Guia da Semana

Minha mãe compete comigo!

Mulheres que não aparentam a idade e se comportam como adolescentes deixam as filhas constrangidas

Tensão: mães muito modernas e filhas adolescentes
Foto: sxc.hu

Cuidados com a alimentação, horas na academia, cosméticos poderosos e até cirurgias plásticas. Atualmente, as mulheres dispõem de vários artifícios para conter a passagem do tempo e parecerem sempre jovens. Tanto que algumas são confundidas com irmãs ou amigas das próprias filhas. Mas o que massageia o ego das mães pode facilmente se tornar um inconveniente para as adolescentes. Se a jovialidade se restringir apenas a aparência, é mais fácil de lidar, basta que a filha tenha jogo de cintura para encarar os comentários dos amigos, do tipo "nossa, sua mãe tá conservada!".

Entretanto, há mães que não almejam apenas a aparência jovem, elas querem voltar no tempo e se comportam como verdadeiras adolescentes, chegando, inclusive, a entrar em disputa com as próprias filhas. Tudo vira motivo para competição e brigas: quem é mais bonita, quem se veste melhor, quem é mais popular, etc. Diante da insistência de querer freqüentar os mesmo lugares, ir juntas para a balada e terem os mesmos amigos, a filha acaba se distanciando, com medo de algum constrangimento, como o envolvimento da mãe com um colega. Enquanto isso, a mãe fica sem entender nada e pensando: "Será que ela prefere uma mãe careta?"

Foto:
A psicóloga e terapeuta familiar Ana Maria Zampieri conta que o conflito entre mães e filhas é natural e previsível: "Na adolescência, o enfrentamento da mãe é algo comum, pois a garota está tentando se afirmar. É uma crise temporária, que depende da maturidade da mãe para ser resolvida". A situação não é difícil só para as filhas, que atravessam a conturbada adolescência, mas também para as mães, que geralmente estão na famosa crise da meia-idade: "É difícil para uma mãe com a auto-estima baixa ver a filha bela e motivada", explica.

Mulheres que não curtiram a adolescência, que tiveram pais muito rígidos ou casaram cedo correm o risco de querer roubar para si a adolescência das filhas: "As filhas ficam sem espaço para se desenvolver, é a vez delas errarem, delas descobrirem o mundo masculino. A mãe deixa o papel de orientadora e quer ser amiga, mas não é disso que as jovens precisam neste momento", diz a psicóloga.

Laís Linhares, 46 anos, é um desses casos: "Sempre fui mais amiga do que mãe, acho até que deixei a desejar nesse quesito. Minha filha me considera moderninha pra idade que tenho, por causa do jeito que eu encaro a vida, das roupas que uso. Fiz maquiagem definitiva, recentemente fiz uma tatuagem. Ela é muito madura, sempre pareceu ser mais velha do que é, eu que digo pra ela parar de se queixar da vida", conta.

Foto:
Alexandra, a filha, se chateia com algumas atitudes de Laís e até criou uma comunidade no Orkut com o título Minha mãe me imita: "Se eu gosto de um tipo de música, ela gosta também. Acho que isso é falta de personalidade, ela é imatura", diz. Alexandra confessa, ainda, que sente vergonha da mãe quando ela bebe e Laís reconhece: "Quando exagero na bebida ela não é minha fã, fica envergonhada e acho que é por isso que não conheço os amigos dela, ela é muito reservada."

Segundo Ana Maria, mulheres com um comportamento inadequado para a idade que têm costumam ser extremamente carentes e dá uma dica para as filhas: "A melhor coisa a fazer é tentar ser carinhosa com a mãe, conversar. É importante que os papéis não se invertam, senão a relação se descaracteriza. Dependendo da intensidade do problema, a mulher deve procurar ajuda profissional, de um psicólogo."

Quem pensa que essa disputa se restringe apenas às mulheres, está enganado. Homens costumam ser bastante competitivos, até mais que as mulheres: "A nossa cultura é machista, a sociedade admite que os homens tenham este tipo de comportamento. Por isso, os filhos não se queixam quando os pais se arrumam e ´vão à caça´ junto com eles", explica a terapeuta.

Serviço:
Ana Maria Zampieri - Psicóloga, terapeuta familiar e de casais
Rua Joaquim Floriano, 466 - Conj. 2108 - São Paulo
Telefone: (11) 2165-8118

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Dia das Crianças no Rio de Janeiro 2016

Confira as opções de diversão na Cidade Maravilhosa para a data

Mais de 15 passeios em SP para curtir com crianças neste fim de semana

Opções de teatro, musicais e passeios gratuitos para ir em família e se divertir junto com os pequenos!

Beatles para crianças: 4 motivos para assistir à série Beat Bugs com seu filho

Primeira temporada da série infantil já está em cartaz na Netflix

Raposo Shopping oferece oficina gratuita para crianças que gostam de cozinhar

Atividade ensina aos pequenos receitas do programa "Tem Criança na Cozinha", do canal Gloob

4 motivos para levar as crianças para assistir ao espetáculo "Galinha Pintadinha em ovo de novo"

Peça fica em cartaz até dia 28 de agosto, no Teatro Net

Rede de cinemas oferece ingressos gratuitos para pais acompanhados dos filhos

Pais que forem ao cinema com os filhos no Dia dos Pais não pagam o ingresso nos cinemas Playarte