Guia da Semana

Novo filme de Laurent Cantet

Longa é baseado no livro de Françóis Bégaudeau



Antes de falar de Entre os muros da escola, o mais recente filme do diretor Laurent Cantet (Em Direção ao Sul), vamos voltar no tempo.


Desde o governo de Jacques Chirac (1995 - 2007), a situação dos imigrantes na França era tensa, com repressão e deportação para seus países de origem. Após a posse de seu sucessor, Nicolas Sarkozy, a situação tornou-se mais grave, com invasão de casas de estrangeiros para extraditá-los. O atual presidente defende a implantação da educação para adaptar os imigrantes aos costumes do país. Nesse período, a França registrou um crescimento de quase trinta por cento nos incidentes violentos ligados à xenofobia.


Assim, baseado no livro do escritor - e ator no longa - François Bégaudeau, o filme de Cantet já é considerado a ficção mais realista sobre a atualidade sócio-cultural francesa.


Entre os muros da escola se passa em um colégio no subúrbio da França, onde o professor François (o próprio François Bégaudeau) tem de lidar com as intempéries dos alunos, um caldeirão de etnias e personalidades prestes a entrar em ebulição. Com diálogos rápidos e constantes, o professor luta com as armas que têm (a autoridade e o diálogo) para controlar os jovens estudantes.Porém, a história vai além da edificante mensagem "ao mestre com carinho" de outras produções do gênero e toca em um assunto muito mais delicado: a diferença étnica que se faz presente durante as aulas, com presença de alunos orientais, árabes e africanos, por exemplo.


Tratando dos problemas educacionais e políticos da França dos anos 2000, Catent aborda a imposição de uma identidade nacional nessa sociedade que possui outra língua, outros costumes e outras opiniões. Enfim, outra realidade.


Entre as afrontas aos professores e discussões em sala, Entre os muros da escola mostra que todos eles possuem sonhos e medos similares, tornando-se extremamente confiantes uns com os outros em classe, porém totalmente vulneráveis quando confrontados pelos adultos.


A história, que chega a se tornar claustrofóbica por se desenrolar apenas dentro da escola, pode cansar os mais desavisados, porém as mais de duas horas trazem personagens que não são divididos entre vilões e bandidos. São apenas personagens confinados em uma falha de comunicação, cheia de conflitos pessoais e sociais.


François dialoga com os alunos o tempo todo, incitando-os a pensar, a discutir todo tipo de assunto, não se resumindo, apenas, a gerar um monólogo entre professor e aluno. A câmera sim, essa transita por entre as diferenças: quando foca o professor, em boa parte do tempo temos a impressão de ocupar o lugar dos alunos; quando são os alunos conversando, a câmera está ali, bem no meio, como se fizesse parte da discussão. E é aí que o espectador cria essa empatia tanto pelos alunos como pelo professor de francês.


Entre os muros da escola, indicado para o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro e ganhador da Palma de Ouro no Festival de Cannes, tornou-se o primeiro filme francês a receber o prêmio desde Sob o Sol de Satã, de Maurice Pialat, em 1987. Isso mostra como o tema é de forte relevância, não só para os próprios franceses.

Leia a coluna anterior de Leonardo Freitas:

Canções de Amor

Quem é o colunista: Um jornalista aficcionado por cinema de A a Z.

O que faz: Jornalista, tradutor e fotógrafo de uma editora de quatro publicações segmentadas.

Pecado gastronômico: Lasanha.

Melhor lugar do Brasil: Qualquer lugar, desde que eu esteja com meus amigos.

Para Falar com ele: leonardo.g.freitas@gmail.com

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Ator de “Power Rangers” faz homenagem à Chapecoense durante a CCXP 2016

Elenco do filme participa da terceira edição da feira de cultura pop em São Paulo

Veja os melhores cosplays da Comic Con Experience 2016 (CCXP)

Evento acontece no São Paulo Expo entre 1 e 4 de dezembro

CCXP 2016 surpreende com vídeos exclusivos no segundo dia de evento

Cena de novo “Homem-Aranha” e trailer de “Planeta dos Macacos: A Guerra” foram destaques na sexta-feira

"Jumanji" tem estreia no Brasil adiada para 2018

Anúncio foi feito pela Sony durante a CCXP

Assista à entrevista exclusiva com Fiuk e Sandy sobre a animação "Sing - Quem Canta Seus Males Espanta"

Filme estreia no dia 22 de dezembro nos cinemas

"A Múmia": Remake com Tom Cruise ganha teaser e pôster

Estreia está agendada para junho de 2017