Guia da Semana

“Pompeia” narra romance em vila petrificada por vulcão

Corrupção, escravismo e disputas de honra se desenrolam sob a ameaça de erupção

Uma história de amor e guerra sob a iminência do fim. “Pompeia”, novo filme de Paul W. S. Anderson (Mortal Kombat), anuncia sua tragédia logo no título: esta foi a cidade atingida pelo Monte Vesúvio, o lendário vulcão italiano que petrificou uma comunidade inteira, preservando feições, gestos e casas. Para os menos familiarizados, os primeiros segundos de filme fazem o serviço: tudo é pedra e cinzas.

+ Confira salas e horários para assistir ao filme
+ Veja as principais estreias de 2014 nos cinemas
+ Assista ao teaser da 4ª temporada de Game of Thrones 

Kit Harington, mais conhecido como Jon Snow na série Game of Thrones, é o protagonista Milo. Nascido numa aldeia de cavaleiros, ele viu seu povo ser massacrado por um general romano quando criança e acabou escravizado como gladiador. Um dia, Milo é levado para lutar em Pompeia, durante a visita do senador Corvus (Kiefer Sutherland) – o homem por trás dos ataques.

É ali que todas as tramas se encontram: a de vingança por um passado de guerra; a busca de liberdade por um gladiador veterano; a troca de favores entre o senador e o governador local; o romance proibido entre Milo e a filha desse governador (Emily Browning); e, finalmente, a ameaça do desastre – um castigo divino ou apenas o destino natural de todas as pessoas.

Testemunhar disputas humanas diante de um vulcão ativo é uma experiência curiosa. Se há algo que diferencia Pompeia de outros melodramas do gênero é a presença do Vesúvio e a certeza (ou quase) de que todos os personagens terão o mesmo fim, no mesmo momento. Por que, então, levar a luta até o fim? Por que escravizar, brigar pela mão de uma mulher ou pedir justiça?

Em certo momento, Milo e seu companheiro de cela (Adewale Akinnuoye-Agbaje) discutem sobre o melhor jeito de morrer – como um homem livre ou como um gladiador? A morte em si não os assusta, mas sim a humilhação de terminarem seus dias como escravos, submissos aos desejos de seus senhores.

Viver “até a última gota” é o mote desta aventura, que coloca a vingança, a honra e o amor como realizações máximas da vida humana. Se for para morrer, que seu opressor morra antes e mais desesperadamente, que se lute bravamente até o fim e que sua companheira esteja ao seu lado. Tradicional e romântico, como nos velhos tempos.

Assista se você:

- Gosta de filmes com gladiadores
- Gosta de épicos românticos
- É fã de Kit Harington ou de Emily Browning

Não assista se você:

- Procura um filme inovador
- Não gosta de filmes com gladiadores ou vulcões
- Não gosta de filmes românticos

Atualizado em 19 Fev 2014.

Por Juliana Varella
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Ator de “Power Rangers” faz homenagem à Chapecoense durante a CCXP 2016

Elenco do filme participa da terceira edição da feira de cultura pop em São Paulo

Veja os melhores cosplays da Comic Con Experience 2016 (CCXP)

Evento acontece no São Paulo Expo entre 1 e 4 de dezembro

CCXP 2016 surpreende com vídeos exclusivos no segundo dia de evento

Cena de novo “Homem-Aranha” e trailer de “Planeta dos Macacos: A Guerra” foram destaques na sexta-feira

"Jumanji" tem estreia no Brasil adiada para 2018

Anúncio foi feito pela Sony durante a CCXP

Assista à entrevista exclusiva com Fiuk e Sandy sobre a animação "Sing - Quem Canta Seus Males Espanta"

Filme estreia no dia 22 de dezembro nos cinemas

"A Múmia": Remake com Tom Cruise ganha teaser e pôster

Estreia está agendada para junho de 2017