Guia da Semana

Memória Cafeeira

Conheça o Museu do Café, que preserva a história de um dos principais produtos de exportação do Brasil

"Esse Palácio pode ser considerado um dos mais ricos do Brasil, digno templo de sua principal riqueza e da incontestável grandeza de nosso Estado". É com essa frase que o empresário paulista Roberto Cochrane Simonsen descreveu o prédio da Bolsa Oficial do Café, onde eram realizados os pregões que determinavam o preço do produto assim que desembarcava no porto de Santos. Atualmente, o lugar abriga o Museu do Café, inaugurado em 1998 com o intuito de preservar a história daquele que foi o principal elemento da economia nacional em meados do século XIX e começo do XX.

Localizado no centro, próximo à zona portuária santista, o prédio do museu recebeu os pregões até 1950, quando tais negócios acabaram transferidos para São Paulo. Em 12 de março de 2009, o local foi tombado pelo Insitituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

Sua fachada tem uma base maciça de granito vermelho em sua parte térrea, com um relógio antigo preso a uma torre de 40 metros de altura. Dentro, onde há um salão amplo com colunatas clássicas e um vitral central no teto, está a exposição permanente "A Trajetória do Café no Brasil", que exibe fotografias, maquetes, painéis e objetos agrícolas relativos à história do produto no país, contada desde sua chegada, no século XVIII, até o desenvolvimento que proporcionou a setores como, por exemplo, a malha ferroviária paulista.

Também acontecem mostras temporárias que tratam de temas históricos mais específicos. Atualmente há duas exposições deste tipo em cartaz:

A Trajetória das Correntes Migratórias no Brasil - Até 2 de agosto de 2009
 Trata da chegada de trabalhadores europeus ao país, atraídos pelas oportunidades de trabalho nas fazendas cafeeiras. A exposição exibe imagens, ferramentas e documentos que contextualizam a chegada e a adaptação de italianos, alemães, espanhóis, portugueses e japoneses à nova realidade cultural e a uma nova filosofia de trabalho, ainda marcada pelo escravismo.

Na Trilha do Café - Até 30 de julho de 2009

Foca a prosperidade que o café conferiu às cidades do interior de São Paulo, trazendo impactos econômicos expressivos, como a formação de uma classe burguesa em Ribeirão Preto. Tal tema é contextualizado desde a chegada das primeiras mudas de café ao Brasil até o avanço gradual da cultura até chegar às fazendas paulistas.

Há também cursos relacionados ao café, destinados a introduzir o aluno a assuntos mais específicos, como história, tipos de sementes, modos de preparo e máquinas. São eles:


Barista

O curso é o único fixo do museu, que acontece todos os meses. O barista é um profissional especialista em café, dominando áreas que vão desde seu plantio e colheita até às diferentes técnicas utilizadas para o preparo da bebida. As aulas abordam a história e as lendas da chegada das primeiras mudas de café ao país, além de apresentar os diferentes tipos de grãos e colheitas do produto e introduzir os alunos às especificidades de cafeteiras domésticas e industriais.

Entre os exercícios práticos do curso, estão o manuseio dos torradores de café, utilização e higienização das máquinas de café expresso, técnicas de vaporização do leite para capuccino e receitas de bebidas quentes ou geladas que usam o café como matéria prima.

Expresso

O curso apresenta tópicos como a história do café, suas etapas, formas de plantação e colheita. Os alunos também aprendem a manusear máquinas de expresso e recebem dicas de como mantê-las limpas, além de conhecer a técnica para vaporizar o leite usado para fazer um capuccino.


Latte-art
Este curso é direcionado a profissionais que trabalham em hotéis, restaurantes, cafeterias, bares ou lanchonetes interessados em especializar-se no preparo de capuccinos decorados.  Neste sentido, as aulas ensinam as técnicas para a preparação do leite, as diferenças de sabor resultantes das diversas formas de preparo e a importância e influencia da qualidade de cada produto.

O Museu do Café também possui uma cafeteria, onde o visitante finalmente pode degustar exemplares de algumas variantes da bebida. O espaço é especializado na venda de cafés especiais, os quais o consumidor pode escolher através de expositores para levar ou consumir ali mesmo. Além do cafezinho, os clientes também têm à sua disposição pães finos, doces, salgados e um cyber café com dois computadores com acesso à internet.

Museu do Café

Endereço: Rua XV de novembro, 95, Centro, Santos (SP).
Horário de funcionamento: Terça a sábado, 9h às 17h. Domingo, 10h às 17h.
Preço: R$ 5,00
Telefone: (13) 3219-5585
Fotos: Divulgação


 


 

 

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Renato Aragão confirma volta de "Os Trapalhões"

Ator revelou a novidade durante painel na CCXP

Globo não exibe homenagem à Chapecoense e recebe crítica dos internautas

Emissora seguiu com a programação normal, com a novela "A Lei do Amor" e a sessão "Cinema Especial"

Saiba tudo sobre A Cara do Pai, nova série de comédia da Rede Globo

Série cômica tem estreia prevista para 11 de dezembro

Conheça todos os indicados ao prêmio Melhores do Ano 2016, do Domingão do Faustão

A premiação acontece no dia 11 de dezembro

Globo planeja exibir versões censuradas de suas séries na internet

Diretor de mídias digitais da emissora já avalia a ideia

Band vai exibir episódio de "Os Simpsons" que previu vitória de Donald Trump

Programa vai ao ar nesta quarta-feira, às 22h10