Guia da Semana

Sala Drive-In: primeiras impressões sobre o espaço temático do Caixa Belas Artes

Seleção de filmes e cardápio são destaques na sala que abre as portas hoje em São Paulo

Entre streamings e VODs, os cinemas “de carne-e-osso” ainda encontram espaço nos corações dos amantes de filmes – mas nem só do amor vive o mercado e, de uns tempos para cá, esses cinemas têm investido na criatividade para se manterem relevantes. Nesta sexta, 17 de junho, o Caixa Belas Artes inaugura uma nova sala, de olho nessa tendência: a Sala Drive-In.

Localizada no térreo, andar cujas salas sofriam constantes reclamações devido à pouca inclinação, ao espaço apertado entre as poltronas e ao tamanho reduzido das telas, a nova sala oferece ao visitante uma experiência mais confortável e mais interessante. O espaço é dividido em três partes: na frente, assentos restaurados de carros antigos com apoio para os pés; no centro, assentos de carros sem apoio; e, no fundo, poltronas comuns de cinema. A quantidade de lugares foi reduzida, tornando o ambiente muito mais espaçoso. Aos baixinhos, boa notícia: é possível enxergar a tela (pequena, mas elevada) de qualquer lugar.

Um dos pontos fortes da nova sala é a programação – pelo menos na primeira semana, serão três sessões diárias com filmes clássicos, do terror ao infantil, passando por ficções científicas americanas, animes japoneses e romances franceses. Para o público cinéfilo, o menu não poderia ser mais apetitoso.

E, falando em menu, uma das grandes apostas é trazer uma lanchonete para dentro da sala – com cardápio requintado elaborado pelo vizinho Riviera Bar. No dia da visita, houve degustação de dadinhos de tapioca, chumbinhos de carne de porco, hamburguinhos e um exótico drink com uísque e pipoca. Todos aprovados.

A proposta, porém, tem causado nos futuros frequentadores um receio básico: e se aquele indivíduo menos educado resolver buscar sua Coca-Cola no meio da sessão? Isso só saberemos com o tempo, mas a ideia é que os quitutes sejam comprados antes do início dos filmes – tanto que a sala será aberta com mais antecedência do que o normal, justamente para garantir que todos se acomodem a tempo.

À primeira vista, a sala chama a atenção pelo design – os assentos são bonitos e as laterais, iluminadas por faróis de automóveis –, mas alguns detalhes podem se tornar receitas para o desastre. Não há, por exemplo, porta-copos nos bancos, nem bandejas presas, como em alguns cinemas VIP. Os alimentos serão servidos em bandejas soltas, que o espectador deverá colocar sob o assento após o uso. Isso, sem uma iluminação individual, tem grandes chances de resultar em acidentes.

A primeira sessão da Sala Drive-In acontece às 13h e traz um filme que é a cara do Belas Artes: “O Fabuloso Destino de Amélie Poulain”, de Jean-Pierre Jeunet. Depois, a programação já prevê títulos como “Vestida Para Matar”, “Ghost In The Shell” e “Hellraiser”.  Agora é esperar para ver se a novidade cai no gosto dos paulistanos. 

Atualizado em 5 Jul 2016.

Por Juliana Varella
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

10 Motivos para ver a animação “Sing – Quem Canta Seus Males Espanta”

Filme chega aos cinemas no dia 22 de dezembro

“Pets” tem sessão gratuita para incentivar a adoção de animais

Cine Matilha exibe a animação em sessão aberta para cães e seus donos

7 Fatos sobre “Fallen” que você precisa saber antes de ir aos cinemas

Adaptação do primeiro livro da saga adolescente estreia no dia 8 de dezembro

4 Motivos para ver “A Qualquer Custo” nos cinemas

Filme com Chris Pine e Jeff Bridges chega aos cinemas em janeiro

"50 Tons Mais Escuros" ganha trailer inédito; confira

Novo vídeo do longa está mais caliente do que nunca!

Clássico de Chaplin tem sessão gratuita no Auditório Ibirapuera

Exibição encerra a programação do centenário de Paulo Emílio Sales Gomes