Guia da Semana

Casa e escola entrelaçadas: uma boa parceria

Agora que já passou pela fase de conhecimento da escola, a criança precisa considerá-la sua segunda casa

Foto: Getty Images


Passado esse período mais crítico do nascimento da criança para a escola, quando ela já chorou pela primeira vez (ou melhor, pela segunda vez) e já se adaptou ao seu novo ambiente, as mães podem se afastar um pouquinho, mas não deixam de estar por perto. Isso, na verdade, é muito bom, pois precisamos criar uma parceria com elas, para que nossas crianças possam crescer e se desenvolver. Conseqüentemente, a escola pode deixar de se parecer com a casa de cada um dos alunos - mas não deixa de ser uma casa. Agora, além de escola, ela também é a Casa: grande, forte, única, que abarca todas as crianças.

Além das crianças, como já foi dito, ela também abarca a família. Nesse momento, o professor conquistou sua autonomia. Seu vínculo com as crianças está consolidado e ele pode, então, desenvolver brincadeiras e atividades que acredita serem importantes para aquele grupo e colocar limites. Então, poderíamos dizer que ele seria capaz de caminhar totalmente sozinho, mas, por mais que o conhecimento dele sobre os alunos já seja consistente, a interlocução com a família é extremamente importante. Isso porque não há ninguém que saiba cuidar melhor de uma criança do que seus pais. É um conhecimento que nenhum especialista tem, por mais competente que seja. Esta idéia foi validada inúmeras vezes pelo psicanalista e pediatra inglês Donald Woods Winnicott. Durante toda a sua carreira, ele cuidou de crianças e foi através do contato extensivo com elas e suas mães, que garantiu que esse saber fosse evidenciado milhares de vezes. Assim, se não incluíssemos os pais em nosso dia-a-dia, estaríamos sendo ignorantes.

Dividindo a tarefa de cuidar

O trabalho com crianças de um a três anos não pode ser separado do cuidado do tipo materno. A alimentação e as questões com a higiene ainda são os focos principais a serem trabalhados. Esses cuidados, são a princípio, de responsabilidade da família, mas também estamos intrinsecamente ligados a eles, já que crianças dessa ainda não possuem autonomia para cuidar de si mesmas. A maioria delas, quando entra na escola, ainda está usando fralda e, conseqüentemente, temos participação fundamental no processo de "desfraldamento". Começar a controlar os esfíncteres é um passo crucial e de extrema importância, que deixa marcas significativas na vida de todos nós. Assim, temos uma responsabilidade muito grande nesse aspecto, por isso realizar uma parceria com os pais é fundamental.

Uma outra questão essencial na vida das crianças é a alimentação. Se lembrarmos que crianças pequenas têm dentes e comem alimentos diversos há muito pouco tempo, poderemos ser surpreendidos. Então, perceberemos a importância da escola quanto a isso. Principalmente nas que oferecem o lanche às crianças (com diferentes frutas, sucos e variedades de carboidratos), não é raro escutarmos o relato das mães em relação a mudanças na alimentação de seus filhos. Elas nos contam como, depois que a criança entrou na escola, começou a comer muitos alimentos de que dizia não gostar e descobriu outros que nunca havia comido. Observar os amigos na hora do lanche e participar das atividades de culinária, por exemplo, transformam a relação que a criança tem com a comida. Por outro lado, é importante saber se um aluno apresenta alguma restrição alimentar e pensar como esse fato será trabalhado dentro do grupo e no dia-a-dia da escola. Portanto, a alimentação evidencia claramente a proximidade da escola e da casa e como elas devem estar próximas, uma alterando a outra.

Foto: Getty Images


Casa

Além da alimentação, outros fatores podem transitar entre a casa e a escola transformando ambas, pois as crianças vivem tanto lá quanto cá. Dessa maneira, pode-se pensar que a escola é uma casa grande, onde sempre cabe muito mais do que um ou dois filhos. E cada um deles a transforma um pouquinho, para que ela possa ser sentida como sua casa.

Mas devemos separar e estancar funções? É mesmo paradoxal! A escola dos pequeninos é e não é a casa deles. Certa vez um menininho ficou tão confuso com essa história que disse: "Aqui é a casa do Guto? Eu vou pra minha outra casa?". Não é fácil saber como separar essas duas instituições tão importantes na Educação Infantil, mas isso nem sempre deve ser feito. Essa é uma das grandes sabedorias.

É notório o quanto há de preconceito em relação à Educação Infantil. Existe um senso comum de que os professores mais sérios - "os professores de verdade" - são aqueles que trabalham com os alunos mais velhos. Em resposta a essa idéia, os profissionais que atuam junto às crianças pequenas tentam desesperadamente mostrar o quanto também são "de verdade". Por isso, eles fazem questão de salientar seu saber escolar. Porém, este já está intrinsecamente garantido.

Em contrapartida, a proximidade com o cuidado materno, que os educadores procuram inúmeras vezes negar ou menosprezar, revela-se um dos mais preciosos. É muito importante entender que a educação das crianças pequenas acontece como uma ampliação da família para a escola e não como uma adaptação da Escola Fundamental para os menores.

Se pudermos assumir nosso lugar na Educação Infantil, compreendendo que estamos implicados tanto com a transmissão de conhecimentos, quanto com o acolhimento e cuidados necessários para um bom desenvolvimento, perceberemos a função fundamental do nosso trabalho e como ela é determinante para o resto da vida escolar de qualquer criança.

Leia a primeira parte desta coluna da Professora Zita Garcia:

? A entrada da criança pequena na escola> construindo uma nova casa


Quem é a colunista: Zita Garcia.

O que faz: psicóloga e professora da educação infantil da Escola Viva.

Pecado gastronômico: churros do Bar da Dona Onça ou do Exquisito.

Melhor lugar do Brasil:Qualquer praia sossegada em boas companhias.

Como falar com ela: ou zitagarcia@yahoo.com.br


Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Dia das Crianças no Rio de Janeiro 2016

Confira as opções de diversão na Cidade Maravilhosa para a data

Mais de 15 passeios em SP para curtir com crianças neste fim de semana

Opções de teatro, musicais e passeios gratuitos para ir em família e se divertir junto com os pequenos!

Beatles para crianças: 4 motivos para assistir à série Beat Bugs com seu filho

Primeira temporada da série infantil já está em cartaz na Netflix

Raposo Shopping oferece oficina gratuita para crianças que gostam de cozinhar

Atividade ensina aos pequenos receitas do programa "Tem Criança na Cozinha", do canal Gloob

4 motivos para levar as crianças para assistir ao espetáculo "Galinha Pintadinha em ovo de novo"

Peça fica em cartaz até dia 28 de agosto, no Teatro Net

Rede de cinemas oferece ingressos gratuitos para pais acompanhados dos filhos

Pais que forem ao cinema com os filhos no Dia dos Pais não pagam o ingresso nos cinemas Playarte