Guia da Semana

Memória Cafeeira

Conheça o Museu do Café, que preserva a história de um dos principais produtos de exportação do Brasil

"Esse Palácio pode ser considerado um dos mais ricos do Brasil, digno templo de sua principal riqueza e da incontestável grandeza de nosso Estado". É com essa frase que o empresário paulista Roberto Cochrane Simonsen descreveu o prédio da Bolsa Oficial do Café, onde eram realizados os pregões que determinavam o preço do produto assim que desembarcava no porto de Santos. Atualmente, o lugar abriga o Museu do Café, inaugurado em 1998 com o intuito de preservar a história daquele que foi o principal elemento da economia nacional em meados do século XIX e começo do XX.

Localizado no centro, próximo à zona portuária santista, o prédio do museu recebeu os pregões até 1950, quando tais negócios acabaram transferidos para São Paulo. Em 12 de março de 2009, o local foi tombado pelo Insitituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

Sua fachada tem uma base maciça de granito vermelho em sua parte térrea, com um relógio antigo preso a uma torre de 40 metros de altura. Dentro, onde há um salão amplo com colunatas clássicas e um vitral central no teto, está a exposição permanente "A Trajetória do Café no Brasil", que exibe fotografias, maquetes, painéis e objetos agrícolas relativos à história do produto no país, contada desde sua chegada, no século XVIII, até o desenvolvimento que proporcionou a setores como, por exemplo, a malha ferroviária paulista.

Também acontecem mostras temporárias que tratam de temas históricos mais específicos. Atualmente há duas exposições deste tipo em cartaz:

A Trajetória das Correntes Migratórias no Brasil - Até 2 de agosto de 2009
 Trata da chegada de trabalhadores europeus ao país, atraídos pelas oportunidades de trabalho nas fazendas cafeeiras. A exposição exibe imagens, ferramentas e documentos que contextualizam a chegada e a adaptação de italianos, alemães, espanhóis, portugueses e japoneses à nova realidade cultural e a uma nova filosofia de trabalho, ainda marcada pelo escravismo.

Na Trilha do Café - Até 30 de julho de 2009

Foca a prosperidade que o café conferiu às cidades do interior de São Paulo, trazendo impactos econômicos expressivos, como a formação de uma classe burguesa em Ribeirão Preto. Tal tema é contextualizado desde a chegada das primeiras mudas de café ao Brasil até o avanço gradual da cultura até chegar às fazendas paulistas.

Há também cursos relacionados ao café, destinados a introduzir o aluno a assuntos mais específicos, como história, tipos de sementes, modos de preparo e máquinas. São eles:


Barista

O curso é o único fixo do museu, que acontece todos os meses. O barista é um profissional especialista em café, dominando áreas que vão desde seu plantio e colheita até às diferentes técnicas utilizadas para o preparo da bebida. As aulas abordam a história e as lendas da chegada das primeiras mudas de café ao país, além de apresentar os diferentes tipos de grãos e colheitas do produto e introduzir os alunos às especificidades de cafeteiras domésticas e industriais.

Entre os exercícios práticos do curso, estão o manuseio dos torradores de café, utilização e higienização das máquinas de café expresso, técnicas de vaporização do leite para capuccino e receitas de bebidas quentes ou geladas que usam o café como matéria prima.

Expresso

O curso apresenta tópicos como a história do café, suas etapas, formas de plantação e colheita. Os alunos também aprendem a manusear máquinas de expresso e recebem dicas de como mantê-las limpas, além de conhecer a técnica para vaporizar o leite usado para fazer um capuccino.


Latte-art
Este curso é direcionado a profissionais que trabalham em hotéis, restaurantes, cafeterias, bares ou lanchonetes interessados em especializar-se no preparo de capuccinos decorados.  Neste sentido, as aulas ensinam as técnicas para a preparação do leite, as diferenças de sabor resultantes das diversas formas de preparo e a importância e influencia da qualidade de cada produto.

O Museu do Café também possui uma cafeteria, onde o visitante finalmente pode degustar exemplares de algumas variantes da bebida. O espaço é especializado na venda de cafés especiais, os quais o consumidor pode escolher através de expositores para levar ou consumir ali mesmo. Além do cafezinho, os clientes também têm à sua disposição pães finos, doces, salgados e um cyber café com dois computadores com acesso à internet.

Museu do Café

Endereço: Rua XV de novembro, 95, Centro, Santos (SP).
Horário de funcionamento: Terça a sábado, 9h às 17h. Domingo, 10h às 17h.
Preço: R$ 5,00
Telefone: (13) 3219-5585
Fotos: Divulgação


 


 

 

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Quarta temporada de ‘Adotada’ estreia nesta terça-feira (11), na MTV

Maria Eugênia vai rodar por todo o Brasil em 13 novos episódios inéditos

Marcos é expulso do BBB 17

A delegada titular da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (DEAM) de Jacarepaguá esteve nos Estúdios Globo nesta segunda-feira (10)

Talk show de Tatá Werneck estreia hoje no Multishow

"Lady Night" vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 22h30

Sílvio Santos passa o comando do SBT para as filhas Daniela e Renata

Patrícia Abravanel ficou de fora das ações da emissora

Transmissão ao vivo do show da Marília Mendonça no Rio de Janeiro na TV e Internet

Cantora apresenta turnê do DVD ' Realidade - Ao Vivo' a partir das 23h

José Mayer assume que errou em carta aberta

Acusado de assédio sexual por figurinista da Globo, ator admite que "passou dos limites"