Guia da Semana

Quando a arte imita a vida

Algumas histórias reais de tão incríveis acabam sendo base para filmes de grande sucesso de público.

Fotos: Divulgação/ IMDB
 
O diretor do filme, Danny Boyle, e o protagonista na vida real da história de 127 horas, Aron Ralston, durante as filmagens.

Um sujeito autossuficiente, atlético e prático que numa sexta-feira do mês de abril de 2003 decidiu passar o final de semana excursionando pela bela e remota região do Canyonlands National Park, em Utah, nos Estados Unidos. Sem avisar ninguém aonde ia. Seis dias depois, esse mesmo rapaz saiu do meio das montanhas sem um braço e com uma impressionante história de sobrevivência para contar. Essa experiência real, pela qual passou o norte-americano Aron Ralston, foi descrita no livro Between a Rock and a Hard Place (recém-lançado no país) e inspirou a produção de 127 horas, em cartaz nos cinemas brasileiros.

O filme, dirigido por Danny Boyle, levantou polêmica antes mesmo de estrear no circuito comercial. Durante sua exibição no Festival de Toronto, Canadá, alguns expectadores desmaiaram por não suportarem assistir à cena em que Aron amputa o próprio braço. Inclusive, o diretor do longa-metragem foi obrigado a pedir desculpas públicas por este episódio. A imprensa local da Austrália também informou que alguns médicos do país advertiram os cidadãos sobre o fato de 127 horas não ser indicado para os mais sensíveis, devido ao realismo das cenas de mutilação.

Isso ocorreu após especialistas do Hospital St. Vincent, localizado em Sydney, terem atendido três pessoas que sofreram desmaios, vômitos e até um ataque epilético dentro do cinema no período de uma semana. Atualmente casado e com um filho, Aron Ralston voltou ao cânion Blue John durante a produção do filme em uma data comemorativa: o sétimo aniversário do dia em que ficou preso. Após quase morrer com a experiência, ele considera toda a situação como se fosse um renascimento, justamente por rever valores e se descobrir uma nova pessoa.

Assim como a história mostrada em 127 horas, muitos episódios traumáticos e de grande superação para os envolvidos acabaram indo parar nos cinemas. O último (ou melhor, próximo) exemplo foi o drama vivido durante 69 dias por 33 mineiros chilenos presos no fundo de uma mina, ao norte de país. A revista norte-americana Variety Fair divulgou que a história deve ser transformada em um longa-metragem chamado Atacama's 33.

Histórias impressionantes

 
 Partida do navio Titanic, retratada no filme de James Cameron.

A lista de filmes baseados em fatos reais é bastante extensa. Uma das tragédias mais famosas a ganhar adaptações para o cinema foi a do navio "que nem Deus afunda". O documentário inglês Somente Deus por Testemunha (A night to remember), de 1958, baseou-se em documentos históricos para retratar o naufrágio, que também ganhou a sétima arte em adaptações romanceadas norte-americanas.

A mais famosa foir a de 1997, dirigida por James Cameron: Titanic acabou arrebatando 11 Oscar e entrou para a seleta galeria dos filmes que mais saíram premiados da festa, ao lado de Ben Hur e O Senhor dos Anéis: o Retorno do Rei. O casal principal da história, Jack e Rose (vividos por Leonardo di Caprio e Kate Winslet), não existiu na vida real, contudo, diversas pessoas que viajavam no navio foram retratadas no filme.

Lançado ao mar em 12 de abril de 1912, o Titanic afundou dois dias depois, ao bater em um iceberg no meio do oceano. Das 2227 pessoas à bordo, apenas 706 sobreviveram. A última dessas pessoas ainda viva, Milvina Dean, faleceu em maio de 2009 num asilo da Inglaterra, aos 97 anos. Ela era a mais jovem passageira na época, com apenas nove semanas de vida quando a tragédia ocorreu.

Outra impressionante história real adaptada para as telonas foi a de um time uruguaio de jogadores de rúgbi. Há exatos 38 anos, no dia 13 de outubro de 1972, o avião em que eles viajavam para o Chile, onde disputariam uma partida, caiu em meio à Cordilheira dos Andes. Setenta e dois dias depois, apenas 16 dos 45 passageiros iniciais foram resgatados com vida.

Em condições extremas de sobrevivência nas geladas cordilheiras, eles tiveram que se alimentar da carne de seus companheiros mortos. A história virou o livro Os Sobreviventes: a Tragédia dos Andes, de Piers Paul Read, que inspirou o filme Vivos!. Até hoje, todos os 16 sobreviventes dos Andes se encontram. Inclusive, em 2006, eles chegaram a retornar ao local do desastre para orar pelos companheiros que morreram.

Personagens especiais

Um dos requisitos para uma boa história virar filme é ter um protagonista forte. No Brasil, está prestes a estrear o longa-metragem Bruna Surfistinha, baseado no livro de memórias da ex-prostituta Raquel Pacheco. Vinda de uma família de classe média, Raquel fugiu de casa para ser garota de programa - e registrou a experiência em um blog, que posteriormente deu origem ao livro. A história levantou polêmicas, que se intensificaram com a produção do filme, estrelado por Deborah Secco.

 Já nos Estados Unidos, foi produzido um filme sobre uma mãe desempregada, divorciada duas vezes e com três filhos para criar. No desespero, ela aceita uma vaga de arquivista em um pequeno escritório de advocacia. Ao se deparar com uma pasta contendo a conta médica paga pela empresa que fornecia água para a cidade de Hinckley, no sul da Califórnia, a mulher intuitivamente levantou a lebre.

Apoiada pelo patrão, ela iniciou uma investigação que levou a gigante Pacific Gas & Electric a pagar o montante de U$ 333 milhões como indenização para os moradores de uma comunidade atingida por um sem-número de doenças graves causadas pela água poluída distribuída. Essa foi a história da verdadeira Erin Brockovich, que no Brasil ganhou o subtítulo de Uma Mulher de Talento.

 Fotos: AFP
 
 A verdadeira Erin Brockovich e Frank William Abagnale Jr. durante premiere dos respectivos longas-metragem.

O filme foi uma ótima oportunidade para a estrela Julia Roberts, que interpreta a personagem título, também mostrar seu talento e levar seu primeiro Oscar pelo papel. A própria Erin aparece numa ponta, fazendo uma garçonete que serve a personagem de Julia e seus filhos. Até hoje ela trabalha na mesma firma, como diretora de pesquisas, e dá palestras, além de consultoria, sobre processos envolvendo resíduos tóxicos.

Até diretor Steven Spielberg já decidiu investir num personagem real carismático. Em Prenda-me se for capaz, filmou a história do sujeito mais jovem a ser perseguido pelo FBI: Frank William Abagnale Jr. Ainda com 17 anos, o rapaz deu um prejuízo de cerca de 2,5 milhões de dólares aplicando golpes em diversos estados norte-americanos. No período, Abagnale trabalhou sob oito identidades, se passando por médico, advogado e até copiloto de aviões, entre outros, com o intuito de fraudar cheques.

Preso na França em 1969, o golpista foi extraditado para a Suécia, onde cumpriu pena de um ano por falsidade ideológica. Em 1974, o governo federal dos Estados Unidos o libertou sob a condição de que ajudasse as autoridades federais contra fraudes monetárias. Atualmente, ele está milionário e dá palestras e aulas pelo mundo sobre sua experiência. Também possui uma consultoria de fraudes e prevenção, a Abagnale & Associates.

Fichas técnicas

Se você se interessou por assistir aos filmes citados na matéria, todos baseados em fatos reais, veja os dados de cada um separados pelo Guia da Semana.

 


127 horas
Título original: 127 hours
Direção: Danny Boyle
Elenco: James Franco, Kate Mara, Amber Tamblyn.
Tempo de duração: 94 min
Ano de lançamento: 2010





Somente Deus por testemunha
Título original: A night to remember
Direção: Roy Ward Baker
Elenco: Kenneth More, James Dyrenforth, Jane Downs.
Tempo de duração: 123 min
Ano de lançamento: 1958








Titanic
Título original: Titanic
Direção: James Cameron
Elenco: Leonardo DiCaprio, Kate Winslet, Billy Zane.
Tempo de duração: 194 min
Ano de lançamento: 1997







Vivos!
Título original: Alive
Direção: Frank Marshall
Elenco: Ethan Hawke, John Malkovich, Vincent Spano.
Tempo de duração: 127 min
Ano de lançamento: 1993







Erin Brockovich - Uma mulher de talento
Título original: Erin Brockovich
Direção: Steven Soderbergh
Elenco: Julia Roberts, Albert Finney, Aaron Eckhart.
Tempo de duração: 145 min
Ano de lançamento: 2000







Prenda-me se for capaz
Título original: Catch Me If You Can
Direção: Steven Spielberg
Elenco: Leonardo DiCaprio, Tom Hanks, Christopher Walken.
Tempo de duração: 140 min
Ano de lançamento: 2002

Atualizado em 10 Abr 2012.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

"Velozes & Furiosos 8" ganha título, teaser e sinopse oficiais

Trailer completo vai ser divulgado no próximo domingo!

ITunes lança promoção com filmes de 2016 a preços especiais

“Carol” e “A Assassina” estão entre os títulos disponíveis por até US$ 2,99

Belas Artes faz Noitão apocalíptico para “exorcizar” 2016

Maratona terá no cardápio clássicos como “Mad Max” e “Purple Rain”

Taylor Swift e Zayn lançam trecho da trilha sonora de "50 Tons Mais Escuro"; vem escutar

"I Don’t Wanna Live Forever" está disponível no iTunes e Apple Music

Primeiro trailer de "Planeta dos Macacos: A Guerra" é divulgado; assista

Terceiro longa da franquia estreia em julho de 2017

15 presentes que todo fanático por Harry Potter gostaria de ganhar neste Natal

Um mais incrível do que o outro <3