Guia da Semana

Oscar 2009 - Melhor Atriz

O prêmio é a disputa mais acirrada deste ano. O azarão é Melissa Leo, pelo filme Rio Congelado. Pouco conhecida no Brasil, Melissa conseguiu agora sua primeira indicação ao Oscar, após mais de 25 anos de carreira. Anne Hathaway tem maiores chances, com O Casamento de Rachel. Favorita absoluta quando o filme foi lançado, em outubro, a atriz caiu na lista de apostas durante 2009.

Ao contrário do marido Brad Pitt, Angelina Jolie tem grandes chances de levar a estatueta para casa, com A Troca, considerado o melhor trabalho de sua carreira. Jolie encontra suas principais ameaças ameaça em duas colegas, que se tornaram figuras carimbadas na cerimônia: Meryl Streep e Kate Winslet. Streep já acumula 15 indicações ao Oscar, tendo vencido duas vezes. Ela pode repetir a façanha este ano, com Dúvida. Mas mesmo com a forte concorrência, 2009 tem tudo para ser de Kate Winslet, que após seis indicações, ainda não conquistou o prêmio. No Globo de Ouro, Kate levou o troféu pelos papéis em O Leitor, pelo qual foi indicada, e também por Foi Apenas Um Sonho.

Saiba mais sobre cada uma das indicadas a melhor atriz:











Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Robert Downey Jr. será "Doutor Dolittle" em novo filme do personagem

"The Voyage of Doctor Dolittle" ainda não tem data de estreia

Novo “Power Rangers” equilibra nostalgia e modernidade e foca no público adolescente

Filme aposta no desenvolvimento dos personagens e trabalha a diversidade

"A Bela e a Fera" é a maior estreia do ano - e a sétima da história dos EUA!

Filme estreou na última quinta-feira soma faturamento de US$ 350 mi ao redor do mundo

“T2 Trainspotting” – como o original, sequência também é um espelho do seu tempo

Longa se passa 20 anos depois do clássico e traz de volta o mesmo elenco

"Viva - a Vida é uma Festa", nova animação da Pixar, ganha primeiro trailer

Com dublagem de Gael García Bernal, filme estreia em janeiro de 2018

A Bela e A Fera, antes e depois: comparamos o filme de 2017 com o clássico de 1991

Produções são quase idênticas na trama, mas detalhes fazem a diferença