Guia da Semana

Psicografando na telinha

A vida do médium mais famoso do Brasil, Chico Xavier, saiu das salas de cinema e ganhou espaço na programação global

Foto: Divulgação

Um dos momentos mais emocionantes do enredo ocorre quando Chico Xavier entrega à Glória (Christiane Torloni) uma carta psicografada de seu filho desencarnado

Uma das personalidades mais comentadas de 2010 foi Francisco de Paula Cândido Xavier. A vida do médium mais famoso do Brasil, que faleceu em 2002, levou cerca de 3,4 milhões de pessoas aos cinemas com o filme Chico Xavier , e ficou entre os dez longas mais vistos no ano passado, no circuito nacional. Agora, esse sucesso chega à TV em forma de microssérie. A atração estreia na grade da Rede Globo no próximo dia 25 e vai até o dia 28, com transmissão logo após o Big Brother Brasil 11.

Assim como o filme, a microssérie é dirigida por Daniel Filho. Ela será divida em quatro capítulos e vai apresentar a história do filme com mais uma hora de conteúdo inédito. Esse material foi gravado enquanto as cenas para o cinema eram produzidas, já com a intenção de ganhar um espaço nas telinhas futuramente. 

Séries inovadas

Após a fase das superproduções de séries, como A Casa das Sete Mulheres, Hoje é Dia de Maria, Capitu e Maysa, a Globo vem investindo em minisséries diferenciadas - com dias específicos de exibição e condensada em poucos capítulos - desde novembro do ano passado, como Afinal, o Que Querem as Mulheres?, As Cariocas e Amor em 4 atos.

Foto: Divulgação

Matheus Costa representou Chico Xavier na infância e dividiu algumas cenas com Letícia Sabatella, que viveu sua mãe na trama

Chico Xavier faz parte do novo modelo adotado pela emissora de trazer para a televisão produções da Globo Filme feitas para o cinema. Outro longa que seguiu o mesmo caminho foi O Bem Amado - lançado em 2010 -, que teve sua exibição também divida em quatro partes e veiculada do dia 18 a 21 de janeiro. 

Destaque para o espiritismo

Em 2010, o Brasil descobriu um novo filão para o cinema, que é o drama com temática espírita. Chico Xavier estreou em abril daquele ano e rendeu mais de R$ 30 milhões em bilheteria, tendo arrecadação nacional superior a de blockbusters como Comer, Rezar, Amar, Homem de Ferro 2 e Karatê Kid.

No entanto, outro filme do mesmo gênero conseguiu bater os números de Chico Xavier. O longa Nosso Lar, dirigido por Wagner de Assis, foi assistido por mais de 4 milhões de pessoas em todo país e chegou a casa dos R$ 36 milhões arrecadados. A película foi baseada na obra homônima psicografada pelo espírita Chico Xavier e aborda temas como evolução espiritual e segunda chance.

Primórdios da história

O enrendo da microssérie - e do filme - é baseado no livro Vidas de Chico Xavier, escrito pelo jornalista Marcel Souto Maior, que narra os principais fatos - desde os cotidianos aos mais polêmicos - dos 92 anos de vida no médium mineiro. Ele é interpretado por três atores, representando cada fase de sua vida.

Foto: Divulgação

Daniel Filho entre Francisco Xavier e Ângelo Antonio dando as diretrizes das cenas, durante a gravação do longa e da miscrossérie

O pequeno Matheus Costa é quem vive Chico na infância, fase em que começam a aparecer seus primeiros sinais mediúnicos, principalmente, retratados pelas conversas que tem com sua mãe, já desencarnada. Nesse período também é evidenciado os maus tratos que sofria de sua madrinha, interpretada por Giulia Gam.

Formação de um ícone

Na fase adulta, é Ângelo Antonio quem segue como o protagonista. Ele é apresentado à Doutrina Espírita e passa a praticar a caridade, auxiliando pessoas doentes ou que perderam seus familiares. É o momento em que passa a agir sempre orientado por seu guia espiritual Emmanuel (André Dias) e a trabalhar incessantemente - até ultrapassando seu limite físico - psicografando livros e mensagens ditados pelos espíritos, doando sua vida para o bem do próximo.

A semelhança do ator Nelson Xavier com Chico, na terceira fase do filme, torna-se surpreendente. Após ter mudado de Pedro Leopoldo para Uberaba, em Minas Gerais, e aberto a Casa da Prece, o médium passa a ser uma polêmica nacional. Isso fica evidente em sua participação no programa 'Pinga-Fogo', no qual sua mediunidade é questionada. A produção contou com cerca de 90 locações para gravar a obra e 135 atores, com destaque para Tony Ramos e Christiane Torloni.

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Confira a programação especial de fim de ano da Rede Globo

A emissora carioca preparou muitas novidades para o mês de dezembro

Renato Aragão confirma volta de "Os Trapalhões"

Ator revelou a novidade durante painel na CCXP

Globo não exibe homenagem à Chapecoense e recebe crítica dos internautas

Emissora seguiu com a programação normal, com a novela "A Lei do Amor" e a sessão "Cinema Especial"

Saiba tudo sobre A Cara do Pai, nova série de comédia da Rede Globo

Série cômica tem estreia prevista para 11 de dezembro

Conheça todos os indicados ao prêmio Melhores do Ano 2016, do Domingão do Faustão

A premiação acontece no dia 11 de dezembro

Globo planeja exibir versões censuradas de suas séries na internet

Diretor de mídias digitais da emissora já avalia a ideia