Guia da Semana

“Risco Imediato” se revela tão genérico quanto seu título

James Franco e Kate Hudson interpretam um casal comum que se envolve com perigosos traficantes

A tradução de títulos de filmes é uma coisa complicada. “Good People”, por exemplo, significa literalmente “boas pessoas”, o que tem tudo a ver com o filme de Henrik Ruben Genz com James Franco e Kate Hudson, que estreia no Brasil em abril. Em português, o longa ganhou o nome de “Risco Imediato”.

De tão genérico, o título serviria para quase qualquer filme de ação – mas não serve para este. Os protagonistas Tom (Franco) e Anna (Hudson) são, afinal, boas pessoas. Pessoas de bem, como dizemos, daquelas que trabalham, se amam e economizam cada centavo para realizar o sonho de ter uma casa e um filho. E isso é o ponto: se eles são tão bons assim, como será que agiriam diante da tentação de fazer algo muito errado?

Ok, a premissa não é nenhuma descoberta da roda, mas, pelo menos, há um objetivo claro na história, o que se perde com o nome em português. Aliás, de “imediato” o risco não tem nada: os dois encontram uma mala de dinheiro na garagem que alugavam e, até que isso comece a lhes trazer problemas, leva pelo menos uma semana.

O dinheiro tinha sido roubado durante uma briga de gangues e, agora, as duas facções rivais estão atrás de vingança. Ingênuos, Tom e Anna começam a usar o tesouro para pagar as contas e algumas extravagâncias a mais. Assim, além dos criminosos, eles conquistam também a atenção de um policial particularmente determinado.

O filme segue por um caminho tedioso de dilemas morais, péssimas decisões dos protagonistas e exibicionismo cruel dos vilões, mas surpreende perto do final com uma sequência de ação engenhosa e sanguinária.

No fim, “Risco Imediato” se revela uma mistura de diversos clichês policiais que, propositalmente ou não, consegue fazer o espectador torcer contra os protagonistas. Infelizmente, os vilões também não provocam empatia, estereotipados ou como o “torturador desumano” ou como o “elegante rei do crime”. Dispensável.

Atualizado em 5 Mar 2015.

Por Juliana Varella
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Logan: "filme definitivo" do Wolverine chega aos cinemas

Longa marca a despedida de Hugh Jackman do personagem que viveu por 17 anos

Um Limite Entre Nós: filme indicado ao Oscar chega ao Brasil em cima da hora

Longa traz Denzel Washington e Viola Davis em atuações singulares

Confira os melhores momentos da passagem de Hugh Jackman pelo Brasil

“Silêncio”: 3 motivos para ver o novo filme de Scorsese (e 3 para pensar duas vezes)

Longa traz Andrew Garfield e Adam Driver como padres jesuítas

Playarte Splendor inaugura novo cardápio para ser degustado no cinema

Praticidade é o foco dos novos petiscos da Sala Vip

Cinema nacional tem crescimento expressivo em 2016

Filmes brasileiros atraíram 30,4 milhões de espectadores no último ano