Guia da Semana

Psicografando na telinha

A vida do médium mais famoso do Brasil, Chico Xavier, saiu das salas de cinema e ganhou espaço na programação global

Foto: Divulgação

Um dos momentos mais emocionantes do enredo ocorre quando Chico Xavier entrega à Glória (Christiane Torloni) uma carta psicografada de seu filho desencarnado

Uma das personalidades mais comentadas de 2010 foi Francisco de Paula Cândido Xavier. A vida do médium mais famoso do Brasil, que faleceu em 2002, levou cerca de 3,4 milhões de pessoas aos cinemas com o filme Chico Xavier , e ficou entre os dez longas mais vistos no ano passado, no circuito nacional. Agora, esse sucesso chega à TV em forma de microssérie. A atração estreia na grade da Rede Globo no próximo dia 25 e vai até o dia 28, com transmissão logo após o Big Brother Brasil 11.

Assim como o filme, a microssérie é dirigida por Daniel Filho. Ela será divida em quatro capítulos e vai apresentar a história do filme com mais uma hora de conteúdo inédito. Esse material foi gravado enquanto as cenas para o cinema eram produzidas, já com a intenção de ganhar um espaço nas telinhas futuramente. 

Séries inovadas

Após a fase das superproduções de séries, como A Casa das Sete Mulheres, Hoje é Dia de Maria, Capitu e Maysa, a Globo vem investindo em minisséries diferenciadas - com dias específicos de exibição e condensada em poucos capítulos - desde novembro do ano passado, como Afinal, o Que Querem as Mulheres?, As Cariocas e Amor em 4 atos.

Foto: Divulgação

Matheus Costa representou Chico Xavier na infância e dividiu algumas cenas com Letícia Sabatella, que viveu sua mãe na trama

Chico Xavier faz parte do novo modelo adotado pela emissora de trazer para a televisão produções da Globo Filme feitas para o cinema. Outro longa que seguiu o mesmo caminho foi O Bem Amado - lançado em 2010 -, que teve sua exibição também divida em quatro partes e veiculada do dia 18 a 21 de janeiro. 

Destaque para o espiritismo

Em 2010, o Brasil descobriu um novo filão para o cinema, que é o drama com temática espírita. Chico Xavier estreou em abril daquele ano e rendeu mais de R$ 30 milhões em bilheteria, tendo arrecadação nacional superior a de blockbusters como Comer, Rezar, Amar, Homem de Ferro 2 e Karatê Kid.

No entanto, outro filme do mesmo gênero conseguiu bater os números de Chico Xavier. O longa Nosso Lar, dirigido por Wagner de Assis, foi assistido por mais de 4 milhões de pessoas em todo país e chegou a casa dos R$ 36 milhões arrecadados. A película foi baseada na obra homônima psicografada pelo espírita Chico Xavier e aborda temas como evolução espiritual e segunda chance.

Primórdios da história

O enrendo da microssérie - e do filme - é baseado no livro Vidas de Chico Xavier, escrito pelo jornalista Marcel Souto Maior, que narra os principais fatos - desde os cotidianos aos mais polêmicos - dos 92 anos de vida no médium mineiro. Ele é interpretado por três atores, representando cada fase de sua vida.

Foto: Divulgação

Daniel Filho entre Francisco Xavier e Ângelo Antonio dando as diretrizes das cenas, durante a gravação do longa e da miscrossérie

O pequeno Matheus Costa é quem vive Chico na infância, fase em que começam a aparecer seus primeiros sinais mediúnicos, principalmente, retratados pelas conversas que tem com sua mãe, já desencarnada. Nesse período também é evidenciado os maus tratos que sofria de sua madrinha, interpretada por Giulia Gam.

Formação de um ícone

Na fase adulta, é Ângelo Antonio quem segue como o protagonista. Ele é apresentado à Doutrina Espírita e passa a praticar a caridade, auxiliando pessoas doentes ou que perderam seus familiares. É o momento em que passa a agir sempre orientado por seu guia espiritual Emmanuel (André Dias) e a trabalhar incessantemente - até ultrapassando seu limite físico - psicografando livros e mensagens ditados pelos espíritos, doando sua vida para o bem do próximo.

A semelhança do ator Nelson Xavier com Chico, na terceira fase do filme, torna-se surpreendente. Após ter mudado de Pedro Leopoldo para Uberaba, em Minas Gerais, e aberto a Casa da Prece, o médium passa a ser uma polêmica nacional. Isso fica evidente em sua participação no programa 'Pinga-Fogo', no qual sua mediunidade é questionada. A produção contou com cerca de 90 locações para gravar a obra e 135 atores, com destaque para Tony Ramos e Christiane Torloni.

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Quarta temporada de ‘Adotada’ estreia nesta terça-feira (11), na MTV

Maria Eugênia vai rodar por todo o Brasil em 13 novos episódios inéditos

Marcos é expulso do BBB 17

A delegada titular da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (DEAM) de Jacarepaguá esteve nos Estúdios Globo nesta segunda-feira (10)

Talk show de Tatá Werneck estreia hoje no Multishow

"Lady Night" vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 22h30

Sílvio Santos passa o comando do SBT para as filhas Daniela e Renata

Patrícia Abravanel ficou de fora das ações da emissora

Transmissão ao vivo do show da Marília Mendonça no Rio de Janeiro na TV e Internet

Cantora apresenta turnê do DVD ' Realidade - Ao Vivo' a partir das 23h

José Mayer assume que errou em carta aberta

Acusado de assédio sexual por figurinista da Globo, ator admite que "passou dos limites"