dois meses depois de lotar os cinemas com a primeira parte de seu novo projeto, Lars Von Trier finalmente fecha o ciclo de “Ninfomaníaca”, um filme dividido em dois cujo final estreia no dia 13 de março. O resultado é seu trabalho mais sincero e provocador até agora – mais maduro que “Anticristo”, mais irônico que “Melancolia”. Longe de entretenimento barato ou pornográfico, o diretor faz uma retrospectiva densa de sua obra e alfineta a si mesmo, ao público e à crítica.

+ Confira salas e horários para assistir ao filme
+ Leia a crítica de Ninfomaníaca - Volume 1 
+ Conheça 9 filmes sobre sexo para esquentar suas noites

A situação é a mesma: Joe (Charlotte Gainsbourg) continua sentada na cama de hóspedes de Seligman (Stellan Skarsgard), o “homem feliz” como sugere seu nome. Ela, sem nenhum senso de humor, narra sua saga de prazer e sofrimento com o peso da culpa e uma xícara de chá.

Se a primeira parte apresentou a juventude de Joe (Stacy Martin) e suas conquistas sexuais irresponsáveis, a segunda mostra as consequências daqueles anos para a mulher já adulta. Ela perdeu a sensibilidade e será capaz de arriscar seu corpo e sua família para recuperá-la.

Em pouco tempo, uma das parábolas do anfitrião dá ao espectador uma pista das intenções de Von Trier: Joe e Seligman talvez simbolizem dois lados da mesma Igreja. Romana e Ortodoxa, Ocidental e Oriental. Uma, pessimista e opressora; a outra, otimista e ingênua.

A fixação por religiões marca a carreira do diretor e faz dele a “persona non grata” de todos os festivais. Von Trier já se compadeceu por Hitler e lançou um movimento minimalista contra todas as tendências de Hollywood, mas o que realmente incomoda é seu ateísmo. Filme após o outro, ele trata questões religiosas com rigor psicológico e nos faz olhar para tudo o que a Igreja esconde sob o tapete: o sexo, a morte, o ego.

Quem assistiu aos outros longas do dinamarquês há de sentir o déja-vu. Num momento-chave, a trilha sonora repete a de “Anticristo”, com Gainsbourg novamente no papel de mãe negligente. Em outros, vemos a traição e o sadismo brotarem das fontes mais puras, como no clássico “Dogville”.

Entre momentos tensos e cômicos (como a inesquecível cena do mènage), Lars Von Trier cutuca a hipocrisia de seu espectador: você defende a liberdade sexual? Considera-se livre de preconceitos? E por dentro, o que você realmente pensa?

É fácil julgar Joe, suas decisões são questionáveis e provocam repulsa. Mas a verdade é que ela é a heroína de uma história incomum – uma pessoa cujo plano de vida não inclui casar, ter filhos, ter um trabalho comum.  

Lars Von Trier já foi acusado de misógino, o que soa injusto já que “Ninfomaníaca” é uma crítica pesada à objetificação da mulher. Uns se aproveitam da hipersexualidade de Joe, outros a temem e tentam controlá-la, mas ninguém tenta, de fato, compreendê-la ou encará-la como um ser humano.

A protagonista é vista e age como uma máquina sexual, até dentro de sua própria narrativa (na vida real, porém, há outra Joe muito mais humana que nos conduz por sua história).

A mensagem do diretor mais polêmico da atualidade é clara e urgente: a mulher carrega o fardo de desejar e ser desejada, mas também de ser reprimida por isso a todo o momento – inclusive por si mesma e por nós, espectadores hipócritas com nossas vidas sem pecados.

Assista se você:

- Gostou de Ninfomaníaca - Volume 1
- Gostou dos outros filmes de Lars Von trier
- Procura um filme inteligente  

Não assista se você:

- Fica constrangido ao ver órgãos sexuais explícitos
- Não gosta de filmes europeus
- Procura um filme erótico

Atualizado em 14 Mar 2014.

Por Juliana Varella
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Ator de “Power Rangers” faz homenagem à Chapecoense durante a CCXP 2016

Elenco do filme participa da terceira edição da feira de cultura pop em São Paulo

Veja os melhores cosplays da Comic Con Experience 2016 (CCXP)

Evento acontece no São Paulo Expo entre 1 e 4 de dezembro

CCXP 2016 surpreende com vídeos exclusivos no segundo dia de evento

Cena de novo “Homem-Aranha” e trailer de “Planeta dos Macacos: A Guerra” foram destaques na sexta-feira

"Jumanji" tem estreia no Brasil adiada para 2018

Anúncio foi feito pela Sony durante a CCXP

Assista à entrevista exclusiva com Fiuk e Sandy sobre a animação "Sing - Quem Canta Seus Males Espanta"

Filme estreia no dia 22 de dezembro nos cinemas

"A Múmia": Remake com Tom Cruise ganha teaser e pôster

Estreia está agendada para junho de 2017