Guia da Semana

Tirar ou não as amídalas?

A opinião que no passado era dividida entre especialistas toma agora um novo rumo e a remoção é feita em casos extremos

Foto: sxc.hu


Antigamente qualquer quadro clínico infeccioso era motivo da remoção das amídalas e diminuição das adenóides. Apesar da cirurgia ser ainda a segunda operação mais realizada em crianças no mundo inteiro, com o avanço da medicina, especialistas observaram que agora é recomendada somente em casos extremos.

Foto:www.alexandre.med.com.br
O otorrinolaringologista w membro da Sociedade Brasileira de Pediatria Moacyr Saffer explica em quais situações a cirurgia é indicada. "Quando a criança não está respirando bem pelo nariz. Ou seja, as adenóides que estão localizadas atrás do nariz, às vezes crescem além da conta e acabam obstruindo gravemente as vias aéreas. Nesse caso, atrapalham a respiração. E quanto às amídalas, o grande problema é também quando elas estão muito grandes e quase ´se beijam´, provocando transtorno para a alimentação e respiração".

Uma outra indicação é o excesso de amidalites. As dores de garganta freqüentes em crianças podem causar desconforto, porém, elas só devem ser levadas em conta quando acontecem de três a sete vezes por ano e comprometem o sistema de defesa. O grande erro dos pais é decidir operar a criança por conta de qualquer dor de garganta. Existem terapias clínicas hoje eficazes e que curam essas dores sem cirurgia. É sempre recomendável que se procure mais de um médico para tirar conclusões.

Foto: www.alexandre.med
O doutor Moacyr faz outro alerta: "Outro erro das mães é medicar o seu filho por conta própria em caso de dor de garganta. Na maioria das vezes elas acabam dando antibiótico para as crianças, mas, em 90% dos casos, é inútil e desnecessário. O ideal é evitar o antibiótico que produz certa resistência no corpo".

Em outros casos raros, a cirurgia também é indicada: em crianças com deformidades craniofaciais, alterações cranioencefálicas, síndrome de Down e paralisia cerebral. Qualquer anormalidade que provoque algum defeito na respiração é um fator relevante para submeter a criança ao centro cirúrgico.

De qualquer maneira, se seu filho já foi diagnosticado e os especialistas acreditam que retirar as amídalas e diminuir suas adenóides proporcionará uma qualidade de vida melhor, a operação é simples e pode ser realizada em crianças de todas as idades dependendo do grau de obstrução das vias respiratórias.

Como preparar a criança para a cirurgia

? Os pais devem dar o apoio e explicar para o filho porque ele será operado, que ele ficará mais saudável e que se sentir dor é só tomar um remédio que passa.

? Eles devem também ficar com a criança antes e após a cirurgia.

? Duas semanas antes não se deve tomar aspirina e, se ingerir algum outro medicamento, é recomendável comunicar o médico.

? Na noite antes da cirurgia deve ficar em jejum a partir da meia-noite e não tomar água nem comer absolutamente nada.

? O médico normalmente pede alguns exames de sangue antes da cirurgia.

? O médico costuma dar alta no mesmo dia da cirurgia ou no máximo no dia seguinte.



De acordo com o Dr. Moacyr, não existe nenhuma conseqüência em viver sem as amídalas ou diminuir as adenóides. A função delas é completar um conjunto de defesa do corpo, porém, é muito mais grave conviver com uma dificuldade de respiração do que sem elas no organismo.

Após a cirurgia a criança deve ficar em repouso em casa, por 5 dias

? Nos três primeiros dias: líquidos à vontade (água, refrigerantes, sucos, vitaminas de frutas), sorvete de massa batido e tomado na colher, iogurtes, etc... Tudo deve ser tomado frio.

? Depois disso, pode começar a engrossar os alimentos de acordo com a aceitação da criança (sopas, macarrão bem cozido-mole, pão de forma, etc...)

? Batata frita, pão de casca, bolachas devem ser dados somente após sete dias.

? Se tiver dor ou febre, o médico deixará um remédio prescrito para isso.

? Podem ocorrer vômitos após a cirurgia e dores de ouvido.

? Se ocorrer sangramento vivo contínuo, avisar imediatamente o médico.



Consultas:
Dr. Moacyr Saff- Presidente do Departamento de otorrinolaringologia da Sociedade Brasileira de Pediatria

Fundação Otorrionolaringologia

www.drauziovarella.com.br

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Dia das Crianças no Rio de Janeiro 2016

Confira as opções de diversão na Cidade Maravilhosa para a data

Mais de 15 passeios em SP para curtir com crianças neste fim de semana

Opções de teatro, musicais e passeios gratuitos para ir em família e se divertir junto com os pequenos!

Beatles para crianças: 4 motivos para assistir à série Beat Bugs com seu filho

Primeira temporada da série infantil já está em cartaz na Netflix

Raposo Shopping oferece oficina gratuita para crianças que gostam de cozinhar

Atividade ensina aos pequenos receitas do programa "Tem Criança na Cozinha", do canal Gloob

4 motivos para levar as crianças para assistir ao espetáculo "Galinha Pintadinha em ovo de novo"

Peça fica em cartaz até dia 28 de agosto, no Teatro Net

Rede de cinemas oferece ingressos gratuitos para pais acompanhados dos filhos

Pais que forem ao cinema com os filhos no Dia dos Pais não pagam o ingresso nos cinemas Playarte